Archive for the ‘Namoro’ Category

h1

O Sexo está Liberado?

janeiro 8, 2010

Existem muitas maneiras de abortar, digo, abordar o assunto do sexo antes do casamento. Experimente ler esse artigo que de forma franca e bem-humorada faz a gente pensar.

Você está namorando alguém que simplesmente é o máximo. É a concretização dos seus sonhos. Essa pessoa é perfeita para você, ela te completa, te deixa entusiasmado, apaixonado, cheio de amor e planos para a vida. A inteligência e o senso de humor lhe cativam, mas muito mais ainda o jeito de ser, o sorriso e… a beleza do seu corpo. É por isso que, naquele momento mais romântico, abraçados e sozinhos – explode uma vontade “incontrolável” de fazer sexo. Você diz: “-Tem que ser agora, não pode ser mais tarde. A gente se ama mesmo, não é?”

Saiba que o sexo está liberado… mas, antes de ele acontecer com toda a paixão, você precisa conversar com sua namorada. Pare onde estava, vá para um lugar mais claro, tome um copo de água para esfriar a “cuca”, e vamos pensar um pouco.

Diga a ela que você quer fazer sexo. Pergunte se ela quer também, ou se sente pressionada. Tenha certeza da permissão, porque você não é dono do corpo dela. Calma aí, não é tão simples assim. Junte seus amigos e os dela e fale a todos que você vai fazer sexo com ela. Isso porque você não quer esconder nada da sua vida, você é um livro aberto. Inclusive esta atitude afastará a outros que, quem sabe estavam com a mesma intenção a respeito dela. Ela já fez a escolha e não é nenhum dos seus amigos, ainda bem.

Como você é um jovem responsável e não deve nada a ninguém, vá antes a casa dos pais dela e seja franco: “-Eu quero fazer sexo com sua filha, e gostaria que vocês aprovassem, porque enquanto ela não é minha; é de vocês”.

Depois dessa conversa aberta e sem rodeios, porque você quer fazer o que é certo; traga sua namorada até sua casa e apresente-a a seus pais dizendo: “-É com essa moça que eu quero fazer amor, e não é só uma vez não. É muito e muitas vezes”.

Bem, se é assim que vocês querem, não fica legal fazer isso na casa dos seus pais ou dos pais dela. Seria um constrangimento, os pais ficariam sem graça, sua namorada vai ficar com medo de fazer algum barulho, vocês não vão ficar à vontade com certeza. No Motel não dá pra morar, sem contar que ficaria muito caro sustentar toda essa paixão e cada vez correr para lá.
Vocês se amam tanto que se pudessem ficariam o tempo todo juntos, então é melhor fazer um grande esforço, juntar as economias com a ajuda dos pais, se possível, e alugar uma casa ou apartamento.

Assim você deixará seu pai e sua mãe e se unirá a sua amada (Está na Bíblia – Gênesis 2:24). Mas espere aí, ainda não.
Você não gostaria que ela fizesse sexo com outros além de você. Existem 52 doenças venéreas, inclusive a Aids, e é perigoso correr esse risco. Então, se é seu propósito ser fiel a ela e vice versa, evite uma série de aborrecimentos e vá até um Cartório. Leve algumas testemunhas e prepare um documento dizendo que você fará sexo só com ela, e isso é um compromisso dela também. Vão aproveitar à vontade, serão um do outro, então assine, porque você não tem costume de fugir das responsabilidades.

Como fazer amor é um ato muito bom e isso foi invenção de Deus, então você deve reunir todos os seus parentes e os dela, todos os seus amigos e os dela, convidar todos para a igreja e pedir ao líder religioso que abençoe o sexo que vocês vão praticar. Afinal, vocês acreditam em Deus e Deus acredita na sinceridade de vocês. Desta forma, vocês na presença de todos declaram:

“-Nós não queremos esconder nada de ninguém. Não queremos ficar mentindo por aí, dizendo que não fizemos nada; não queremos experimentar o trauma de uma gravidez indesejada, um aborto forçado, ou uma doença venérea incurável. A gente se ama tanto que faremos sexo quantas vezes der vontade. Diante de todos aqui presentes, declaramos que a partir desse momento deixamos o “Clube dos Abstinentes Sexuais Temporários”. Soubemos esperar até esse momento porque o sexo é uma arte; e vamos aprender essa arte juntos, com toda a responsabilidade. Não precisamos de experiência sexual prévia, isso é desculpa de quem não soube esperar. Mas agora, será muito gostoso abrir esse “presente” de Deus para nós. Fazemos esse compromisso sabendo que sexo não é brincadeira, haverão momentos de discussões e adaptações, mas seremos sempre um para o outro. O sexo finalmente está liberado para nós, portanto com licença que eu e ela temos que ir à nossa casa para…”

Espera aí mais um pouquinho, não vai rolar nenhuma festa pra gente?

Autor: Pr. Udolcy Zukowski
Diretor do Ministério Jovem UEB

h1

Abraços…

março 13, 2009

Estou lhe escrevendo para tentar solucionar um problema que está me

atormentando:

Estou namorando uma garota a 1 ano. É um namoro super sério. Temos Deus acima de tudo e sempre procuramos conversar sobre ele.

Até poucos dias não havia acontecido nada de errado em nosso relacionamento. Temos um amor puro um pelo outro e sempre procuramos

seguir os princípios Bíblicos para um relacionamento saudável.

O problema é que a alguns dias a gente deu um abraço e um super beijo. O

abraço foi tão apertado que chegamos a sentir nossos orgãos se tocarem. De lá para cá toda vez que nos encontramos, acabamos dando um abraço assim, super apertado, será que isso é certo?

Até onde pode ir um abraço de acordo com os princípios Bíblicos?

Será que podemos dar um abraço apertadinho ao ponto de ficarmos

excitados?

Estou procurando uma opinião Bíblica. Tenho orado muito por isso, para que

Deus de mostre a atitude correta.

MINHA RESPOSTA PARA VOCÊ:

Parabéns pelo rumo seguro, bem como pela preocupação em estabelecer limites para o seu namoro. Estabelecer limites é um grande desafio em uma sociedade

tremendamente permissiva como a nossa, mas aqueles que tem agido assim tem sido recompensados.

Pelo que pude entender sua preocupação é com os limites do abraço. Até onde pode ir um abraço, para que ele realmente seja uma expressão de carinho e não uma provocação sensual?

Na verdade o abraço surgiu como um toque que demonstra interesse, amor e carinho por alguém. É uma das melhores expressões para isso. Dizem até que alguns abraços por dia fortalecem o sistema de defesa do corpo. Eles criam felicidade e satisfação e por isso previnem doenças. Agora, este mesmo abraço, utilizado de maneira errada, pode realmente provocar e não apenas expressar.

Mas como saber o limite? Toda vez que um abraço desperta mais do que sentimentos, ele já se tornou perigoso. O abraço é uma oportunidade para aproximação de dois corpos, como sinal da aproximação de duas vidas. Quando ao invés de aproximar os corpos, duas pessoas aproveitam o momento para tocar seus órgãos sexuais, elas entram no terreno perigoso da provocação. É possivel se abraçar sem que os órgãos sexuais se provoquem, mesmo dentro do namoro. É até possível abraçar forte, manifestando um amor especial, sem cair nesta armadilha. Um abraço carinhoso e forte se preocupa em passar sentimentos e não sensualismo.

Para que você possa entender alguns mecanismos e alternativas para um abraço,

quero lhe apresentar algumas conselhos que você deveria considerar:

1. Conversas: De acordo com o tipo de conversas que você tem com sua namorada, ou mesmo os desejos que você alimenta por ela, acaba preparando o clima para este abraço excitante. Procurem quando juntos conversar sobre coisas que não sejam provocantes. Procurem, também, não gastar muito tempo descrevendo as sensações prazeirosas que tiveram quando o abraço provocante aconteceu. Se não cuidarem com isso, vocês acabam alimentando o desejo de um próximo abraço. É melhor conversar seriamente sobre o assunto, discutindo onde os dois erraram e o que podem fazer para evitar que este tipo de abraço provocante se repita.

2. Conversa com Deus: Antes de um abraço de despedida, vocês podem criar o

hábito de orar, e pedir que Deus lhes dê momentos de carinho, mas não de excitação. Deus está disposto a ajudar, mas precisa que entreguemos a nós e a dificuldade que temos em Suas mãos. Além de orar juntos, cada um pode fazer também um plano de tornar esta tentação um motivo de oração pessoal. Quanto mais oramos, menos força satanás tem contra nós.

3. Local e Hora dos Encontros: De acordo com o lugar ou a hora que vocês se

encontram o clima pode ficar mais próprio ou não. Lugares e horários solitários

provocam os sentimentos mais sensuais e dão vazão a eles. Quando você está perto (não necessariamente junto) de outras pessoas, ou no lugar em que vocês se encontram passam pessoas, os excessos são mais difíceis. Escolham, para se

encontrar, lugares mais públicos e horários menos solitários e isso naturalmente vai diminuir a pressão do abraço.

4. Tempo Abraçados: Um abraço é uma expressão, um momento de carinho. Quanto mais tempo você passa abraçado com alguém, mais longe você tende a ir. Se o abraço é uma expressão de emoção, ela é proporcional ao tempo do abraço, se é de consolo, a realidade é a mesma. Se é uma expressão de amor e intimidade, quanto mais tempo ficarem abraçados maior será a cobrança por intimidade. Se vocês já sentiram que tem dificuldade para controlar os impulsos, não fiquem muito tempo abraçados, para que não se sintam provocados com mais força.

5. Forma do Abraço: Essa questão é extremamente importante, para esclarecer sua preocupação. Existem várias formas para abraçar alguém que se gosta, mesmo entre namorados. O abraço ideal é aquele que expressa o carinho através dos braços, e não dos corpos. Você abraça a pessoa, passa toda a emoção pelos braços, mas mantém um certo recuo com relação ao restante do corpo. Aliás, esse é o abraço natural. Para tocar os órgãos genitais é preciso conscientemente faze-lo. Se você abraçar de forma correta, dando essa ênfase nos braços, você vai aliviar a pressão sexual.

6. Predisposição: Quando você vai abraçar, já sabe o que quer com este abraço.

Predisponha-se, antes de abraçar, a manter os limites, e ai na hora, vai ficar mais fácil manter os limites.

Espero que estes conselhos possam lhe ajudar a manifestar sempre de forma saudável seu carinho à pessoa que você ama.

Maranata!

Erton Köhler

h1

Sofrendo consequências do sexo antes do casamento

dezembro 22, 2008

Gosto de ajudar os jovens em minha igreja. Estou me sentindo incomodada, pois tenho
me envolvido sexualmente com meu namorado, e isso me deixa sem moral para falar
qualquer coisa a eles.

O que eu devo fazer? Terminar o namoro? Casar logo?

Já tentei terminar, mas não consigo. Eu o amo. Quero casar, mas ainda não temos
condições.

Me ajude!

MINHA RESPOSTA PARA VOCÊ:
Vejo que você está super angustiada. Mas fico tranqüilo em notar que você também está super
consciente e buscando uma vida correta.

O que aconteceu entre você e seu namorado realmente tem de ser superado. Não creio que
você deva terminar o namoro só por isso. Se ele é uma pessoa que você ama, e sente isso dele
também, creio que vocês tem de buscar ajuda, fazer um esforço especial e decidir não cair
mais. Essa decisão é necessária em função da salvação e do futuro casamento de vocês.
Casamentos que iniciam errados vão pagar um preço muito alto. Por isso, também, é importante
corrigir as coisas agora.

Não creio, também, que você deva deixar de ajudar os jovens de sua igreja. Se você está
consciente da queda, pediu perdão a Deus, decidiu mudar, o passado deve ser apagado. Se
você “sumir”, ai a igreja vai imaginar que está acontecendo alguma coisa, e o problema vai ficar
maior. Quando a gente está em falha, o que mais precisa é estar envolvida com as coisas de
Deus, a não ser que a igreja peça um afastamento.

Se vocês não conseguirem resistir, ai sim eu creio que você pensar em terminar o namoro, ou
outra atitude mais dura. Continue trabalhando, os jovens precisam. Continue firme em sua
decisão, pois Deus pode fazer de vocês um casal forte e feliz.

Os outros podem até ver em você uma pessoa – modelo, mas não fique angustiada. Deixe
sempre claro que o melhor modelo é Cristo. Você pode ser falha, mas mesmo assim é especial
para os outros. Encare desta forma e relaxe.

Ai vão algumas dicas que, pela graça de Deus, podem ajudar a resistir à tentação:
1. Se envolva em atividades físicas para gastar as “energias acumuladas” que acabarão
pressionando pelo sexo.
2. Planeje bem seus encontros, criando sempre atividades diferentes. A rotina abre as portas
para o prazer, e para a tentação.
3. Evite literatura, músicas, conversas ou filmes com apelos sensuais.
4. Tenha uma amiga para quem você possa contar suas lutas e buscar apoio.
5. Evite ficar sozinha com o namorado por muito tempo.
6. Gaste tempo meditando nas coisas de Deus para ser “transformado pela renovação da
mente” (Rom. 12:2). Bons pensamentos geram boas atitudes.
7. Ore sempre pedindo forças. A oração traz transformação.
8. Faça um compromisso com você mesmo e com Deus. Ele não falha.

Espero que estas orientações lhe ajudem.

Maranata!
Erton Köhler

h1

10 Motivos para a abstinência sexual

dezembro 10, 2008

1. A pureza ajuda a ter uma boa comunicação com sua/seu namorada/o


Quando um casal de namorados vive a abstinência sexual, sua comunicação é boa porque não se concentram somente no prazer, mas na alegria de compartilhar pontos de vista e experiências; além disso, suas conversas são mais profundas. Pelo contrário, a intimidade física é uma forma fácil de se relacionar, mas ofusca outras formas de comunicação. É um modo de evitar o trabalho que supõe a verdadeira intimidade emocional, como falar de temas pessoais e profundos, além de conhecer as diferenças básicas que existem entre ambos.


2. Cresce o lado amistoso do relacionamento


A proximidade física pode provocar que os jovens pensem que estão emocionalmente próximos, quando na verdade não estão. Um relacionamento romântico consiste essencialmente em cultivar uma amizade e não há amizade sem conversação e sem compartilhar interesses. A conversação pessoal cria laços de amizade e ajuda um a descobrir o outro, a conhecer seus defeitos e qualidades. Alguns jovens se deixam levar por paixões e, depois, quando se conhecem em profundidade, se desencantam. Muitas vezes, nem sequer chegam a se conhecer porque não foram amigos, somente namorados com direitos.


3. Existe um melhor relacionamento com os pais de ambas as famílias


Quando o homem e a mulher se respeitam mutuamente, amadurece o carinho e melhora a amizade com os pais de ambos. Geralmente, os pais de família preferem que seus filhos solteiros vivam a continência sexual e se sentem mal quando sabem que eles estão sexualmente ativos, sem estar casados. Quando um casal sabe que deve esconder suas relações sexuais, cresce a culpa e o estresse. Os jovens que vivem a pureza se relacionam mais cordialmente com os próprios pais e com os pais da namorada/o.


4. As relações sexuais têm o poder de unir duas pessoas com força e podem prolongar uma relação pouco sã, baseada na atração física ou na necessidade de segurança.


Uma pessoa pode se sentir “presa” em um relacionamento do qual gostaria de sair porque – no fundo – não o deseja, mas não sabe como fazer. Uma pessoa casta pode romper com maior facilidade o vínculo afetivo que o ata ao outro, pois não houve uma intimidade tão poderosa no aspecto físico.


5. Estimula a generosidade contra o egoísmo


As relações sexuais durante o namoro convidam ao egoísmo e à própria satisfação, inclinam a sentir-se em concorrência com outras pessoas que podem chamar a atenção da namorada/o. Estimulam a insegurança e o egoísmo porque o fato de começar a entrar em intimidade convida a pedir mais e mais.


6. Há menos risco de abuso físico ou verbal


O sexo, fora do casamento, pode se associar à violência e a outras formas de abuso. Por exemplo, há duas vezes mais ocorrência de agressão física entre casais que convivem sem compromisso, do que entre pessoas casadas. Há menos ciúmes e menos egoísmo nos casais de namorados que vivem a pureza do que naqueles que se deixam levar pelas paixões.


7. Aumenta o repertório de modos de demonstrar afeto


Os namorados que vivem a abstinência encontram detalhes “novos” para demonstrar afeto, e contam com iniciativas e idéias para passar bem e demonstrar mutuamente seu carinho. O namoro se fortalece e eles têm mais oportunidades de se conhecer no que diz respeito à personalidade, costumes e maneira de manter um relacionamento.


8. Existem mais possibilidades de triunfar no casamento


As pesquisas têm demonstrado que os casais que já viveram juntos têm mais possibilidades de se divorciar do que os que não fizeram esta experiência.


9. Se você decidir terminar o namoro, doerá menos.


Os laços criados pela atividade sexual, por natureza, vinculam fortemente. Então, se houver uma ruptura, será mais intensa a dor produzida pela separação, devido aos vínculos estabelecidos. Quando não tiverem relações íntimas e decidirem se separar, o processo será menos doloroso.


10. Você se sentirá melhor como pessoa


Os adolescentes sexualmente ativos freqüentemente perdem a auto-estima e admitem viver com culpas. Quando decidem deixar de lado a intimidade física e viver castamente, sentem-se como novos e crescem como pessoas. Além disso, melhoram seu potencial intelectual, artístico e social. Com o sexo não se deve jogar. Quando alguém lhe pressionar (“Só te peço sexo uma vez e não insistirei mais”), uma boa resposta seria: “Isso é justamente o que me preocupa. Prefiro me conservar para alguém que vai me querer toda a minha vida”.

h1

Voltar com a Ex-namorada

outubro 28, 2008

No final de minha adolescência comecei namorar com uma jovem que era a mulher que eu esperava em Deus para ser minha esposa. O nosso relacionamento entre nós era perfeito. Sabíamos como ninguém resolver nossos problemas e diferenças sem afetar nosso namoro e sem ofender ou trazermágoas ou ressentimentos um ao outro.

Meus pais amavam minha namorada, já os pais dela eram contra a nossa relação. Já estávamos planejando o casamento quando nos envolvemos sexualmente. Já nos sentíamos um do outro, e por isso foi mais fácil. Fizemos sexo por mais de três anos, apesar das tentativas de parar. Acabamos decidindo terminar o namoro em paz.

Mais tarde conheci uma outra garota. Muito cristã e tem me levado para mais perto de Deus. Já minha ex-namorada também arrumou outro namorado. Já faz um bom tempo que terminamos e não conseguimos esquecer um ao outro. A alguns dias ela está me ligando e dizendo que quer voltar. Isso tem mexido comigo. Me preocupo, porém, em voltar e me envolver ainda mais sexualmente. E o pior, deixar a garota que vem me ajudado tanto espiritualmente. Mas não consigo vê-la como minha esposa.

Preciso resolver o problema, nem que eu acabe ficando sem nenhuma das duas. Tenho buscado incessantemente a deus para que me ajude. As vezes ouço Deus me dizer que devo continuar com a namorada atual. Mas, porque as lembranças não me deixam em paz? Por que Deus não tira estas lembranças da minha mente?

E outra coisa muito importante: Pelo fato de ter tirado a virgindade de minha exnamorada, e pelas promessas e juras de amor, continuo sendo responsável por tudo isso. Não seria uma atitude correta assumir essas responsabilidades e acabar casando?

 

MINHA RESPOSTA PARA VOCÊ

Sua situação me faz lembrar uma frase célebre sobre o amor que diz “O amor tem razões que a própria razão desconhece”. As vezes parece tão difícil entender os sentimentos, mas é possível chegar lá.

Sua luta tem sido entre o passado e o presente. A pergunta que parece atormentar você é: “Será que minha ex-namorada é a pessoa certa para me fazer feliz?” É difícil responder essa questão sem estar na pele da outra pessoa, mas é possível provocar um pouco mais de reflexão sobre o assunto. Para saber se ela é a pessoa ideal para você, é preciso responder a algumas perguntas:

- Por que vocês realmente terminaram o relacionamento?

- Haviam outros problemas sérios, ou apenas a falta de controle sobre o sexo?

- Como a parte financeira não estava legal vocês tiveram de dar um tempo para o casamento e por isso não resistiram à pressão sexual. E se voltassem hoje, poderiam se casar, ou teriam novamente de se expor ao tempo?

- Vocês conseguiriam resistir à pressão sexual depois de todo o envolvimento da primeira vez?

Me parece que sua razão sugere esquecer o passado, já a emoção o chama de volta. Se você der ouvidos à razão e continuar tentando esquecer, vai precisar ter em mente que um relacionamento marcante demora mais tempo para ser apagado, e mais ainda quando existe envolvimento sexual. A Bíblia apresenta o sexo como o momento onde os dois se tornam “Uma só carne”, e isso mostra a força da intimidade. Isso não se desliga com facilidade. Aliás uma das conseqüências do sexo dentro do namoro é a dificuldade para terminar o relacionamento quando se descobre que este é o melhor caminho. Para apagar a intimidade e seriedade do relacionamento que vocês tiveram é preciso um pouco mais de tempo que o convencional. É importante para isso, que você não se cobre nem fique se punindo, e muito menos alimente pensamentos que tragam de volta momentos do passado. O melhor é corta-los com pela raiz quando quiserem aparecer.

 E os efeitos do envolvimento sexual entre vocês? E o fato de ter tirado a virgindade dela? Isso tem lhe preocupado também. Na verdade, as falhas do passado servem basicamente de lições para o presente e futuro. Em seu namoro atual, ou mesmo em outro, se um dia houver, vale a pena considerar o preço pago por haver quebrado os limites, e com isso, fortalecer o propósito de deixar o sexo e seus prazeres para a hora certa – o casamento. Apesar de tudo o que aconteceu, inclusive a virgindade que ela perdeu com você, o melhor caminho para corrigir o problema, agora, é dar a ambos a oportunidade de encontrar a pessoa certa. Essa é a sua responsabilidade. Uma coisa é errar uma vez, outra é se aprofundar no erro.

Pense com carinho e escolha o melhor caminho. Por que terminaram? É possível voltar sem repetir a história? Este é o melhor caminho, ou é apenas o mais agradável? Ao invés de orar pedindo para Deus apagar o passado, peça para Deus lhe mostrar as lições e a melhor maneira para administra-lo.

 

Maranata!

 

Erton Köhler

h1

Quem namorar?

junho 6, 2008

Oito características de quem básicas de quem vive na paixão

1. Os sentimentos são subjetivos.
Ex.: A menina fica atraída porque um rapaz canta bem, é bonito, toca um instrumento, etc …
2. Sentimento de Auto Tortura. Ele gosta disso. Fica a vida chorando. Anda pelos cantos.
3. Superestima as pessoas. Ele não encontra nenhum defeito nela
4. Subestimação da realidade
5. Exclusivismo
6. Dependência psicológica da pessoa “amada”. Ela não toma nenhuma decisão sem ele
7. Comportamento sentimental. Anda nas nuvens
8. Predomina a fantasia

O autor Walter Trabish em seu livro, Casei-me Com Você, agrupa 10 provas do verdadeiro amor.
1. O teste da Divisão – O seu relacionamento incentiva voc6e a dividir os momentos de sua vida? Conta problemas pessoais sem o medo de ser traído?
2. O teste da Força – O seu relacionamento dá força para se continuar o preparo para o futuro?
3. O teste do Respeito Mútuo – Existe, entre os dois, o respeito corporal? Respeitam-se em relação aos pensamentos individuais? Devemos respeitar a privacidade
4. O teste do Hábito – Existe a aceitação mútua dos hábitos e fraquezas. Não se tenta mudar os hábitos e defeitos da outra pessoa. Ame-a pelo que ela é.
5. O teste da Briga – Desenvolveu a habilidade de resolver seus problemas sem discussões acaloradas?
6. O teste do Tempo – Vocês se conhecem o suficiente para estarem cientes da pessoa com quem passarão o resto da vida?
7. O teste da Separação – A distância mantém você fiel?
8. O teste da Dadivosidade – Você dá de si mesmo sem esperar algo em retorno?
9. O teste do Crescimento – Está seu relacionamento dinamicamente crescendo? Existe progresso em termos de maturidade?
10. O teste da Intimidade – Existe prazer mútuo sem a constante necessidade de se expressarem fisicamente?

A escolha imprudente
Infelizmente, poucas vezes os casais usam a razão, a lógica e avaliam a pessoa com a qual pretendem estabelecer um relacionamento sério. É muito ignificativo que consideremos algumas questões sérias:

Fatores que concorrem para essa decisão:
1. Influências Sócio-Culturais – Tanto mais pobre ou menor o nível de orientação educacional da pessoa, mais aumenta a possibilidade de errar. A mulher, com freqüência, tem mais pressa para casar que o homem. Ex.: Se ela viu que suas irmãs casaram cedo, ainda na adolescência, ela terá fortes desejos de casar na mesma idade.
2. Desejos sexuais cientes/inconscientes – Baseiam-se somente no físico
3. Expectativas irreais e/ou fantasias – Ex.: O meu amigo casou e eu quero casar também.
4. Pressão consciente ou inconsciente dos pais – Consciente: O pai diz para a filha que ela já está em tempo de casar. Inconsciente: O pai não deixa a menina namorar com ninguém com medo que ela tome uma decisão imprudente.
5. Demonstrar que é adulto – Acha que já pode tomar decisões.
6. Melhorar as condições econômicas
7. Vingança – Deseja vingar-se do ex-noivo ou ex-namorado
8. Decepção – Para esquecer o ex-namorado
9. Gravidez – Teve relacionamento sexual precoce
10. Chamado – Se não casar logo, corre o risco de não ser chamado para trabalhar no campo.

Outras razões:
1. Quero alguém que me ame
2. Quero alguém em quem eu possa confiar
3. Quero alguém que saiba me compreender
4. Quero alguém que respeite meus ideais e sonhos
5. Quero alguém que me ajude a tomar decisões
6. Quero alguém que me estimule em minhas ambições
7. Quero alguém que me transmita auto-confiança
8. Quero alguém que me apoie em minhas decisões
9. Quero alguém que me apoie e conforte nas dificuldades
10. Quero alguém que me aceite como eu sou
11. Quero alguém que admire minhas habilidades
12. Quero alguém que me faça sentir importante
13. Quero alguém que alivie minha solidão

Na verdade, o casamento deve preencher essas necessidades, mas não deve ser a razão principal.

A escolha prudente
1. Convicções Cristãs – O indivíduo coloca a questão nas mãos de Deus. Há algumas perguntas que deveriam vir à mente nessa ocasião:
a) É ela cristã?
b) Demonstra sua vida, frutos do Espírito?
c) Podemos decidir, com franqueza, o aspecto espiritual de nosso relacionamento?
d) Oramos juntos e se não, por quê?
e) Concordamos nas questões como dízimo, ofertas, estudos bíblicos, freqüência à igreja, etc …?
2. Mantém contato amistoso com pessoas dentro do círculo, compatível com ele e com ela?
3. Procura as pessoas com antecedentes sócio-culturais smelhantes?
4. Ressonância física/emocional
5. Procura conhecer os traços de nubilidade ( aptidões para o casamento)?
a) Adaptabilidade e/ou flexibilidade
b) Empatia – capacidade do indivíduo para sentir-se bem com o outro
c) Habilidade de resolver problemas – não somente resolver com um beijo, mas, através da comunicação. Coloque a questão sobre você mesmo.
d) A habilidade de dar e receber – Saber como e onde receber. O homem tem a tendência de só querer receber. Ex.: O esposo passa o dia trabalhando e quando chega em casa, quer que a esposa lhe dê carinho.
e) Estabilidade emocional – Saber como controlar e expressar as emoções sem transferi-las para a pessoa amada.
f) Habilidade para se comunicar – saber como expressar-se verbalmente.
g) Compromisso – habilidade de aceitar as experiências da vida com maturidade; as aventuras, os riscos, alegrias, tristezas, dificuldades, desafios, etc…

Abraços
Vinicius A. Miranda

h1

Uma reflexão sobre a esposa virtuosa

julho 12, 2007

Ao visitar o site da Revista Eletrônica em Teologia do UNASP. Vi um artigo muito interessante, que nos dá uma reflexão sobre qual deve ser a melhor esposa para nós.

Este artigo tem como tema de estudo a mulher ideal. Se você tivesse que opinar a respeito, o que diria? Como a descreveria? Destacaria seus atributos físicos como medidas, cor de pele, de olhos ou de cabelo? Ou valorizaria bastante suas habilidades e qualidades morais? Ou salientaria sua posição social, sua educação e seus recursos financeiros?

Na Bíblia Sagrada, Deus nos deixou uma descrição da mulher ideal. Ela se encontra em Provérbios 31:10-31. É apresentada na forma de uma poesia acróstica com vinte e dois versos, cada um contendo duas linhas poéticas. Para facilitar a memorização do poema, cada verso começa com uma das vinte e duas letras do alfabeto hebraico, na devida ordem. É claro que na tradução isso se perde.

A mulher aqui retratada é uma dama de certa posição, que além de diversas habilidades, possui servas a seu dispor e dinheiro para investir. Por essa razão, relativamente poucas mulheres possuirão seu padrão de vida e poderão realizar o que ela faz. Contudo, precisamos saber também que, sendo um livro de religião prática que trata da conduta, Provérbios tem o propósito de demonstrar os resultados da fé em ação1 .

Portanto, ao apresentar várias amostras de comportamento, recomenda que aquelas que demonstram sabedoria sejam imitadas, tanto quanto possível. Assim, nesse relato da mulher ideal, existem alguns aspectos que servem como modelo para as demais mulheres, não importa a época ou o lugar em que vivam. Vamos examiná-los.

Ao descrever a mulher ideal, o texto nada diz quanto à sua aparência física. Não diz se é alta ou baixa, robusta ou esguia, se é loira ou morena, se os seus olhos são azuis, verdes ou castanhos, porque embora os aspectos físicos possam ter os seus encantos, a beleza, a graça e o charme são passageiros e de pouco valor, quando comparados com a beleza moral. “Elegância de formas, simetria na fisionomia, dignidade nas maneiras, beleza no rosto, todas essas coisas são vãs. A enfermidade as deforma; o sofrimento as macula e a morte as destrói”16 . Em contraste com aqueles valores encantadores na aparência está o verdadeiro valor, o temor do Senhor, que é o lema do livro de Provérbios.
[Leia Mais]

h1

Conselhos para o namoro

julho 12, 2007

Namoro

Ao visitar o site BibleInfo vi esse artigo interessante sobre namoro. Transmite usando a Bíblia com quem devemos namorar, como namorar, e muito mais. Vale a pena ler.

Com que tipo de pessoa devería namorar? A Bíblia diz em 2 Timóteo 2:22 Foge também das paixões da mocidade, e segue a justiça, a fé, o amor, a paz com os que, de coração puro, invocam o Senhor.

Não é sábio namorar com alguém que não ame a Deus. A Bíblia diz em 2 Coríntios 6:14-15 Não vos prendais a um jugo desigual com os incrédulos; pois que sociedade tem a justiça com a injustiça? Ou que comunhão tem a luz com as trevas? Que harmonia há entre Cristo e Belial? ou que parte tem o crente com o incrédulo?Amós 3:3 diz: Acaso andarão dois juntos, se não estiverem de acordo?

Não namore com alguém que diz ser cristão mas não vive como um cristão. A Bíblia diz em 1 Coríntios 5:11 – Mas agora vos escrevo que não vos comuniqueis com aquele que, dizendo-se irmão, for devasso, ou avarento, ou idólatra, ou maldizente, ou beberrão, ou roubador; com esse tal nem sequer comais.

Evite namorar com pessoas coléricas. A Bíblia diz em Provérbios 22:24 – Não faças amizade com o iracundo; nem andes com o homem colérico.

Não namore com um cristão preguiçoso. A Bíblia diz em 2 Tessalonicenses 3:6 – Mandamo-vos, irmãos, em nome do Senhor Jesus Cristo, que vos aparteis de todo irmão que anda desordenadamente, e não segundo a tradição de trabalho que de nós recebestes.

O que mais conta é a beleza interior. A Bíblia diz em 1 Pedro 3:4:- Mas seja o do íntimo do coração, no incorruptível traje de um espírito manso e tranqüilo, que és, para que permaneçam as coisas.

Namore com alguém que tenha uma boa atitude. A Bíblia diz em Romanos 15:5-6 – Ora, o Deus de constância e de consolação vos dê o mesmo sentimento uns para com os outros, segundo Cristo Jesus. Para que unânimes, e a uma boca, glorifiqueis ao Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo.

Namore com alguém que lhe anima e lhe apoia. A Bíblia diz em Filipenses 2:1-2 – Portanto, se há alguma exortação em Cristo, se alguma consolação de amor, se alguma comunhão do Espírito, se alguns entranháveis afetos e compaixões, completai o meu gozo, para que tenhais o mesmo modo de pensar, tendo o mesmo amor, o mesmo ânimo, pensando a mesma coisa.

Quando estejam a namorar não pensem só um no outro, prestem atenção a outros também. A Bíblia diz em Filipenses 2:4 – Não olhe cada um somente para o que é seu, mas cada qual também para o que é dos outros.

Deixe que o relacionamento se densenvolva passo a passo. A Bíblia diz em 2 Pedro 1:6-7 – E à ciência o domínio próprio, e ao domínio próprio a perseverança, e à perseverança a piedade, e à piedade a fraternidade, e à fraternidade o amor.

O que deve evitar quando sair a namorar. A Bíblia diz em Romanos 13:13 – Andemos honestamente, como de dia: não em glutonarias e bebedeiras, não em impudicícias e dissoluções, não em contendas e inveja.

O namoro não deveria incluir relãçôes sexuais. A Bíblia diz em 1 Coríntios 6:13, 18 – Mas o corpo não é para a prostituição, mas para o Senhor, e o Senhor para o corpo… Fugi da prostituição. Qualquer outro pecado que o homem comete, é fora do corpo; mas o que se prostitui peca contra o seu próprio corpo.

Mantenha-se puro ou pura. A Bíblia diz em 1 João 3:3 – E todo o que nele tem esta esperança, purifica-se a si mesmo, assim como ele é puro.

Para que se danhe emocionalmente, os desejos e as actividades sexuais devem ser mantidas sob o controle de Cristo. A Bíblia diz em 1 Tessalonicenses 4:3-5 – Porque esta é a vontade de Deus, a saber, a vossa santificação: que vos abstenhais da prostituição, que cada um de vós saiba possuir o seu vaso em santidade e honra, não na paixão da concupiscência, como os gentios que não conhecem a Deus.

Se já foi demasiado longe físicamente, que deveria fazer?

Primeiro, reconhecer o seu pecado. A Bíblia diz em Salmos 51:2-4 – Lava-me completamente da minha iniqüidade, e purifica-me do meu pecado. Pois eu conheço as minhas transgressões, e o meu pecado está sempre diante de mim.

Segundo, pedir que o seu pecado seja perdoado. Deus diz que pode começar uma vida nova. A Bíblia diz em Salmos 51:7-12 – Purifica-me com hissopo, e ficarei limpo; lava-me, e ficarei mais alvo do que a neve. Faze-me ouvir júbilo e alegria, para que se regozijem os ossos que esmagaste. Esconde o teu rosto dos meus pecados, e apaga todas as minhas iniqüidades. Cria em mim, ó Deus, um coração puro, e renova em mim um espírito estável. Não me lances fora da tua presença, e não retire de mim o teu santo Espírito. Restitui-me a alegria da tua salvação, e sustém-me com um espírito voluntário.

Terceiro, acreditar que Deus lhe perdoou deveras e parar de se sentir culpado. A Bíblia diz em Salmos 32:1-6 – Bem-aventurado aquele cuja transgressão é perdoada, e cujo pecado é coberto. Bem-aventurado o homem a quem o Senhor não atribui a iniqüidade, e em cujo espírito não há dolo. Enquanto guardei silêncio, consumiram-se os meus ossos pelo meu bramido durante o dia todo. Porque de dia e de noite a tua mão pesava sobre mim; o meu humor se tornou em sequidão de estio. Confessei-te o meu pecado, e a minha iniqüidade não encobri. Disse eu: Confessarei ao Senhor as minhas transgressões; e tu perdoaste a culpa do meu pecado. Pelo que todo aquele é piedoso ore a ti, a tempo de te poder achar; no trasbordar de muitas águas, estas e ele não chegarão.

Deus tem um/a companheiro/a para si. A Bíblia diz em Gênesis 2:18 – Disse mais o Senhor Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma ajudadora que lhe seja idónea.

Pede a Deus um/a companheiro/a. A Bíblia diz em Provérbios 19:14 – Casa e riquezas são herdadas dos pais; mas a mulher prudente vem do Senhor.

Deus lhe dará os desejos do seu coração. A Bíblia diz em Salmos 37:4 – Deleita-te também no Senhor, e ele te concederá o que deseja o teu coração. Mateus 6:8 – Porque vosso Pai sabe o que vos é necessário, antes de vós lho pedirdes.

h1

O exemplo de Kaká

julho 11, 2007

Em entrevista à publicação Vanity Fair, Kaká, meia do Milan e da Seleção Brasileira, admitiu detalhes de sua intimidade com a mulher Caroline.

O atleta confessou a dificuldade de se casar sem nunca ter tido uma relação sexual. “Sou um jovem normal e não foi fácil chegar ao casamento sem nunca ter estado com uma mulher”, disse. “Com Caroline, nos beijávamos e o desejo existia, mas sempre soubemos parar”, completou.


Kaká explicou o motivo que os levaram à escolha pela virgindade até o matrimônio. “A Bíblia ensina que o verdadeiro amor se alcança apenas com o casamento, com a troca de sangue, o que a mulher perde com a virgindade”, afirmou. “Para nós, a primeira noite foi belíssima”, completou o jogador, famoso por sua fé na religião cristã.

O meia disse ainda que, ao lado de sua atual mulher, fez muitos sacrifícios no passado. “Entre nós, quando ela ainda estava no Brasil, havia um pacto: podíamos sair com os amigos, mas, à meia-noite, voltávamos para casa e nos ligávamos”.

Retirado de Terra

h1

Semelhanças e diferenças no namoro

fevereiro 18, 2007
Todos sonhamos encontrar o parceiro ideal, aquele criado sob medida, especialmente para nós. Como encontrá-lo? Seria melhor que ele fosse bem parecido comigo ou completamente diferente? A voz do povo ensina que “os opostos se atraem”. Também determina, em outro extremo, que “dois bicudos não se beijam”. Poderia haver alguma verdade nesses ditados? Qual deles melhor se aplica a uma relação a dois? Não dá para concordar com essas afirmações radicais.

Os casais que “dão mais certo” são aqueles que têm maior número de pontos semelhantes entre si. Mas parece que se fala por aí que no namoro o parceiro deve ser alguém diferente, oposto, para completar nossa personalidade. Quando os opostos se atraem É na paixão e não no amor que os opostos se atraem, pois querem que o outro complete nele aquilo que falta. Por exemplo: se sou tímido, fico de fora das reuniões, e gostaria de pertencer ao grupo, posso pensar que a namorada ideal deveria ser alguém muito extrovertida, que conseguiria me fazer “sair da toca”.

Pelo menos iria me levar junto às reuniões. Entretanto, se a timidez é meu próprio jeito de ser, ao passar por tantas encontros de grupo que não fazem parte de mim, de meu estilo de personalidade, vou começar a me irritar com tudo isso e com tanta gente em volta da minha namorada que, para complicar ainda mais, nem percebem que eu estou ali, pois sou mais calado. Da mesma forma, se o tipo extrovertido escolher ficar comigo para ver se consegue se acalmar, com o passar do tempo ela também vai se cansar. E assim, aquela característica que nos atraiu um ao outro num primeiro momento, por ser oposta ao que somos, será exatamente a característica que vai incomodar e afastar um do outro quando a agitação da paixão diminuir. E aí não conseguimos entender por que os opostos se afastaram…

PARTICIPAÇÃO:

• Qual é a melhor maneira de enxergar estas diferenças, que vão trazer problemas no futuro, durante o namoro?

Amizade e Namoro Fico tentando entender por que razão usamos critérios diferentes quando queremos arrumar amigos ou namorados. O fato surpreendente é que muitas amizades duram mais do que parte dos namoros. Para que sejam nossos amigos temos a tendência de escolher pessoas que se parecem conosco, que têm o mesmo gosto, um jeitão parecido. E funciona! Para namorar, saímos à procura “daquela pessoa que nos completa”. Nem sempre dá certo, porque fica faltando alguma coisa. Penso que isso tem a ver com o fato de não nos aceitarmos como somos. E pensar que o outro é sempre melhor do que nós. Você já parou para pensar a esse respeito? Se não gosta de si mesmo, e se quer namorar alguém que seja o seu oposto, é sinal de que não está satisfeito com o que você é. Por isso quer no outro o que você não consegue ser. Se não posso mudar quem sou, não posso vir a ser o outro. Você já viu um tímido tentando ser extrovertido? Fica meio forçado, não é? Pois bem, se não consigo ser o outro, por mais que tente, a admiração que tenho por determinada pessoa vai acabar se transformando em inveja, que afasta um do outro. Daí, o relacionamento chega ao fim “por absoluta incompatibilidade de gênios”! Parecido, mas diferente Agora, se eu me gosto, se me aceito, tenho prazer em ser quem sou e fazer o que faço, independente do que os outros querem, vou escolher e aceitar alguém que se pareça comigo, pois eu me gosto. Se na amizade procuramos os semelhantes e dá certo, por que no namoro não agimos assim? As chances de pessoas com afinidades entre si se relacionarem bem são muito maiores do que o relacionamento com os opostos.

Bem, ter afinidade não quer dizer que não possam existir divergências ou diferenças. Todavia, estas são mais fáceis de resolver, porque o casal tem na relação muitos pontos comuns, o que facilita a busca de igualdade e companheirismo. Mesmo nos casais com maiores afinidades, as diferenças vão existir, pois cada ser humano é único, distinto um do outro. Dessa forma, ter afinidade não é ser igual, mas ter determinadas características em comum. Diferenças não são defeitos. Elas existem e servem para nos distinguir. No relacionamento, devem ser aceitas e acomodadas dentro do limite de cada um. A diferença é importante para, através dela, se criarem coisas novas e especiais na relação. Mas para as diferenças serem aceitas, é preciso ter pontos de apoio comuns à relação. Por essa razão, a Bíblia é tão sábia ao dizer que a união de pessoas de “jugo desigual” não seria positiva. Os parceiros com pontos em comum: interesses, gostos, famílias afins, tipo de educação, grau de estudo, condição financeira e religião, funcionam melhor quando juntos.

PARTICIPAÇÃO:

• Que tipos de diferenças não comprometem uma relação?

• Você acha que entre as semelhanças que devem ser buscadas está a religiosa? É importante o casal, mesmo de namorados, ser da mesma religião? Por que?

• Quando um casal de namorados tem diferenças muito fortes, mas diz que se ama, o que deve fazer?

• Que características deve ter uma pessoa para que o namoro de certo?

 

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.