Archive for fevereiro \16\-03:00 2007

h1

Ets existem?

fevereiro 16, 2007

*ASSUNTO: Os verdadeiros extraterrestres

*PERGUNTA Extraterrestres existem? A Bíblia diz algo a respeito?

*RESPOSTA

Esta pergunta tem sido feita por muitas pessoas ao longo dos anos. Especialmente em nossos dias, o assunto OVNIs (Objetos Voadores Não-Identificados) tem ocupado lugar de destaque nos meios de comunicação. Diversos filmes foram produzidos nas últimas décadas, relacionados ao assunto: ET, Arquivo X, Contatos Imediatos, Independence Day, são alguns exemplos. Pode-se dizer que isso evidencia a carência da humanidade, em sua busca desorientada pelo transcendental. Afinal, muitos já perceberam que a solução para os problemas humanos não está nas mãos do homem. Como existe muito preconceito por parte das pessoas ditas científicas e racionais, a Bíblia é descartada como fonte de informações. E a própria ciência tem se mostrado limitada frente a muitas questões com as quais as pessoas se deparam freqüentemente. Essa situação de impasse – limitação da ciência e rejeição das Escrituras – foi muito bem aproveitada pelo espiritualismo e pelo esoterismo.

Os próprios OVNIs têm sido interpretados como manifestações espirituais extraterrestres, pois as ditas naves (ou discos voadores) realizam movimentos no céu que extrapolam as leis da física (como “curvas” de 90º a altíssimas velocidades). Mas o que, afinal, a Bíblia tem a dizer sobre o assunto? Extraterrestres existem ou não? 1. A Divindade Gênesis 1:1 afirma que Deus criou o mundo “no princípio”, logo, Deus não pertence a este mundo. O mesmo é dito de Jesus Cristo, em Hebreus 1:2. A Trindade, portanto, é apresentada pelas Escrituras como eterna, sem princípio nem fim (João 1:1), e não está incluída entre as inteligências criadas. A localização do trono de Deus no Universo é muito indefinida, e é referida apenas como “Céu”, ou “Terceiro Céu” (ver II Coríntios 12:2). A comunicação da Divindade com os seres humanos tem sido abundante ao longo da História, bem como Suas visitas a Terra. De modo mais efetivo, Jesus é a suprema revelação de Deus (ver Mateus 1:23). 2. Os anjos Hebreus 1:14 informa que os anjos são “espíritos ministradores”. Os anjos existiam, sem dúvida, antes de os seres humanos serem criados (ver Jó 38:7).

O próprio Lúcifer pertencia a essa categoria antes de ter se rebelado, no Céu, sendo expulso para a Terra (Apocalipse 12:7-9). Em Gênesis 3:24 é dito que anjos foram encarregados de cuidar da entrada do Jardim do Éden, após a queda. Fica claro, então, que os anjos não são “almas” de humanos mortos, pois são mencionados pela Bíblia antes mesmo de ter havido a primeira morte. Como Lúcifer e um terço dos anjos foram lançados na Terra, este planeta é o único lugar no Universo onde existem duas categorias de seres criados, que estão em rebelião contra seu Criador. Logo, este é o único planeta onde existe a morte, e isso é fundamental para se entender as diferenças entre a concepção bíblica de ETs e a concepção corrente no mundo. 3. Outros seres extraterrestres Além da Divindade e dos anjos, a Bíblia ainda menciona outros seres que não pertencem ao nosso planeta. Em Jó 1:6 e 7 e 2:1 lemos: “Num dia em que os filhos de Deus vieram apresentar-se perante o Senhor, veio também Satanás entre eles. Então, perguntou o Senhor a Satanás: Donde vens? Satanás respondeu ao Senhor e disse: De rodear a terra e passear por ela”.

O lugar de reunião não era a Terra, pois Satanás vinha de lá, e seres humanos não têm acesso ao Céu. Então, quem eram os filhos de Deus mencionados no verso 6? I Coríntios 4:9 diz que os seguidores de Cristo se tornaram “espetáculo ao Universo, tanto a anjos, como a homens”, e Efésios 3:15 diz que “toda a família, tanto no Céu como sobre a Terra”, tomam o nome do Pai. Hebreus 11:3 diz que “os mundos” foram criados pela palavra de Deus. Os textos a seguir, da escritora Ellen G. White, fornecem maiores detalhes sobre o assunto: “[Deus] conta as estrelas, Ele que criou os mundos – entre os quais esta Terra é apenas um grão de pó, e quase não se notaria sua ausência dentre os numerosos mundos” (In Heavenly Places, pág. 40). “Deus tem mundos inumeráveis que são obedientes a Suas leis, e que se conduzem de acordo com Sua glória” (The Faith I Live By, pág. 61). “O resultado da luta [entre Cristo e Satanás] teve uma implicação no futuro de todos os mundos, e cada passo que tomou Cristo na senda da humilhação foi observado por eles com o mais profundo interesse” (Advent Review and Sabbath Herald, março de 1901).

Portanto, existem ETs, sim. Mas do ponto de vista bíblico não podemos considerar os ditos OVNs como inteligências extraterrestres por várias razões:

1. Sua existência real não foi comprovada.

2. Os “extraterrestres bíblicos” possuem meios de transporte muito mais eficientes e avançados que os “discos voadores” (ver Daniel 9:20-23). 3. O pecado não alcançou os outros mundos, logo, a morte, a destruição, as violações, os seqüestros, as crueldades e as conquistas atribuídos aos ETs, não combinam com a descrição bíblica dos anjos e outros seres perfeitos. O lado mais bonito disso tudo é saber que a ovelha perdida da parábola de Mateus 18:12 também pode representar nosso mundo perdido. Se Deus foi capaz de deixar tudo para vir morrer neste que é um dos menores planetas, um “grão de pó”, como escreveu Ellen White, isso deixa claro o quanto Ele nos ama.

Respondido por: MICHELSON BORGES

h1

Café, faz mal?

fevereiro 16, 2007

Muitas são as opiniões com relação ao uso do Café. Afinal, o Café faz mal? De certa forma sim. Alguns estudos apontam alguns benefícios no uso do Café ou bebidas cafeínadas; mas há estudos e pesquisas que mostram o contrário. Tornam-se então, assuntos polêmicos e antagônicos. A dica é: não seja radical demais nem relaxado! Como Cristãos devemos seguir a Jesus sempre dando um bom exemplo, aonde quer que estivermos. A Bíblia diz em I CORÍNTIOS 10:31: “Portanto, quer comais, quer bebais ou façais outra coisa qualquer, fazei tudo para a glória de Deus.” (VARA). Afinal, somos seus representantes aqui na Terra. Devemos cuidar do nosso corpo, dando sempre glória a Deus; ou “Acaso, não sabeis que o vosso corpo é santuário do Espírito Santo, que está em vós, o qual tendes da parte de Deus, e que não sois de vós mesmos? Porque fostes comprados por preço. Agora pois, glorificai a Deus no vosso corpo.” I CORÍNTIOS 6: 19, 20. Não há nada de errado em não tomar Café. Quem usa a Cevada ao invés do Café tem muitas vantagens. Uma delas é sua ação antioxidante, que inibe o aparecimento de vários tipos de Câncer e doenças Cardiovasculares. Outra grande vantagem é que a Cevada não possui Cafeína, um ingrediente ativo do Café. Não podemos ignorar que a Cafeína também possui propriedades benéficas para o organismo. Mas o grande problema é que a Cafeína vicia, sendo que o seu consumo em doses elevadas poderá provocar tremores involuntários, bem como aumento da pressão arterial e da freqüência cardíaca. Há ainda outros ingredientes no Café que podem elevar o nível de colesterol, além de estimular a acidez no estômago. A Cafeína pertence ao grupo de compostos das metilxantinas, no qual, o chocolate, chá preto e chimarrão estão inclusos, porém com dosagens menores. Ao contrário do que muitos pensam, a Cafeína não apresenta nenhum valor nutricional, sendo considerada simplesmente uma bebida energética. Muitos Cristãos, em especial os Adventistas do Sétimo Dia, preferem não fazer o uso do Café. É um estilo de vida saudável e barato. A cevada custa bem menos que o Café. No entanto, não devemos levar esta conduta a extremos. Por exemplo: quem sofre de enxaqueca, provavelmente terá que ingerir Cafeína. Isso porque a maioria dos medicamentos contra enxaqueca contém Cafeína. Neste caso, a Cafeína está sendo usada como medicamento, sendo que a dosagem de Cafeína não é alta. Se você não consegue sair de casa sem tomar um Cafezinho, fique alerta. Você pode estar viciado (a), e o consumo excessivo de Cafeína faz mal. Se você quer parar de tomar Café, vá devagar. Seu organismo já se habituou com o Café, e atitudes radicais poderão prejudicá-lo (a). O ideal é substituir o Café por outra “bebida” como a Cevada por exemplo. Afinal, uma xícara de Café hoje, duas amanhã, três… Até consumir uma garrafa inteira. É importante ressaltar que, o uso de medicamentos, em especial os que contém Cafeína devem ser evitados… Pois é possível haver uma dependência química do medicamento. Abster-se do café significa: gastar menos e viver mais. Você pode substituir o Café por Sucos de fruta ou até mesmo pela Cevada. Assim, você estará reforçando seu Café da manhã com uma alimentação Saudável e Vitaminada. Experimente, você vai gostar! Duas xícaras de Café Expresso por Dia, poderão aumentar significantemente a chance de desenvolver Câncer no Pâncreas. Esse número pode chegar a 80%, comparados a quem não usa o Café.

h1

Ellen White e os jovens

fevereiro 16, 2007
“Aquele que coopera com o propósito divino em transmitir à juventude o conhecimento de Deus, e em lhes moldar o caráter em harmonia com o Seu, realiza uma elevada e nobre obra. Suscitando o desejo de atingir o ideal de Deus, apresenta uma educação que é tão alta como o Céu e tão alta como o Universo.” – (Educação, pág. 19)

“Vão jovens, moços e moças e crianças ao trabalho, em nome de Jesus. Unam-se eles em algum plano ou ordem de ação. Não podeis vós organizar um grupo de obreiros, e ter ocasiões determinadas para orar juntos e pedir ao Senhor que vos dê Sua graça, desenvolvendo uma ação unida?”-(MJ, pág.197)

“Pregadores ou leigos de idade avançada não podem ter, sobre a juventude, metade da influência que os jovens consagrados têm sobre seus companheiros.”-(MJ, pág. 204)

“Vi que muitas almas se salvariam, caso os jovens estivessem no lugar em que se deveriam achar, consagrados a Deus e à verdade; mas em geral assumem uma posição em que lhes deve dedicar contínuo labor, do contrário eles próprios se tornarão do mundo… Lágrimas são vertidas por sua causa, e são arrancadas do coração dos pais angustiosos súplicas em seu favor.”-(MJ, pág. 206)

“Membros da igreja, tanto velhos como jovens, devem ser educados para sair a proclamar esta derradeira mensagem ao mundo. Se eles vão com humildade, anjos de Deus os acompanharão, ensinando a erguer a voz em oração, em hinos, e a proclamar a mensagem evangélica para este tempo.”-(MJ, pág.217) “Satanás… bem sabe não haver outra classe que possa fazer tanto bem, como os rapazes e moças consagrados a Deus.

A juventude quando reta, pode exercer poderosa influência. Pregadores ou leigos de idade avançada não podem ter, sobre a juventude, metade da influência que os jovens consagrados têm sobre seus companheiros.”-(MJ, pág. 204)

 

h1

Homossexualidade – como parar?

fevereiro 16, 2007

*PERGUNTA

Oi, Michelson. Achei muito legal o site, e esse espaço. Caro irmão, estou freqüentando a Igreja há pouco tempo, e estou sofrendo muito. Tenho um problema muito serio, e não sei como resolver. Chego a pensar que Deus me abandonou. Não tenho forças para orar, por isso quero muito a sua ajuda. Sou homossexual, tenho 22 anos, e não tenho coragem, e nem quero contar para ninguém. Todos desconfiam, apesar de que eu não tenho jeito, entende? Mas o problema é o seguinte: eu nunca tive namorada, e nem tenho atração, e nem afinidade. O que eu faço? Ajude-me, pois estou desesperado, e preciso viver! Gostaria de uma resposta clara, que me ajudasse. Prometo de todo meu coração seguir seus conselhos, e está sendo muito confortante poder desabafar.

*RESPOSTA

Prezado irmão L., todos temos problemas contra os quais lutamos. O primeiro e mais importante passo é admiti-lo e buscar ajuda, como você está fazendo. Cristo promete aliviar-nos dos fardos do pecado, ao convidar-nos a ir a Ele (Mateus 11:28). Aliás, somente Ele é capaz de mudar nosso coração, purificar nossos pensamentos e operar em nós “tanto o querer como o realizar, segundo a Sua boa vontade” (Filipenses 2:13). O apóstolo Paulo conhecia bem essa tensão que existe entre o querer fazer algo e não conseguir. Em Romanos 7:18 e 19, lemos: “Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem nenhum, pois o querer o bem está em mim; não, porém, o efetuá-lo. Porque não faço o bem que prefiro, mas o mal que não quero, esse faço.” Como vê, todo ser humano nascido neste planeta tem a tendência para o pecado. No entanto, o próprio Paulo aponta a solução para este problema em Filipenses 4:13, ao dizer que tudo é possível nAquele que nos fortalece. Isso não significa outra coisa senão a comunhão íntima que devemos manter com Deus mediante a oração e o estudo diário e devocional de Sua Palavra, a fim de que Cristo viva em nós e por nós. “Sem Mim, nada podeis fazer”, disse Jesus, em João 15, ao contar a bela parábola da videira. Nossa conexão com Cristo (a videira) deve ser constante, do contrário a “seiva espiritual” cessa de fluir em nossa vida, e secamos, sucumbindo ao mal. Tomo a liberdade de transcrever abaixo algumas palavras profissionais, extraídas do livro Consultório Psicológico, da Casa Publicadora Brasileira. No capítulo 16, o psiquiatra cristão, Dr. Cesar Vasconcellos de Souza, escreveu: “Considero o homossexualismo não como uma opção de vida, mas como o resultado do melhor que aquele indivíduo conseguiu fazer para sobreviver psicologicamente. “Todos os seres humanos têm conflitos emocionais e precisam constantemente de ajustes na personalidade para conseguir melhorar aquilo que não está bem, que não está em harmonia em seu interior. “Quando uma criança sente que para receber amor, aceitação, proteção e aconchego de seus pais, ou do responsável por sua criação, ela precisa mudar o que é como personalidade, ela estará, provavelmente, se mutilando. Estará perdendo a espontaneidade e desenvolvendo uma nova maneira de funcionar como pessoa a fim de, justamente, ver se consegue chegar a ser aquele tipo de pessoa que agradará aos outros e, assim, obter as gratificações afetivas que deseja. Ela quer afeto. Todos queremos e precisamos disso. Sem afeto, adoecemos física e/ou mentalmente. E podemos até morrer precocemente por causa da ‘fome de amor’. “O que o homossexual busca na relação afetiva com alguém do mesmo sexo é afeto. Ele (ou ela) busca o que todos buscamos, consciente ou inconscientemente: amor. “A questão que, no meu ponto de vista, faz do homossexual um indivíduo com desvio da conduta sexual, é que ele busca a afetividade – a qual, repito, todos nós precisamos e buscamos – derivando-a para impulsos erotizados dirigidos a alguém do mesmo sexo. Claro que esse é um processo inconsciente, não premeditado, resultado de muitos fatores, tais como uma forte sensibilidade emocional congênita, aliada a experiências afetivas traumáticas vividas no decorrer dos anos da infância, em que o pai (ou a mãe) do homossexual deve ter sido uma figura ausente, fraca, distante, colaborando para a formação de uma auto-imagem sexual alterada. “É importante salientar que há, também, outras formas de desvio de conduta como conseqüência da busca da afetividade, como as compulsões para jogar, para o sexo heterossexual, para a comida (chocolate, doces, etc.), para o consumo de álcool e de outras drogas ilícitas, para o trabalho, entre outras. Esses desvios são uma maneira que a pessoa encontrou para conseguir lidar com sua dor emocional (não necessariamente consciente) e poder sobreviver e conviver socialmente. … “Você não é culpado de ter impulsos homossexuais. Nem é inferior como ser humano por ter isso em sua personalidade. Creio que você não tomou uma decisão consciente, certo dia, dizendo para si mesmo: “A partir de hoje vou me tornar homossexual”, e passou a ser, desde então. “Ao admitir suas tendências, ou seja, ao evitar negá-las, você está no processo de recuperação desse desvio sexual. O primeiro passo para qualquer processo de cura, recuperação ou amadurecimento, requer a admissão da existência do problema. “Defino a homossexualidade como um desvio da sexualidade normal, por crer que Deus fez homem e mulher, macho e fêmea. Dois gêneros na raça humana. Também considero desvio sexual o heterossexual com compulsão para o sexo genital, além de outras alterações da sexualidade humana como o travestismo, o voyeurismo, a zoofilia, a pedofiia, entre outros. “Você não é perverso por ter esses desejos. Eles se desenvolveram em seu comportamento e passaram a fazer parte de sua vida devido a fatores variados. No entanto, você é responsável por seu comportamento e precisa aprender a derivá-lo para aquilo que é saudável. Esses desejos não precisam dominá-lo. Você pode obter auxílio para lidar com eles de tal modo que suas emoções não o dominem, pelo contrário, você é quem deve dominá-las. “Você pode aprender a desenvolver um amor heterossexual maduro. Boa literatura, ajuda psicológica profissional com base nos conceitos bíblicos, evitar ambientes e convívio com homossexuais que não querem mudar, é o caminho da mudança, da recuperação e do amadurecimento emocional no seu caso.” Prezado L., estarei orando por você. E não se esqueça, tudo é possível nAquele que nos fortalece. Não desista da luta. Agarre a mão de Deus e siga em frente. Jesus o ama e quer vê-lo feliz, transformado segundo a Sua própria imagem.

Respondido por: MICHELSON BORGES

h1

Cozinhar no sábado

fevereiro 16, 2007

*PERGUNTA

Tenho dúvida sobre se é ou não pecado cozinhar aos sábados, não somente em nossas casas, mas em acampamentos e reuniões da igreja.
Por exemplo em acampamento de carnaval, camporee de desbravadores. São lugares onde têm muitas pessoas, as pessoas que ficam responsáveis pela cozinha ficam quase o tempo todo envolvida com: café da manhã, quando acabam de arrumar tudo já começam a preparar o almoço, e assim por diante. Não consegue sequer acompanhar a programação. A dúvida aumenta, porque em alguns casos essas pessoas são remuneradas, recebem uma determinada quantia para cozinhar durante o evento. Por favor, esclareça essa dúvida, que não é somente minha, tenho conversado sobre isso com outras pessoas que também não conseguem uma posição definitiva sobre o assunto. Grata Keila

*RESPOSTA

Prezada Keila: Em diversas situações relacionadas com a guarda do sábado, devemos usar o bom senso, orientado, é claro, pelo Espírito Santo. Uma coisa é verdade: no caso de um acampamento (retiro) de Carnaval, as pessoas precisam também comer, e é preciso que haja alguém que faça a comida. Embora seja um trabalho necessário no sábado, e sem fins lucrativos (pelo menos deveria ser), talvez seja possível minimizar o problema: quem sabe fosse interessante organizar uma escala, para que grupos diferentes cuidem dos assuntos da cozinha no sábado; assim, não seria apenas um grupo a ser privado da programação sabática. Além disso, o alimento de sábado poderia ser mais leve, quem sabe a base de frutas, evitando assim esforço demasiado nesse dia. Enfim, há muitas formas de se lidar com esse “problema”, a fim de que o sábado, nesses eventos, seja o que realmente deve ser: uma bênção para todos.

Respondido por: MICHELSON BORGES

h1

Por que rebatismo?

fevereiro 16, 2007

*PERGUNTA

Vivo em Luanda-Angola, tenho 29 anos de idade.Sou mãe de dois filhos.Pretendo saber porquê que a igreja adventista em Angola exige o rebatismo, se a bíblia diz que ” Há um só batismo, uma só fé e um só Cristo?, não estariamos com esta doutrina do rebatismo crucificar outra vez JESUS?

*RESPOSTA

Na verdade, a prática do rebatismo é adotada pela Igreja Adventista em todo o mundo, não apenas em Angola. O texto que você menciona está em Efésios 4:5: “Há um só Senhor, uma só fé, um só batismo.” Numa análise superficial, parece que Paulo está dizendo que as pessoas devem passar pelo batismo uma única vez na vida. Mas pense bem, se fosse essa realmente a interpretação correta do verso, deveríamos aceitar que existe apenas um tipo de fé e que apenas Jeová é reconhecido como Senhor. Entretanto, as coisas não são assim, infelizmente. Existem muitos credos e as pessoas adoram vários senhores. O que Paulo está dizendo aqui, portanto, é que existe apenas um Senhor VERDADEIRO, como existe apenas uma fé VERDADEIRA (a bíblica). Da mesma forma, existe apenas um batismo VERDADEIRO, o prescrito pelas Escrituras (aplicado a pessoas adultas e por imersão nas águas, depois do devido preparo do candidato). Assim, o apóstolo não está dizendo que se deve passar apenas uma vez pelo batismo, mas que se deve receber o batismo verdadeiro, não importando quantas vezes. A Igreja Adventista do Sétimo Dia aplica o rebatismo em caso de rompimento da pessoa com Jesus e com a igreja. Nesse caso, a pessoa está rompendo os votos de compromisso que fez por ocasião do primeiro batismo, devendo renová-los no rebatismo. Na verdade, é até um privilégio a pessoa poder declarar publicamente seu retorno aos braços do Pai e à comunhão da Igreja.

Respondido por: MICHELSON BORGES

h1

Pecado contra o Espírito Santo

fevereiro 16, 2007

 

*PERGUNTA Gostaria de receber uma resposta bem fundamentada sobre o que é o pecado contra o Espírito Santo, e por que para este pecado não há perdão.

 

 

*RESPOSTA

Prezado S., como você deve saber, as únicas respostas bem fundamentadas sobre religião são aquelas baseadas nas Escrituras Sagradas. Vejamos, então, o que a Bíblia ensina sobre o pecado contra o Espírito Santo. De Jesus temos a confortante e animadora promessa: “E por isso vos declaro: Todo pecado e blasfêmia serão perdoados aos homens” (Mat. 12:31). Graças a Deus por essa gloriosa certeza! Qual o significado, então, do final do versículo 31? “…mas a blasfêmia contra o Espírito Santo não será perdoada” (Veja também Mar. 3:28 e 29.) Para compreender essa passagem é preciso entender quem é e qual a obra do Espírito Santo. Ele é a terceira pessoa da Santíssima Trindade (Mat. 28:19). E é o único agente que leva a pessoa a reconhecer o pecado: “Convencerá o mundo do pecado” (João 16:8). Ele produz o novo nascimento (João 3:1 a 8); guia em toda a verdade (João 16:13); fortalece para a obediência (Efés. 3:16); age no homem (Gên. 8:26); e intercede por nós (Rom. 8:26). Todo pessoal, íntimo trabalho de Deus sobre o ser humano é realizado pelo Espírito Santo. Cada impulso para o bem e para a verdade é implantado por Ele. Cada desejo de santidade é nutrido por Ele. Seu trabalho é tão indispensável à convicção, conversão, arrependimento, segurança, enfim, a cada operação da divina graça, que nada disso poderia ocorrer sem Ele. Mas continua a pergunta: O que é o pecado contra o Espírito Santo? Esse pecado não é feito por um único ato, num instante, mas sim por etapas. Vejamos como pode acontecer: 1.

Vez após vez Jesus, mediante o Espírito Santo, bate à porta do coração e pede entrada (Apoc. 3:20). Quem não abre a porta e O deixa esperando do lado de fora, dá assim o primeiro passo: entristece o Espírito Santo (Efés. 4:30). 2. Talvez com medo de que Ele force entrada, essa pessoa resiste, usa toda força possível para Ele não entrar, pois não deseja ter Sua companhia – é o segundo passo (Atos 7:51). 3. Para ter certeza de que Ele não incomodará mais, procura abafá-Lo, apagá-Lo (I Tess. 5:19). É o terceiro passo. 4. Então, de tanto resistir, a consciência e o coração se tornam endurecidos (Heb. 3:13). 5. Finalmente o Espírito Santo o abandona. Que triste fim! Na Bíblia temos muito exemplos dessa triste experiência. Os antediluvianos (Gên. 6:3, 5, 11 e 12); Faraó (Êxo. 8:15); Judas (Luc. 22:3); alguns fariseus (Mat. 12:24). Portanto, o pecado contra o Espírito Santo é a persistente rejeição aos apelos dEle. Na verdade, não é que Deus não esteja disposto a perdoar, é o pecador que já não quer o perdão. E pecado do qual não há arrependimento e confissão, não pode ser perdoado. Freqüentemente pessoas sinceras expressam o temor de haverem cometido o pecado imperdoável. Lembremos que enquanto alguém crê de todo o coração que Jesus é o Filho do Deus vivo e o Salvador do mundo, enquanto deseja a salvação, pode estar certo de que não cometeu o pecado imperdoável. Satanás empenha-se em desanimar as pessoas fazendo-as crer que cometeram o pecado imperdoável. Assim as leva a abandonar a esperança e perder-se. A pessoa que endureceu o coração aos apelos do Espírito Santo nunca mais sente desejo de se arrepender, nem se importa com sua salvação. Como evitar pecar contra o Espírito Santo?

Há pelo menos três maneiras:

1. Conservando o coração sensível aos menores apelos do Espírito, e respondendo “fala, porque o Teu servo ouve” (I Sam. 3:10).

2. Tendo cuidado para não resistir voluntariamente à conhecida vontade de Deus (Isa. 50:5). 3.

3.Cultivando o hábito de pronta obediência quando Deus assim o exigir (Sal. 18:44; 119:60).

Respondido por: MICHELSON BORGES

h1

2300 tarde e manhãs

fevereiro 16, 2007

 

*PERGUNTA: O período que para nós corresponde as 2.300 tardes e manhãs (ver Dan. 8:14) começou em 457a.C e terminou em 1844, certo? O problema é que nesse período se passaram 2.301 anos. Como explicar isso? De 457 a 0 e de 0 a 1844 = 2.301. – F.

 

 *RESPOSTA: Estudos históricos bem abalizados demonstram que, até meados do século 19, a grande maioria dos comentaristas bíblicos protestantes interpretava as 2.300 “tardes e manhãs” como 2.300 anos (veja os citados por LeRoy E. Froom, The Prophetic Faith of Our Fathers, págs. 204-268; ou Alberto R. Timm, O Santuário e as Três Mensagens Angélicas [Engenheiro Coelho, SP: Imprensa Universitária Adventista, 2000], págs. 21-25).

Essa mesma interpretação continuou sendo aceita nos círculos protestantes pelo menos até o final do século 19. Existem várias razões que nos levam a aplicar o princípio “dia-ano” de interpretação profética às 2.300 tardes e manhãs. Uma delas é o relacionamento entre as 2.300 tardes e manhãs e as 70 semanas de Daniel 9:24-27. A visão sobre as 70 semanas foi dada a Daniel como explicação adicional à visão das 2.300 tardes e manhãs (ver Dan. 8:14, 26 e 27; 9:20-27).

 Nessa explicação, o único ponto de partida mencionado, que deve ser comum a ambos os períodos proféticos, é a expressão “desde a saída da ordem para restaurar e para edificar Jerusalém” (Dan. 9:25). Essa ordem entrou em vigor em 457 a.C. (ver Esd. 7:13). E não há como fazer com que as 70 semanas se estendam “até ao Ungido, ao Príncipe” (Dan. 7:25), entre 27 e 34 d.C., sem que este período seja considerado como 70 semanas de anos, ou seja 490 anos. Agora, se aplicamos o princípio dia-ano às 70 semanas, como grande parte dos comentaristas o fazem, também devemos aplicá-lo às 2.300 tardes e manhãs.

Outra razão é o próprio contexto histórico. A visão das 2.300 tardes e manhãs foi dada “no terceiro ano do reinado do rei Belsazar” (Daniel 8:1), rei de Babilônia. O cumprimento deveria ocorrer, segundo a própria visão, em “dias ainda mui distantes” (Daniel 8:26), estendendo-se “desde a saída da ordem para restaurar e para edificar Jerusalém” (Dan. 9:25), ou seja de 457 a.C., até o “tempo do fim”, o “último tempo da ira” e o “tempo determinado do fim” (Dan. 8:17 e 19). Se interpretarmos as 2.300 tardes e manhãs como 1.150 dias literais (3 anos e meio) ou mesmo como 2.300 dias literais (7 anos), como alguns fazem, esse período não chegaria ao final do domínio persa, e muito menos ao tempo do fim.

Portanto, devemos interpretar as 2.300 tardes e manhãs como 2.300 anos. Mas, conforme você mesmo destacou, de 457 a.C. a 1844, temos 2.301 anos. Isso ocorre porque freqüentemente se esquece de que não houve um ano 0 (zero). A contagem, no calendário, é feita assim: …- 3, -2, -1, 1, 2, 3… Jesus não nasceu no ano 0, mas no ano 1. Por isso, levando-se isso em conta, o cálculo das 2.300 tardes e manhãs está correto.

 Respondido por: MICHELSON BORGES

 

h1

Como duvidar?!?

fevereiro 16, 2007

Que todos nós possamos refletir nesse vídeo. Como podemos duvidar de um Deus tão maravilhoso?!?

[Espere carregar e vá lendo a letra lá em baixo…]

Como Duvidar

Novo Tom

Composição: Indisponível

As ondas do mar quebrando em uma praia,
O veludo azul do céu bordado de estrelas
Cores diluídas em uma floresta
cachoeiras soando como grande orquestra
As lágrimas do orvalho desenhadas em uma rosa
A lua iluminando uma estrada de terra
O gosto açucarado de um favo de mel
O amanhecer pintado em tom pastel
Refrão:
Como duvidar de um Deus tão poderoso
De um ser tão detalhista que pintou o mundo com suas mãos
Como duvidar?
De um ser que me faz respirar
Comanda os planetas
E se importa com as palavras que eu falar, como duvidar?
A grandiosidade de uma montanha
O trabalho árduo, em um formigueiro
Um arco-íris rasgando o céu cinzento
Dunas esculpidas pelo sopro do vento
O sol se escondendo no horizonte distante
Poesia existente em um nascimento
A brisa balançando uma rede na varanda
O som de crianças brincando de ciranda
Refrão:
Como duvidar de um Deus tão poderoso
De um ser tão detalhista que pintou o mundo com suas mãos
Como duvidar?
De um ser que me faz respirar
Comanda os planetas
E se importa com as palavras que eu falar, como duvidar?

[Agora, pode ver o vídeo!]

h1

Mandamento mais importante

fevereiro 16, 2007

 

*PERGUNTA

Irmão gostaria de saber qual dos mandamentos é mais importante para Deus? Pergunto isso porquê eu trabalhei um sábado e fui disciplinado por três meses. Um outro irmão da mesma igreja, teve uma briga feia de porradas e tudo mais, com outro irmão que não é da nossa igrega, e este referido irmão foi disciplinado apenas um mês. Uma outra irmã patrocinou uma festa de santo antonio na igreja católica, e ela só pegou um mês de disciplina. Estes três erros que cometemos estão na santa lei do Senhor. Agora eu pergunto porquê essa diferênça? Será que para Deus há essa diferênça? Será que Deus Agiria Assim? 14 Pois toda a lei se cumpre numa só palavra, a saber: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo. (Gal. 05:14)

*RESPOSTA

Prezada irmã, antes de mais nada é bom deixar claro que a Igreja, quando aplica a disciplina, deve agir tendo em vista a salvação da pessoa e a manutenção do bom nome da organização. Disciplina não é sinônimo de punição, pura e simplesmente. Por isso, encare a disciplina como uma reprovação carinhosa com o objetivo de ajudá-la em sua vida espiritual. Evidentemente que todos os pecados são ofensivos a Deus e que os mandamentos têm a mesma importância para Ele. O que ocorre é que algumas transgressões têm maiores repercussões e trazem conseqüências mais graves. Por exemplo: o adultério arrasa vidas e afeta mais pessoas do que a transgressão do sábado, por exemplo. Ambos são pecado, mas os efeitos sobre a igreja e mesmo sobre as pessoas mais chegadas (como parentes) são diferenciados. Ao analisar um caso de disciplina, a Comissão da Igreja deve levar tudo isso (e outros aspectos mais) em consideração, podendo o tempo de disciplina variar, dependendo do caso. Tente não ver essa situação com rancor, nem comparar sua disciplina com a de outros (mesmo que eventualmente tenha havido algum equívoco de julgamento), mas aproveite o momento para fazer uma análise de sua vida espiritual e renovar seus votos de compromisso com Deus. O mais importante é você se apegar a Cristo e decidir seguir em frente, com Ele. Que Deus a abençoe.

Respondido por: MICHELSON BORGES