Archive for agosto \31\UTC 2009

h1

O Hinário Adventista é para os Jovens da Igreja

agosto 31, 2009
Pr. Otimar

Pr. Otimar

Líder do Ministério Jovem Divisão Sul-Americana da Igreja Adventista do Sétimo Dia fala sobre a coletânea de hinos.

Cantar os hinos do Hinário Adventista é celebrar os extraordinários feitos do passado. É relembrar as histórias de lutas e desafios dos nossos pioneiros. È firmar parte de nossa histórica herança de fé cristã escrita com oração e muita dedicação por parte de nossos heróis do passado. Agora, o grande desafio é voltar a cantar os nossos hinos em reuniões de juvenis, jovens e adultos. Penso que ao deixarmos de cantar os hinos do Hinário estamos dizendo que o passado tem pouca importância.

O Hinário Precisa Voltar Com Força Total
O que deve ser o Hinário para nossa juventude na atualidade? Comparo a um diamante que está perdendo o brilho sutilmente. Por quê? Porque tem sido usado muito pouco em reuniões espirituais, em nossas reuniões e cultos para jovens e juvenis. Vejo que os jovens, na maioria das vezes, só querem cantar com o uso de projetores e computadores. Acho que estamos formando uma nova geração, absolutamente dependente das maquinas como nunca.

É Imperioso Usar a Capacidade Imaginativa
Percebo que, aos poucos, estamos perdendo nossa capacidade imaginativa e reflexiva na hora da adoração a Deus. Alguns irmãos já não levam mais o Hinário Adventista para a igreja, afinal os hinos serão projetados num lindo telão super colorido e todos poderão cantar fazendo uso da mais avançada multimídia mundial. Isso não é de todo ruim, só que tem que haver equilíbrio no uso da multimídia em nossas igrejas e eventos. O que ocorre na hora do louvor é que estamos olhando, na maioria das vezes, mais as paisagens, as imagens, o lindo colorido do que a própria letra da música que estamos cantando. Assim a música perde um pouco sua eficácia de fixar a verdade em nossa mente.

Excesso de Sermões em Power Point Está Atrapalhando
O mesmo ocorre com o excesso de sermões apresentados em Power Point – o que era pra ser uma bênção está limitando intelectualmente os pregadores e os ouvintes. Estamos perdendo a beleza da profundidade do texto bíblico. A beleza, na maioria das vezes, fica só no slide e nada mais. Tenho ouvido que algumas igrejas se cansaram de sermões em Power Point, em especial no Sábado de manhã. Nossos pregadores correm o risco da superficialidade bíblica e, assim, nossas igrejas não são nutridas espiritualmente como precisam e como devem ser.

Não Perca a Capacidade de Pensar e Arguir
“Cada ser humano criado à imagem de Deus é dotado de certa faculdade própria do Criador – a individualidade – faculdade esta de pensar e agir.” Ellen White; Educação, p. 17 Voltemos a usar nossa capacidade imaginativa e reflexiva de forma especial na hora da adoração a Deus. Pensemos nas coisas do alto. Precisamos, urgentemente, usar muito mais o nosso Hinário e suas músicas belas, significativas e inspiradoras. O DVD e o Cd Jovem não vieram para substituir ou anular o Hinário. Eles são apenas algumas “ferramentas” a mais para louvarmos o nome de Jesus. A intenção dos realizadores dos DVD e CD Jovem tem sido firmar na América do Sul o tema jovem de cada ano com uma ou mais músicas especiais. Além de auxiliar as igrejas mais simples que não dispõem de músicos para tocar nossos hinos.

Que Tipo de Música Você Está Oferecendo a Deus?
Outro tema preocupante é quanto ao estilo de música que estamos oferecendo a Deus nas nossas reuniões espirituais. Temos presenciado grande diversidade de estilos musicais. Então surge a pergunta: “Que tipo de música é aceitável por Deus?”. Percebo que o estilo de música neopentecostal está invadindo nossas igrejas. A emoção está tomando conta da adoração. Começamos com o movimento de levantar as mãos, em seguida veio a bateria elétrica e, agora, infelizmente já temos bateria acústica em algumas de nossas igrejas – isso é uma lástima. Pelo andar da carruagem, o próximo passo será dançar. Claro que isso não vai acontecer, porque Deus está no comando de Sua preciosa igreja.

O Que Ellen White Viu Em Matéria de Adoração com Instrumentos de Percussão nos Últimos Dias?
“As coisas que me descrevestes como tendo lugar em Indiana, o Senhor me revelou que haveriam de ter lugar imediatamente antes da terminação do tempo da graça. Demonstrar-se-á tudo o que é estranho. Haverá gritos com tambores (baterias), música e dança. Os sentidos dos seres racionais ficarão tão confundidos que não se pode confiar neles quanto a decisões retas.” Ellen White, Eventos Finais, p. 138. É interessante notar que a palavra para “tambores” no texto original, em inglês, da citação, é “drums”, que significa bateria. É importante frisarmos que nos centros de espiritismo e macumba os principais instrumentos usados são os tambores – a percussão. Qual música Deus aceita?

A Música Aceitável Por Deus
“A música só é aceitável a Deus quando o coração é consagrado, e enternecido, e santificado por sua docilidade”. Ellen White, Evangelismo. P. 512 O que me chama atenção na citação é a frase “o coração é consagrado”. É que o coração consagrado é seletivo, por sua natureza, na hora de escolher uma música para louvar o nome de Jesus. Esse desafio não é de hoje, é desde a época do apóstolo Paulo quando ele disse, em certa ocasião, escrevendo aos Coríntios: “Cantarei com o meu espírito, mas também com a mente…” I Coríntios 14:15. Paulo está falando que a música que deve ser cantada na casa de Deus, em especial, deve ter um tênue equilíbrio entre nossa emoção e razão, o que não é algo fácil de acontecer, porém, também não é impossível. Estou certo que a música sacra que agrada a Deus tem sutil equilíbrio entre a letra, a melodia, a harmonia e o ritmo. O nosso Deus é o Deus do equilíbrio. Satanás é o agente da desordem e ele está sempre nos extremos, e os extremos são sempre perigosos. Quando um dos quatro elementos universais da música chama demasiadamente a atenção para si, então começamos a ter um “ruído”, digo, uma interferência na prefeita adoração a Deus.

Cantemos com Razão e Emoção
É interessante frisarmos que a palavra no original grego para “espírito” é pneuma. Essa palavra é usada tanto para descrever o princípio vital que traz vida ao corpo como o espírito racional, o poder pelo qual o ser humano sente, pensa e decide. Já a palavra para mente é nous, ela descreve as nossas faculdades de perceber, de entender, de sentir, de julgar, é a razão no sentido mais estreito, é a nossa capacidade de perceber as coisas divinas, é o poder de ponderar com sobriedade, calma e imparcialidade. A palavra pneuma também é usada no Novo Testamento para referir-se ao Espírito Santo. A serva do Senhor, fazendo um comentário elucidativo sobre o texto Paulino de ICoríntios 14:15, disse, com firmeza: “Quando os seres humanos cantam com o espírito e com o entendimento, os músicos celestiais apanham a harmonia, e unem-se ao cântico de ações de graça.” Ellen White, Obreiros Evangélicos, p. 357.

Busquemos o Equilíbrio Espiritual na Adoração
Para mim está muito claro que, em se tratando de adoração musical ou ministério de louvor, é imperioso haver equilíbrio. Um cristão só poderá ser equilibrado espiritualmente se levar uma vida de estreita comunhão com Deus, porque daí vem sua percepção ou visão espiritual. Por quê? Por que as coisas espirituais “se discernem espiritualmente”. (I Coríntios 2:14) O Espírito Santo é quem nos fornece cada dia nova capacidade de discernimento espiritual. Já que estamos buscando o equilíbrio no louvor e na adoração A Deus, penso que estamos um pouco desequilibrados no uso excessivo dos DVDs e CDs Jovem em nossas reuniões espirituais. Se não houver uma tela grande, animada, colorida, com a letra da música e pessoas se movimentando na mesma, parece que nos limitamos na adoração a Deus. Estou convicto de que estamos perdendo nossa capacidade de imaginação e até de pensamento no que estamos louvando. Estamos supervalorizando o sentido da visão e nos esquecendo da santa imaginação e percepção espiritual.

Onde Usar o CD Jovem?
Quero pontuar algumas reuniões que considero mais apropriadas para o uso do CD Jovem, equipamento que todos so anos a igreja lança na América do Sul como subsídio para a juventude louvar a Deus. Estou certo de que o mesmo cabe para muito bem em nossas reuniões de pequenos grupos ou koinonias de jovens, camporis, acampamentos, retiros espirituais, congressos e no culto jovem se Sábado à tarde; o que também não impediria de usá-lo com mais critério em algumas reuniões formais da igreja. Já nos cultos de quarta-feira, domingo e, em especial, no Sábado pela manhã, é imprescindível cantarmos com os hinos do Hinário. São momentos de adoração distintamente mais solenes e formais. Penso que até uma ou outra música do DVD Jovem poderia ser cantada em nossos cultos mais formais, o que não podemos é fazer disso um modus vivendi – nossa forma de adorar. O DVD Jovem na pode substituir nosso poderoso Hinário Adventista. É claro que mesmo nessas reuniões que acabo de mencionar, também poderemos cantar hinos do Hinário Adventista em português, que tem 610 hinos. Percebo que não cantamos a metade deles porque não sabemos. O Hinário em português tem uma seção de 35 hinos voltados para os interesses peculiares da juventude. Já o Hinário Adventista em espanhol tem nove hinos voltados para os jovens, totalizando no geral 527 hinos. Também imagino que não usamos a metade.

É Imperioso Aprender Novos Hinos
O salmista diz: “Aleluia! Cantai ao Senhor um cântico novo e o seu louvor na assembléia dos santos.” Salmo 149:1. Parece-me mais oportuno que em cada culto ou reunião de jovens, reservemos um momento para aprender um hino novo do Hinário. Seria muito interessante que antes que aprendêssemos o hino, ouvíssemos um pouco da história de sua composição, o que seria extremamente enriquecedor para a juventude. Se assim fizermos, certamente o interesse dos jovens pelos hinos será outro, e o resultado será uma supervalorização dos nossos hinos, porque há sempre uma linda história por trás de cada um deles. É sempre oportuno valorizarmos mais a congregação, o todo por que “raramente deve ser o canto feito por uns poucos” (Ellen White, Evangelismo, p.504). Numa certa matéria no programa de mestrado em Teologia, ouvi de um professor que “o solo é a forma mais primitiva de adoração”. Portanto, cantemos em nossas reuniões espirituais com beleza, emoção e poder.

Deus Aceita Somente o Nosso Melhor
Quando o tema é adoração a Deus, é preciso que fique bem claro na nossa mente que Deus aceita somente o nosso melhor. Eu pergunto a você e a mim também: Tenho ofertado a Jesus aquilo que de melhor Ele me concedeu? O meu estilo musical está trazendo divisão para dentro da minha igreja, ou agrada apenas um segmento etário dentro da mesma? Os instrumentos que tenho usado na hora do louvor estão unindo ou trazendo desunião para a família de Deus? Quando faço apresentações musicais, meus irmãos me vêem como um “artista” ou como um irmão deles à serviço de Deus? Depois que me apresento, paro para ouvir o sermão em seguida ou fico rodando por aí dando autógrafos e tirando fotos? Tenho ouvido as críticas e as sugestões dos meus irmãos e tenho procurado mudar para melhor, ou minha percepção musical é o bastante?

Deus Ama o Equilíbrio e o Critério Espiritual
Ao usarmos o DVD e o CD Jovem é preciso que nos organizemos um pouco mais. Por exemplo: uma escala de pianistas e cantores encarregados de fazer o louvor é um sinal de importância para o Ministério da música. Usar mais o piano ou o órgão, em detrimento do play back reflete organização. Sempre começar os momentos de louvor com oração, orar com os músicos antes e depois dos ensaios, cuidar para que as vestimentas dos cantores e músicos estejam em harmonia com sua apresentação, levando sempre em conta a modéstia cristã. Leve em consideração que não somos artistas somos apenas os “amigos do noivo”, A glória é do noivo, o poder é do Noivo, a festa é para o Noivo, e quando o Noivo chega o amigo sai de cena.

Pastor Otimar Gonçalves Diretor do Ministério Jovem Divisão Sul-Americana da Igreja Adventista do Setimo Dia
Artigo originalmente publicado na Revista do Ancião Abril – Junho 2009

Abraços,
Vinicius A. Miranda

Anúncios
h1

E ai pastor?! – Lançamento do Site

agosto 21, 2009

Janela Virtual que se Abre na Vida Real do Jovem

Janela Virtual que se Abre na Vida Real do Jovem

Lançamento do site do E ai Pastor?!

Temas:

1 – Musica Cristã – Influencias mundanas
2 – Musica Crista – Bateria na igreja
3 – Musica Crista – Danca
4 – Lazer – Hora Social
5 – Estilo de Vida – Maquiagem
6- Estilo de Vida – Uso de joias
7 – Futebol – Ir ao estadio
8 – Sexualidade – namoro
9 – Sexualidade – namoro – idade
10 – Sexualidade – homossexualidade
11 – Sexualidade – influencias na midia
12 – Sexualidade – masturbacao
13 – Tecnologia – Internet
14 – Tecnologia – Cinema
15 – Atualidade – Principios X Cultura
16 – Igreja – Nova doutrina
17 – Universidade – Criacionismo
18 – Perfeito como Deus é perfeito
19 – Recado Final

Acesse – eaipastor.portalja.com.br

h1

Humildade

agosto 12, 2009

humildade

“A humilhação do homem Cristo Jesus é incompreensível à mente humana; Sua divindade e Sua existência antes da fundação do mundo, porém nunca poderão ser postas em dúvida por aqueles que crêem na Palavra de Deus. O apóstolo Paulo fala de nosso Mediador, o unigênito de Deus, o qual, no estado de glória foi achado em forma de Deus, o Comandante de todos os exércitos celestes, e que ao revestir Sua divindade com a humanidade, tomou sobre Si a forma de servo.” The Youth’s Instructor, 13 de outubro de 1898

O texto não termina por aí, mas PARE um pouco!  PAROU?! Agora imagine Jesus antes vir a esta Terra! Me impressiona neste belo texto a imagem de Jesus nesse momento: “forma de Deus” (já imaginou a grandiosidade de Deus?), “Comandante de todos os exército celestes” (que poder! Se um general aqui na Terra já é temido, imagine o Comandante do exército celestial!).

Agora imagine que humildade Ele teve. O texto continua:

“Consentindo em se torna homem, Cristo manifestou uma humildade que maravilha os seres celestiais. O ato de consentir em ser homem, não seria nenhuma humilhação9, não fora a exaltada preexistência de Cristo. Precisamos abrir o entendimento à compreensão de que Cristo pôs de lado Sua veste real, Sua real coroa, o elevado comando, e revestiu Sua divindade com a humanidade, a fim de poder vir ao encontro do homem onde este se achava, e trazer poder à família humana a fim de que se pudessem tornar filhos e filhas de Deus. Para redimir o homem, Cristo Se tornou Obediente até à morte, e morte de cruz.” The Youth’s Instructor, 13 de outubro de 1898.

Foi para nos tornar filhos e filhas de Deus que Ele fez tudo isso. Humilhou-Se. Temos seguido seu exemplo?

“A mansidão e humildade que caracterizam a vida de Cristo se manifestarão na vida e no caráter dos que andam ‘como Ele andou’ ” The Youth’s Instructor, 8 de novembro de 1894

Um abraço,

Felipe Scipião

h1

Primeiro amor

agosto 5, 2009

primeiroamor

Na última segunda-feira dei início a mais um período da faculdade. Para ser bem específica, comecei a ter aulas do oitavo, último dos quatro anos de curso. Plena segunda, quase dois meses de férias, e claro, a minha expectativa era quase nenhuma. De verdade? Zero. Queria era ficar em casa e curtir a minha ‘caminha’ por mais alguns dias.

Quando estava nos primeiros períodos, recordo que conversava bastante com os alunos de classes mais avançadas, que alegavam que não viam o momento de se formar. Ficava me questionando o motivo, já que eu achava o máximo ir à faculdade naquele primeiro ano de graduação, em 2006. Ainda gosto muito, afinal não vou negar que sou apaixonada pelo curso de Jornalismo. Mas, pensava como alguém não gostava ou não aproveitava os últimos dias de aula. Confesso que julgava e acreditava que eram preguiçosos ou algo do tipo. Hoje, na mesma situação que eles, percebo que há o desgaste natural da rotina de quatro anos.

Infelizmente o mesmo acontece no âmbito espiritual. Quando conhecemos a Cristo nos empolgamos, ficamos realmente contemplados por amor tão grande e incrível. Ficamos deslumbrados, surpresos e não entendemos como existem no mundo e nas igrejas cristãos quase incrédulos, ou pessoas que não conservam mais o “primeiro amor”. Admiro aqueles recém-batizados ou aqueles que recebem a mensagem do evangelho e ficam animados e ansiosos por viver com Ele eternamente. A espera da volta de Jesus nos cansa? As pregações a respeito sobre a Segunda Vinda caíram no clichê no nosso coração? A nossa vida aqui na terra nos deixa desanimados ou nos fazem perder o foco celestial?

Não podemos permitir que a nossa vida espiritual, a nossa comunhão e principalmente o nosso amor por Deus se torne uma rotina, um clichê. Precisamos retomar o primeiro amor. São tantas provas da Sua existência e do Seu sacrifício, que deveríamos amá-Lo a cada dia, cada vez mais. Que não fiquemos desanimados com as promessas que escutamos a respeito do retorno de Cristo à terra porque Jesus não vai voltar, ele JÁ está voltando. Oremos para que Cristo possa restaurar o nosso amor. Nunca esqueçamos de agradecer e louvá-Lo pelas bênçãos e pela maior prova de amor que Ele nos deu. Por fim, que possamos continuar a ficar maravilhados e emocionados por sentir e vivenciar a grandeza divina e amor imensurável e incondicional.

Que possamos realmente nos preparar porque logo logo veremos a face do Salvador.

h1

Deus Infinito

agosto 4, 2009

apollo11return_nasa_small

(Clique para ampliar)

Você já imaginou qual a percepção de um astronauta quando volta do espaço?!

Quando olho para fotos como essa, vejo o quanto somos pequeninos e quão imenso é nosso Deus. Percebo quão nossa fé é pequena, capaz de se prender a circunstâncias tão pequenas do cotidiano, quando deveríamos confiar nesse Deus Infinito.

Fica aqui um conselho de Ellen White:

“Devemos contemplar a Deus na Natureza – estudar-Lhe o caráter na obra de Suas mãos. A mente se fortalece ao tomar conhecimento de Deus, lendo Seus atributos nas coisas que Ele fez. Ao contemplarmos a beleza e grandiosidade das obras da Natureza, nossas afeições se expandem para Deus, e embora nossa alma se conserve reverente e o espírito submisso, a alma se nos revigora ao entrar em contato com o Infinito mediante Suas maravilhosas obras. A comunhão com Deus mediante a humilde oração desenvolve e fortalece as faculdades mentais e morais, e os poderes espirituais aumentam graças ao cultivo de pensamentos em coisas espirituais. Youth”s Instructor, 14 de julho de 1833. ”  Mente, Caráter e Personalidade Vol. 2, pág. 732

Um Abraço,

Felipe Scipião