Archive for fevereiro \29\-03:00 2008

h1

Realidade Virtual

fevereiro 29, 2008

Nos últimos anos temos sido telespectadores de grandes avanços na área da tecnologia. Há 15 anos, ter internet no Brasil era simplesmente um sonho bem distante. No entanto esta, hoje, já faz parte da nossa vida nas atividades mais simples, como: Pagamento de contas, comunicação com os amigos, busca de informação sobre um determinado assunto, entre outros. São perceptíveis as mudanças que vêm ocorrendo neste âmbito, iniciado assim uma nova era no sentido da interação homem-máquina, pois a maneira com que os humanos interagem com essa, faz com que cada vez mais seu estilo de vida mude bastante.

Um dos últimos avanços nessa área foi a notícia de que engenheiros da Universidade de Washington usaram técnicas avançadas de fabricação para combinar uma flexível e segura lente de contato e circuitos eletrônicos integrados que poderiam ser usadas nos olhos como qualquer outra lente de contato. Isto certamente é um produto que quando estiver disponível para uso irá modificar ainda mais as nossas vidas. As lentes poderão servir para substituir telas de computadores, TVs, e até nos dar super-poderes (visão de longo alcance, quem sabe!).

Que isto vai acontecer todos nós sabemos, é claro, se Nosso Senhor Jesus não voltar antes. Mas a grande questão, é: Será que estamos preparando as nossas vidas como cristãos para enfrentar este mundo de hoje, sendo ele também o mesmo no qual viveremos até o Grande Dia? Será que as novelas, o MSN, o Orkut, não estão roubando o nosso tempo de comunhão com Deus, o tempo de relacionamento com as nossas famílias, a atenção que deveríamos dedicar as nossas namoradas(os) ou esposas(os)? A cada dia Satanás tem tornado as suas armadilhas menos notórias, fazendo com que uma batalha intelectual intensa venha sendo travada em nossas mentes.

Certamente temos que buscar a cada dia forças em Deus para vencer e ultrapassar as dificuldades impostas pela astúcia de Satanás. Somos dotados de uma sabedoria provinda dos céus, e dessa forma, o esperado é que estejamos preparados para os desafios que estão por vir, sendo cristãos com hábitos saudáveis e com mentes limpas para termos um bom relacionamento com Deus. Dessa forma, estaremos mostrando através de nossas atitudes, que somos pessoas que escolheram ter a Cristo em primeiro lugar no coração.

—————————–

Fonte: Boletim da Igreja Adventista de Boa Viagem, por Marcondes Ricarte.

h1

Na mídia

fevereiro 26, 2008

Como líder de Comunicação da igreja que freqüento, tenho percebido o quanto a Adventista do Sétimo Dia tem “aparecido” na mídia. O auge foi no dia 23 de janeiro deste ano, quando a matéria sobre longevidade realizada por Ana Paula Padrão (programa SBT Realidade) foi transmitida. A reportagem apontava os segredos de como obter vida longa dos moradores de Loma Linda. Entre os fatores influenciadores na longevidade dos cidadãos da Califórnia, estavam o vegetarianismo e a fé dos adventistas da cidade.

Uma matéria semelhante já havia sido publicada pela National Geografic, em 2005. Porém, foi após a de Ana Paula Padrão que a Adventista ganhou mais visibilidade. O jornal O Globo e o programa Fantástico (deste último domingo) também realizaram matérias sobre o assunto. Já no sábado (23), tivemos o lançamento oficial da terceira edição do projeto Vida por Vidas. Aqui em Pernambuco, alcançamos grande espaço em jornais, rádios e telejornais locais.

Após tanta repercussão da igreja, fiquei pensando nas profecias. A mensagem realmente está sendo pregada a toda nação. De uma forma ou de outra, a sociedade agora está tendo a oportunidade de ouvir ou conhecer a Igreja Adventista. Além de acreditar que este é o momento para estarmos preparados para a Segunda Vida de Cristo, penso que podemos ajudar neste papel de levar essa mensagem. Vamos aproveitar essa visibilidade para mostrar àqueles que não conhecem a Cristo que a esperança é Jesus!

Boa semana para todos.

Abraço!

h1

Enganados pela Nova Era

fevereiro 25, 2008

Gostaria de analisar três pensamentos da Nova Era à luz da Bíblia:
– ela não é uma religião;
– é uma evolução das religiões e
– ajuda os cristãos a serem melhores cristãos.

Será que isto é verdade? Vamos analisar ponto a ponto:

Primeiro: os propagadores do movimento Nova Era em suas propagandas insinuam que este movimento não é uma  religião; é um movimento que unirá todas as religiões (vem daqui o pressuposto muito comum entre o povo de que todas as religiões são boas, porque todas levam a Deus); Para analisarmos isto, lembremos que a palavra religião vem de re-ligar; toda filosofia que tende a aproximar o homem da divindade – religar – mesmo que se suponha esta divindade dentro do próprio homem, como falam algumas correntes, é, sim, uma religião.

Segundo: Outra idéia de que discordamos é a de que a Nova Era é uma evolução das religiões, do pensamento humano; Atribuem a quem não comunga com seus pensamentos o rótulo de conservadores retrógrados; Na verdade, a Nova Era não é uma evolução de filosofias ou estado espiritual do homem. A sua filosofia básica: a de que podemos evoluir  constantemente, até chegarmos a ser divindades foi apresentada pelo inimigo, no Jardim do Éden a Eva: “Sereis como Deus” e “certamente não morrereis”;

Terceiro: Outra afirmação falsa: a de que a Nova Era ajuda as pessoas de cada religião a viver melhor as suas religiões; Ajudaria melhor os cristãos a viver o seu cristianismo. Não existe comunhão possível entre o cristianismo puro e a Nova Era. Isto pode ser demonstrado:
1) pela diferença entre as fontes de suas doutrinas;
2) sobre o que cada linha de pensamento fala sobre Jesus e;
3) as próprias palavras de Jesus, principalmente sobre o futuro próximo do Mundo.
4) Fonte Das Doutrinas

A Nova Era não tem líderes, porém o seu pensamento é uniforme em todo o mundo, porque a inspiração de sua filosofia é a mesma em todas as correntes espiritualistas, seja ela descrita como sendo espíritos iluminados com maior evolução, ou espírito dos mortos; O cristianismo tem sua base de sustentação na Bíblia; Esta se estudada, séria e objetivamente, mostrará que os mortos não tem consciência, que o povo de Deus não deve consultar necromantes (espíritas), videntes, astrólogos e que as únicas entidades espirituais que poderiam assumir o papel de espíritos desencarnados seriam os anjos caídos, em sua vontade de enganar e desencaminhar as pessoas do relacionamento puro e verdadeiro com Deus.

As pesquisas teológicas sérias tem mostrado a unidade da inspiração – divina – da Bíblia e como ela não teve alterações significativas nestes milhares de anos desde sua escrita original. Isto está sendo corroborado agora pelas pesquisas nos Manuscritos do Mar Morto onde livros inteiros do Velho Testamento – transcritos aproximadamente na época em que Jesus viveu entre nós – estão sendo recuperados e constatados serem o que nós temos nas nossas Bíblias. Deus conservou a Bíblia mesmo na Idade Média e na Idade da Razão (revolução francesa,…), quando ela foi deliberada e extensivamente
atacada.

Outros fatores de prova da inspiração divina da Bíblia são as predições de acontecimentos que viriam a acontecer e  realmente aconteceram como a Bíblia registrou: O período quando Jesus – o Messias – deveria nascer e a forma de sua vida e morte, a sucessão dos reinos na estátua de Daniel, a queda e levantamento dos reinos preditos por Ezequiel, a morte dos filhos do reconstrutor de Jericó, a queda e assolação de Jerusalém pelos exércitos romanos e muitas outras.

A maior prova, entretanto, da inspiração divina da Bíblia está no poder que suas palavras tem de transformar vidas  humanas. 2) Quem É Jesus Nos ensinos da Nova Era, a palavra Cristo quer dizer “iluminado”. Assim equiparam Jesus Cristo a Buda, a Maomé e a outros, chegando mesmo a falar que Jesus Cristo teria sido um espírito iluminado de escala menor, que foi conduzido por um espírito iluminado de escala maior, Maitreya. Após Ter a pessoa ter se interessado – através da adaptação de algumas das palavras de Jesus – pelos ensinos da Nova Era, ele é levado a fundamentar a sua filosofia nos gurus da Nova Era, espíritos ou médiuns: Helena Blavatski, Alice Bailey, Saint-Germain, e outros.
 
A partir deste ponto as palavras de Jesus Cristo passam a valer cada vez menos. Principalmente as advertências [Isto me foi comunicado por alguém que pertenceu ao movimento]. Na verdade, o significado bíblico da palavra Cristo é “o ungido” [e não “o iluminado”]. Como eram os reis e sacerdotes da época bíblica. Indica que Jesus Cristo é o único rei e sumo-sacerdote; poderoso e único intercessor entre o homem e a divindade.

As Palavras De Jesus/O destino do Mundo Todas as filosofias e religiões englobadas pela Nova Era são unânimes em prever um futuro brilhante para o Mundo, cada vez melhor, contínua e progressivamente. Atos de unificação e concórdia mundial já estão sendo creditados ao novo líder, Maitreya, que está sendo esperado como o líder da Era de Aquário, numa clara indicação de continuidade (veja www.ddnet.es/share_ediciones). Nosso Senhor Jesus Cristo declarou em Seu sermão profético, em São Mateus 24 e 25 e em São Lucas 21 que no período do fim do mundo aconteceria: O aparecimento de falsos profetas (Mat. 24:24); Que estes falsos profetas dizendo ser Cristo, enganariam quase todo mundo (Mat. 24: 4, 5, 11 e 24);

Que muitos que “professavam” ser seguidores de Jesus, na verdade não o eram e seriam rejeitados por Ele, quando do Seu retorno à Terra. Que os falsos cristos apareceriam em vários lugares – Mat. 24:26 – (podemos ter certeza de que hoje seria também em cadeia global de rádio e TV), mas que somente o verdadeiro apareceria no Céu visível como um relâmpago para todos ao mesmo tempo, na Terra (Mat. 24:27; Luc. 21:27) – e este será o maior sinal de diferenciação entre o falso e o Verdadeiro. Uma ruptura/descontinuidade da história do mundo; os justos serão levados para o Céu com Jesus (Mat. 24:31). Os mortos bons ressuscitarão, como diz São Paulo nos lindíssimos versos de II Tessalonicenses, cap. 4. Portanto não poderão estar desencarnados, nem Ter reencarnado.

CONCLUSÃO
Estas ocorrências nos devem levar a Ter uma postura séria sobre os fatos que estão a ocorrer e a importância de: separar o erro da verdade; nos preocuparmos agora com nosso destino de conseqüências eternas (que poderá estar muito próximo, pois a morte, infelizmente, pode estar na próxima esquina); ajudar outros a terem uma visão mais aberta e esclarecida sobre os movimentos místicos de final de milênio. Um dos conselhos mais significativos de Nosso Senhor Jesus Cristo para quando virmos estes fatos começarem a ocorrer está registrado em Lucas 21:28: “Ora, quando estas coisas começarem a acontecer, olhai para cima e levantai as vossas cabeças,porque a vossa redenção está próxima”.

O apóstolo São Paulo em II Coríntios descreve que não podemos nem ao menos imaginar as coisas que Deus preparou para nós, no futuro, de tão boas que são. Esta afirmativa deveria nos fazer refletir seriamente sobre a importância de conhecermos realmente a Deus – como só a Bíblia pode fazê-lo – através de Jesus e estabelecermos uma relação de companheirismo e comunhão com Ele através da oração. Se hoje aparecesse alguém em cadeia mundial de rádio e TV, dizendo ser o novo cristo, você acreditaria? (São Paulo escreveu que Satanás tem poder para se transformar num anjo de luz…).

Você conhece suficientemente bem o Deus da Bíblia para diferenciá-Lo de imitações? Temos tudo a ganhar ou a perder. E o que ganharemos começa com uma nova vida, mais feliz, logo aqui, agora, com Jesus.Espero, sinceramente, ter enriquecido o seu ponto de vista e ter ajudado você a fazer a sua melhor escolha.

Enganado pelo Nova EraRecomendo a leitura do livro “Enganado pela Nova Era” pois nos mostra como a Nova Era esta entrando aos poucos em nossas vidas.

Vinicius A. Miranda

h1

Como Votar

fevereiro 16, 2008

PERGUNTA: Gostaria uma explicação quanto ao assunto de votar, pois fiquei muito curioso ao ver esse texto o outros de Ellen White?

“O Senhor quer que Seu povo enterre as questões políticas. Sobre esses assuntos, o silêncio é eloqüência. Cristo convida Seus seguidores a chegarem em unidade nos puros princípios evangélicos que são positivamente revelados na Palavra de Deus.

Não podemos, com segurança, votar por partidos políticos; pois não sabemos em quem votamos. Não podemos, com segurança, tomar parte em nenhum plano político. Não podemos trabalhar para agradar a homens que irão empregar sua influência para reprimir a liberdade religiosa, e pôr em execução medidas opressivas para levar ou compelir seus semelhantes a observar o domingo como sábado.

O primeiro dia da semana não é um dia para ser reverenciado. É um falso sábado, e os membros da família do Senhor não podem ter parte com os homens que o exaltam, e violam a lei de Deus, pisando Seu sábado. O povo de Deus não deve votar para colocar tais homens em cargos oficiais; pois assim fazendo, são participantes nos pecados que eles cometem enquanto investidos desses cargos.” (Fundamentos da Educação Cristã pág.475)

RESPOSTA: Creio que o texto é bastante claro: não devemos votar motivados tão-somente pela sigla partidária. Devemos, sim, avaliar o condidato como pessoa. Conhecer suas propostas, seu estilo de vida e, principalmente, sua relação com o assunto liberdade religiosa

Votar é uma questão de cidadania e devemos exercer esse direito com sabedoria e prudência. Desde que esse direito não conflite com nossos princípios religiosos (que devem estar acima de qualquer outra coisa), podemos e devemos exercê-lo.

Respondido por: MICHELSON BORGES

h1

Cristãos-Estilos Musicais

fevereiro 16, 2008

Faz tempo! Com a correria desse período de carnaval ficou complicado escrever. Mas inspirado na folia (dos outros!!), pensei em algumas classificações de cristãos.

Grande parte, dos que gostam de axé, também acham uma boa coisa ficar – nas micaretas e nos blocos – olhando pra cima o tempo todo atrás das “estrelas” que tocam, cantam e dançam nos trios-elétricos. A festa passa e o que fica é o corpo e a mente cada vez mais cansados e vazios. Isso também está presente no Cristão-axé: vai aonde tem “agito”. Não perde um acampamento, uma Campal e muito menos um Campori. Admira os cantores e pregadores que ele vê nesses eventos. Com isso sua chama até se acende ao se sentir tocado pelas mensagens, mas – como no dia seguinte do fã de axé – por falta de comunhão a chama se apaga. Tal qual a parábola do semeador, sua semente germina mas morre entre as pedras.

Podemos falar muita coisa dos fãs de heavy metal, mas uma coisa é verdade: na maioria, eles são fiéis ao som que gostam. Talvez, após tantas críticas ouvidas de que seu estilo(?) é puro barulho, eles se apegam cada vez mais aos berros e distorções pesadas. Extravasam balançando a cabeça repetindo os gestos dos músicos. Outra característica é sua indumentária sempre escura e cheia de adereços (brincos, pulseiras, colares…). Costumeiramente se fecham aos outros estilos musicais, inferiorizando-os. Não é necessário ao Cristão-heavy metal trajar preto, ter botas de cano longo e muito menos usar calças de couro… Mas similar aos metaleiros, ele se apega muito a algo, e no seu caso é a Igreja (como prédio). Chega sempre meia hora antes dos cultos começarem, briga com as crianças pelo barulho que elas fazem, reclama que está faltando isso ou aquilo no templo… Endurece cada vez mais as relações com os outros membros, e chega a pensar que só obras são suficientes para seguimento do evangelho. Em comparação com os fãs de heavy metal e suas aversões aos outros estilos, rejeita as idéias dos outros, se isolando ao achar que sempre está certo. Assemelha-se aos fariseus dos tempos de Jesus, importando mais parecer do que ser.

A Bossa-Nova é um gênero musical surgido no Brasil, na segunda metade do século passado, que uniu influências principalmente do jazz, do samba-canção e do choro. A simplicidade na quantidade de instrumentos (muitas vezes só voz e violão) e na divisão rítmica contrasta com a grande elaboração dos arranjos e das letras. Nas canções calmas, entretanto, muito bem compassadas o estilo de vida dos interpretes muitas vezes se reflete; e a inspiração dos temas quase sempre gira em sentimentos e um tom melancólico se faz presente. O Brasil já teve até um presidente dito bossa-nova – Juscelino Kubitschek. Essas características se refletem no Cristão-Bossa nova em relação as sua formação: como o ritmo, não deixa para trás definitivamente as influências passadas. Ele é foi oriundo de uma junção de coisas mundanas e espirituais, mas que ele não está disposto a separar para “ser nova criatura”. Por isso, ele deixa com muita naturalidade de ir ao culto de quarta feira para jogar sua partida de futebol com os amigos. Em vez de dormir mais cedo para acordar bem e ler a bíblia, o 24 Horas de 1h00 da manhã é imperdível! Tenta servir aos dois senhores, e cada vez que ele aceita as influências mundanas – em detrimento das espirituais – ele se entristece. Fica melancólico como um “Chega de Saudade” de Vinícius de Moraes!!!

Cuidemos para que não nos tornemos como esses tipos acima descritos. Vamos nos apegar a Cristo cada dia mais, para que sejamos Cristãos-Temas CD dos Jovens: “Vivo por Jesus”, pois “Sou de Jesus” e graças a Ele sou um “Vencedor Cada Dia”.

Até mais

Guilherme Hugo

h1

Escova de dentes e Bíblia: qual o mais importante?!

fevereiro 15, 2008

Estava no retiro espiritual na época do carnaval e, pelo menos aqui, há programações em que as mulheres fazem para os homens e os homens para as mulheres.

No dia em que as mulheres iriam fazer seu programa aos homens aconteceu uma coisa interessante. Alguns objetos nossos estavam desaparecendo. Notamos a ausência de um tênis(detalhe:só desaparecia um pé), um chinelo, um saco cheio de biscoito, pijama e até um óculos desapareceu. E assim as coisas foram sumindo.

Quando fui ver as minhas coisas, senti a falta da minha escova de dentes e minha Bíblia. “Eita, minha escova de dentes!” Agora, pense aí, passar o dia sem a escova…….. (tive que fazer o higiene bucal com o dedo). Como é que elas tiveram a coragem de fazer isso conosco?! Impressionante…

Passado o dia e chegada a programação, conseguimos as coisas de volta. Que bom hein!

Mas o que me fez pensar com essa história foi a importância que nós damos às coisas.  Enquanto, passei o dia querendo a escova para utilizá-la, com a Bíblia foi diferente. Só li de manhã, antes de a pegarem, mas, no restante do dia, senti menos falta. Por quê?! Será que a Bíblia não é mais importante do que a escova? Será que não precisamos tanto nos alimentar dela durante o dia?

É….. Temos que dar mais importância a Palavra de Deus. É através dela que podemos conhecer um Deus maravilhoso, é através de suas palavras que podemos ser transformados, é através dela que nos alimentamos espiritualmente. É um verdadeiro manual da vida. É a própria verdade. Nela encontramos a Vida.

“Assim será a palavra que sair da minha boca: não voltará para mim vazia, mas fará o que me apraz e prosperará naquilo para que a designei.” Isaías 55:11

“Inclinai os ouvidos e vinde a mim; ouvi, e a vossa alma viverá” Isaías 55:3

“Achadas as tuas palavras, logo as comi; as tuas palavras me foram gozo e alegria para o coração, pois pelo teu nome sou chamado, ó SENHOR, Deus dos Exércitos.” Jeremias 15:16

“Santifica-os na verdade; a tua palavra é a verdade.” João 17:17

“O espírito é o que vivifica; a carne para nada aproveita; as palavras que eu vos tenho dito são espírito e são vida.” João 6:63

Lâmpada para os meus pés é a tua palavra e, luz para os meus caminhos.” Salmos 119:105

“Há constante necessidade de paciência, delicadeza, abnegação e altruísmo na prática da religião da Bíblia. Mas se a Palavra de Deus é feita um princípio permanente em nossa vida, tudo que tivermos de fazer, cada palavra, cada ato, mesmo que trivial, revelará que somos sujeitos a Jesus Cristo, que até nossos pensamentos foram levados cativos a Ele. Se a Palavra de Deus é recebida no coração, esvaziará a alma da auto-suficiência e presunção. Nossa vida será um poder para o bem, porque o Espírito Santo nos encherá a mente com as coisas de Deus. A religião de Cristo será praticada por nós; pois nossa vontade está em perfeita conformidade com a vontade de Deus.” Review and Herald, 4 de maio de 1897.

p.s:Vejam esses dois links:

http://missaojovem.org/meditacao.php?data=17/04

http://missaojovem.org/meditacao.php?data=18/04

 

Vale a pena! E que possamos dar mais valor a Palavra de Deus e não somente ler, mas meditar, estudar e torná-la o nosso manual de vida.

Um abraço

 Felipe Moura

 

h1

Ide e fazei discípulos

fevereiro 11, 2008

A lição da Escola Sabatina tem falado bastante sobre discipulado. Desde que este tema tem começado a ser abordado (insistentemente para falar a verdade), fiquei refletindo seriamente sobre o assunto. Ser discípulo não é fácil. Nunca foi, não é verdade? Fico imaginando àqueles homens escolhidos por Cristo que colocaram as suas vidas em segundo plano para seguir a Jesus. Não só os doze discípulos “oficiais”, mas todos os outros seguidores, inclusive mulheres, como a lição já abordou, também seguiram ao Filho de Deus.

Seguir a Cristo, pelo menos no meu ponto de vista, não é apenas buscar imitar os passos de Jesus. Ser discípulo envolve uma série de fatores e uma vida imensa de comunhão com Deus. Para seguir a Jesus não é simplesmente seguir só quando você desejar, mas permitir que Cristo habite em seu ser. Além da abdicação do “eu”, você precisa permitir que Deus comande a sua vida. Precisa de uma vida de dedicação, agradecimento, comunhão e coragem. Lógico, necessita dar um bom exemplo de cristianismo, assim como Jesus deu. Você precisa anunciar a mensagem do evangelho. E claro, o mais importante: você necessita amar ao Pai. Parece difícil, não é? Mas não é algo que o torne impossibilitado de fazer. O primeiro passo é surgir em seu coração à necessidade de ser um discípulo. Depois, ore e o Espírito Santo vai agir na sua vida.

“Entrego a Ti a minha vida, Senhor. Entrego a Ti tudo que sou. Como viver sem Teu amor? Renova meu ser e faz de mim um vaso novo. Quebra e molda o meu interior. Dá-me um novo coração, sei que Tens o melhor pra mim”. Assim como a fala a música da Rafaela Pinho, acredito que ser discípulo é você descansar na presença do Senhor. Ser discípulo é amar a Deus e entregar a vida a Ele. Espero que neste dia você também possa sentir esta necessidade de ser um discípulo para que possamos fazer “discípulos de todas as nações”.

“E este evangelho do reino será pregado em todo o mundo, em testemunho a todas as nações, e então virá o fim”. Mateus 24:14

h1

As Tags do YouTube e a vida do cristão

fevereiro 10, 2008

Devido ao começo das aulas, não pude escrever algo aqui pelo blog. Mas, estou me organizado para escrever periodicamente. É importante, que tenhamos planejamento em nossas coisas. Mas isso é coisa para outro post. Nesse quero falar a respeito de uma experiência que tive ao assistir um vídeo do youtube.

Muitas pessoas visitam esse site de vídeos, é o mais popular do tipo. Em 2006 dominava 50%do mercado. A revista norte-americana Time elegeu o Youtube em 2006 a melhor invenção do ano. Era de se esperar…

Ao ver um vídeo, se não me engano era de anatomia humana. Meu pai e irmã estavam comigo vendo, porque meu pai queria nos mostrar algo ali. Ao ver aqueles vídeos, percebemos que nos vídeos relacionados ao lado apareciam alguns vídeos estranhos, na verdade não era o que nós estávamos querendo ver. Apareciam ali vídeos pornográficos.

Fiquei imaginando e tentando ligar as TAGS; sim são elas que fazem isso. As palavras chaves, ligam a outros vídeos. Isso é uma revolução associada a web 2.o. Muito útil diga-se de passagem, mas pode também não ser dependendo do caso(como foi o meu). Vai ver aquele vídeo que eu estava vendo, um vídeo normal. Tinha alguma tag que “chamou” algum outro vídeo.

Trazendo para o dia-a-dia…É assim a vida do Cristão. Se deixarmos entrar qualquer “besteirinha”, a menor possível, começará a entrar mais e mais. E talvez não possamos controlá-la. Como podemos controlar no Youtube.

Não lutamos contra homens ou mulheres. Mas, sim contra potestades que querem somente nos destruir e que não tenhamos a vida eterna.

Que possamos tomar cuidado e não deixar entrar nenhuma “tagestranha em nossas vidas.

Abraços,
Franzé Jr.

h1

Cinco razões porque não vou ao cinema

fevereiro 8, 2008

Me chamo Vinicius A. Miranda tenho 22 anos e fui convidado pelo Franzé Jr. para postar alguns artigos aqui no Ação JA. Também sou colunista do IASD em Foco.

Ajudo a cuidar de alguns sites, mandando materiais, etc, sendo eles a Central de Diretores J.A., Portal J.A. e Tinguiteen. Sou Lider J.A. investido e medalha de dedicação. Freqüento a IASD Tingui em Curitiba – PR.

Como um adventista que nasceu na igreja, vejo estampado no rosto dos nossos jovens hoje,o mesmo drama e conflito que vivi. É pecado ir ao cinema ou não? A igreja parece impotente para dar respostas convincentes, e os nossos jovens exigem uma que esteja escrita na Bíblia ou no Espírito de Profecia. No tempo de Ellen White não havia cinema, mas havia teatro e ela foi claramente contra.

A igreja, no intuito de preservar os nossos jovens da influência do mundanismo, estabeleceu o estigma de que ir ao cinema é pecado. O cinema em si pode não ser ruim, contudo, a tradição religiosa da igreja diz que isso é pecado (tanto no Brasil, como nos Estados Unidos, para minha surpresa). Na realidade, o motivo da proibição , era impedir os nossos jovens de assistir aos filmes, e não de ir ao cinema em si. Com o advento do viodeocassete, a igreja foi traída pela sua proibição, e agora todo mundo assiste em casa, e a polêmica definitivamente se estabeleceu. Ir ou não ir? Pode ou não pode? Em primeiro lugar, temos que lembrar que para a pessoa que está realmente determinada a ir ao cinema, nada vai convencê-la do contrário.

Contudo, as cinco razões que apresento aqui pode ajudar aqueles que são sinceros, e que, na dúvida, estão orando a Deus, querendo fazer a Sua vontade.

A Primeira Razão: Vou usar como primeiro argumento aquilo que muitos jovens acham elementar. Se hoje você vai ao cinema e alguém o vê indo, essa pessoa pode ficar escandalizada, e isso é pecado.

Se o seu comportamento escandaliza o seu irmão, o princípio é claro ao dizer que é melhor não fazer. A Bíblia fala fortemente sobre esse princípio em I Coríntios 8. Paulo fala que alguns, não tendo conhecimento profundo da verdade, têm uma consciência fraca. No verso 9, Paulo estabelece o princípio quando diz: “vede, porém, que esta vossa liberdade não venha, de algum modo, a ser tropeço para os fracos.” Em I Coríntios 10:23 3 32, Paulo diz que “todas as coisas me são lícitas, mas nem todas me convêm”. “não vos torneis causa de tropeço…para a igreja de Deus.

” E o que mais me impressiona é a declaração do capítulo 8:12 quando Paulo diz: “E deste modo (referindo-se ao pecado do escândalo), pecando contra os irmãos, golpeando-lhes a consciência fraca, é contra Cristo que pecais.” Se ao ir ao cinema, escandalizo a minha igreja ou o meu irmão, estou pecando contra Cristo, diz a Bíblia.

Segunda Razão: Um princípio elementar, mas que não deixa de ser uma razão, é que ali é a “roda dos escarnecedores”. Bem, você pode dizer que a “roda dos escarnecedores” está em todo lugar, no metrô, no ônibus, etc.

Contudo, a “roda dos escarnecedores” do cinema é específica. O grupo que ali está, não está por uma necessidade, mas porque querem ir espontaneamente para satisfazer a si próprios e entreter o seu ego. Vão lá porque gostam e querem assistir ao filme, mas existe algo mais que o filme: como o ambiente, o escurinho, o silêncio, o som e o tamanho da tela. Tudo isso é planejado de uma maneira, não para fazer você assistir ao filme, mas para você entrar no filme.

Concordo com o salmista no Salmo 1:1, quando ele diz: “Bem-aventurado o homem que não anda no conselho dos ímpios, não se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores”. Creio que o cinema é uma roda específica de escarnecedores, que estão buscando um tipo de prazer que só lá dentro alcançarão.

Será que ao ir ao cinema não estou me detendo no caminho dos pecadores?

Terceira Razão: A escuridão do ambiente afeta tremendamente o ouvinte. Engraçado é que ninguém percebe e acha normal. E é aí que a gente vê como o diabo é sutil. O ambiente escuro é para ninguém ver ninguém, e para tentar colocar na sua cabeça que aquela imagem é uma realidade só sua, feita para você; ainda que seja só naquele momento. Seu subconsciente consegue captar mensagens que podem afetar profundamente sua maneira de ver, pensar e agir, baseado em imagens que muitas vezes nem sequer fazem parte do nosso mundo real. normalmente, não gostamos da escuridão. Temos medo.

E tão logo entramos em um ambiente escuro, procuramos uma luz para acender. Entretanto, no cinema, as trevas têm por objetivo captar a sua mente, levando você a uma fantasia que não é a sua realidade. Pode parecer que não, mas ver o filme no escuro do cinema, e ver no claro na sala de estar da sua casa, faz uma grande diferença quanto à influência que você recebe. E às vezes, essa influência é involuntária, você nem a percebe, mas ela está lá. Ao escrever esta declaração, não estou defendendo a liberação de qualquer filme em casa, mas tentando mostrar que, definitivamente, o cinema não é um lugar para cristãos.

Quarta Razão: O tamanho da tela gera uma imagem muito realística, que associada com o escuro, exerce um poder fascinante, transportando você da sua realidade para dentro de um mundo imaginário no filme. Como todo mundo nesta vida de pecado tem sonhos, os filmes não são outra coisa senão os sonhos dos seres humanos se tornando realidade. Daí porque o mundo está fascinado com Hollywood. Jamais a tela de um televisor, por maior que seja, vai exercer sobre você um poder tão fascinante como dentro do cinema. Se fizermos uma pesquisa com duas pessoas, sendo que uma assiste a dez filmes em casa, e depois dermos um questionário para elas responderem, buscando ver o efeito dos filmes no subconsciente, compreenderemos o poder do cinema, e por que a igreja está certa em dizer que ele é pecado.

Quinta Razão: O último motivo pelo qual o cristão não deve ir ao cinema é simples. Eu até diria elementar, mas de uma sabedoria fantástica: “Na dúvida, não ultrapasse.” Por que correr o risco, se o assunto é polêmico? Será que Jesus entraria com você no cinema? A mesma pergunta pode ser feita quanto à escolha que você faz dos seus filmes. Será que ele sentaria com você na poltrona da sua casa e assistiria aos filmes que você está assistindo? acho que, na dúvida, não é bom ultrapassar. Que sabe esse último princípio, ainda que simples, possa salvar jovens que ainda não têm fé suficiente para compreender os quatro princípios anteriores.

Talvez você não esteja convencido de que não deve ir, mas se a dúvida está no seu coração, é mais seguro não ir. Para aqueles que não têm dúvida, e que se sentem confortáveis em ir, achando que não há nada de mais, eu diria que a sua consciência não é um guia seguro. Você pode até estar sendo sincero no que faz, mas se caminhar na direção errada, perderá o jogo da vida eterna.

Uma coisa que devemos nos lembrar, é que antes de ser aceito como membro da igreja, é feito uma entrevista com o candidato ao batismo, e nela se pergunta “há quanto tempo você não freqüenta: Teatros, bailes, CINEMAS, etc”, e após essa entrevista, o candidato assina, assumindo a responsabilidade que deixou as praticas para trás. Porque após sermos batizados ainda nos restam duvidas? Se quando aceitamos a Jesus declaramos que não faremos mais as coisas que fazíamos antes!

Certa vez, li uma história em que a Coca-Cola resolveu fazer um teste de marketing para testar o poder da imagem sobre o subconsciente das pessoas. Na produção de um filme para o cinema, eles incluíram várias vezes, no meio da projeção, rápidas imagens de uma garrafa de Coca-Cola . Os flashes eram rápidos como um relâmpago e, embora as pessoas vissem aquele rápido flash na tela, elas não conseguiam identificar a imagem. Na saída do cinema, eles colocaram bancas de Coca-Cola para vender e, à porta ,eles perguntavam às pessoas se elas podiam dizer o que viram na imagem dos flashes.

Ninguém conseguiu dizer o que tinha visto na imagem, mas todos perceberam o flash rápido. Apesar de não terem notado a imagem da garrafa de Coca-Cola, 70% daqueles que assistiram ao filme, compraram uma garrafa de Coca-Cola para beber, na saída do cinema. Os outros 30% não compraram, mas confessaram que estavam com vontade de beber. Essa experiência mostra que o poder do subconsciente de captar as imagens é muito grande. Somos afetados sem perceber, e aí reside o perigo.

Em minha opinião, a igreja está certa quanto a não ir ao cinema. Se bem que também devemos cuidar muito com o que assistimos em casa. Hollywood está determinando o comportamento da sociedade moderna e criando filmes que, em lugar de entreter as pessoas, as levam a ficarem insatisfeitas com a sua vida, porque elas vêem nos filmes um mundo de sonhos e cores. A comparação é uma arma de Satanás para nos conduzir ao pecado. Ele fez isso no Éden, tentando comparar o homem a Deus.

E hoje ele usa os meios mais sofisticados para levá-lo a comparar a realidade da sua vida com a imagem fantasiosa dos filmes. Se a sociedade pudesse imaginar o que existe por trás dessas produções, e como se situa o mundo artístico, talvez nem assistisse aos filmes que por eles são produzidos. O critério para provar se um filme é bom ou não?

Faça a pergunta: Poderia Jesus assistir comigo? Sim ou não? Lembre-se de que lá no Céu não existe o mundo imaginário dos filmes e das superproduções. Lá, sim, nos encontraremos com a verdadeira realidade dos nossos sonhos, e a tela, seja do cinema ou da TV, já não terá mais poder sobre nós, e nem existirá, porque Aquele que é real, nos transformará para as realidades eternas.

Vinicius A. Miranda

h1

And the oscar goes to…

fevereiro 8, 2008

O Ministério da Justiça usa o critério de faixa etária para classificar os filmes postos em exibição nos cinemas e/ou vendidos em DVD. Além da classificação por idade, você poderá encontrar a descrição resumida das cenas que levam o filme a ser taxado como “Classificação Livre” ou “Inapropriado” para esta ou aquela idade.

Dentre as expressões mais utilizadas, destacamos duas: “temática com impropriedade” e “desvirtuação de valores”.

O primeiro termo se refere a quando um filme trata de um certo assunto sem veicular informações suficientes para a sua correta compreensão, ou veiculando informações distorcidas. Trata-se de um erro de informação.

Já o segundo termo diz respeito a uma inversão de conceitos morais e éticos tratando os conceitos inaceitáveis como aceitáveis e os aceitáveis como se fossem indesejados. Trata-se de um erro de juízo de valor.

Na verdade, os dois critérios se completam. Do ponto de vista deste simplório colunista (de araque), todas as vezes que há uma desvirtuação de valores, há necessariamente a exposição de uma temática com impropriedade (muito embora não possamos dizer que o oposto também seja uma regra).

Dito isto, foi com um misto de esperança e desconfiança que recebi a lista de indicados a melhor filme na premiação do OSCAR 2008. Antes de explicar porque, vou apresentar a você os concorrentes:

Conduta de Risco – Filme sobre um advogado que surta ao se deparar com um complexo caso da firma de advocacia para a qual trabalha.
Onde os Fracos Não Têm Vez – Filme western sobre um homem que se vê perseguido por roubar o dinheiro de um traficante
Sangue Negro – Épico sobre um homem que põe seus conceitos e sua família a prova quando encontra na exploração de petróleo um caminho curto par a riqueza.
Desejo e Reparação – Drama sobre os acontecimentos que acometeram uma família no cenário da segunda guerra.
Juno  – Comédia romântica independente sobre uma adolescente que se vê grávida de um colega de escola.

Em 2006, a academia premiou um filme complexo, difícil de se digerir: Crash – No Limite, um inteligente apanhado das várias faces do pré-conceito e de como elas se conectam. Porem, em 2006 foi a vez do diretor Martin Scorsese levar a estatueta pelo seu Os Infiltrados, um filme tido pela crítica como “uma análise social do gangsterismo”, que, no fim das contas segue mesmo a linha da estilização da violência (vide 300) e da celebração da perversidade (destaque para as cenas de tiros e sangue em câmera lenta ao som dos Rolling Stones).

Assim, quando vi a lista acima, fiquei na dúvida: iria o OSCAR premiar novamente cineastas que utilizam o primor técnico para sobressair o pior do comportamento humano? Ou seríamos poupados das análises sociais coreografadas, ritimizadas e musicalizadas da “violência-pop” em privilégio de filmes com maior conteúdo dramático? Traduzindo, teríamos que agüentar todo mundo correndo pra locadora pra assistir Onde os Fracos Não Têm Vez? Ou poderemos sorrir com resignação quando algum frustrado protestar: “Como é que premiam com a estatueta de melhor filme um filme como Conduta de Risco”?

Mas o problema não para por aí. Mesmo que tenhamos filmes premiados na linha de Conduta…, Desejo e Reparação ou Juno, será que a temática destes filmes é tratada com impropriedade? Será que há desvirtuamento de valores éticos?

Enquanto que a Academia parece privilegiar cada vez mais a técnica em detrimento do roteiro, fica a pergunta para nós: a que película daremos o Oscar de melhor filme? E se nenhum deles merecer ser visto, o que faremos?

Lembrem-se de uma coisa: nosso filtro é bem mais amplo do que o filtro da comissão julgadora que forma a maior premiação do cinema mundial.

Marcel Hessel, crítico do site Omelete assim dispôs sobre o filme Os Infiltrados: “Filmar a violência é uma forma de tentar entendê-la, tentar entender aqueles que a utilizam e, por extensão, compreender as próprias divisas da nossa sociedade.” Não sou crítico profissional. Mas, com o perdão da ousadia, filmar a violência da forma como têm feito grandes como Martin Scorsese, Quentin Tarantino e outros é mais uma forma de incentivo do que de análise. A estilização e a celebração da mesma em nada contribui para a compreensão do fenômeno real que assola o nosso país. Ao inverso, justifica aqueles que fazem uso dela e populariza seus métodos.

Assim, vamos esperar ansiosos até o dia da grande festa para conferirmos se o Oscar vai para o melhor filme ou a melhor desvirtuação de valores.

Abração…

Ângelo Bernardes