Archive for julho \27\UTC 2010

h1

Dispersividade: Encontrar Tempo

julho 27, 2010

Como encontrar tempo para estudo e oração em meio ao fardo esmagador de responsabilidades que quase todos nós carregamos? Afinal, poucas pessoas têm tempo para realizar tudo o que esperam executar num dia. Isso significa quem em última análise,  cabe a nós decidir com o que vale a pena usar o tempo. Quando atividades novas clamam por envolvimento, é essencial entender que você não pode acrescentar nada à sua vida sem remover alguma outra coisa.

O problema é que a maioria das pessoas prefere nã ofazer essas escolhas. Procuram realizar tudo quanto é posto diante delas, e isso simplesmente não funciona. De modo inevitável, ou a família ou a vida devocional, ou ambos, são colocados sobre o altar da indecisão. Assim, hoje em dia, quando alguém me pede que aceite um cargo ou execute uma tarefa, pergunto a mim mesmo : “Qual das minhas atividades isso vai substituir? Isso é mais importante ou interessante do que aquela ocupação à qual terei de renunciar para executar esta?” Viver é fazer escolhas. Se não escolhermos, o tempo escolherá por nós. E ficaremos infelizes com a escolha.

Tudo isto tem grandes implicações no que tange à parte devocional da vida. Nosso tempo com Deus é frequentemente substituído pela pressão de ocupações de menor importância. Se não escolhermos passar a melhor parte de cada dia com Deus, inevitavelmente seremos levados em direção daquilo que é secular. Assim, o primeiro passo para reforçar nossa experiência devocional é escolher torná-la a prioridade da nossa vida. O mais importante acerca da força de vontade é que ela é fortalecida pelo uso. Escolha colocar Deus em primeiro lugar. Diga isso em voz alta. Escreva sobre isso aos seus amigos. Expressar essa escolha vai torná-la mais forte. Decida o que precisa ser descartado em sua vida, se a sua experiência devocional deve crescer. Tenha cuidado ao aceitar novas imcubências ou responsabilidades. Na vida devocional, acima de todas as outrsa coisas, devemos ecoar as palavras de Paulo:

“Uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que para trás ficaram…”

Filipense 3:13

Retirado do Livro Deus no Mundo Real, capítulo Mantendo a Fé.

Anúncios
h1

A teoria do design inteligente é científica

julho 19, 2010

O Dr. Stephen C. Meyer tem 52 anos, é autor do best-seller Signature in the Cell e é diretor do Centro Para Ciência e Cultura do Instituto Discovery, em Seattle. Atualmente, é um dos principais porta-vozes do Design Inteligente (DI). Enquanto participava do Simpósio Darwinismo Hoje, na Universidade Mackenzie, concedeu esta entrevista à aluna de Jornalismo do Unasp, Allana Ferreira, que a cedeu com exclusividade a este blog.

Partindo do pressuposto de que existe uma inteligência criadora de informação, a partir daí, pode-se considerar um processo evolutivo?

Sabemos que há processos evolutivos que têm efeitos verdadeiros. A seleção natural é um deles. Mas a questão é: Quanta mudança a seleção pode produzir? Mais e mais os pesquisadores vêm percebendo que a seleção natural pode produzir mudanças limitadas.

O Design Inteligente (DI) admite a macroevolução?

Alguns membros do DI pensam que isso é possível. Eu, particularmente, sou cético em relação à macroevolução

Quanto de criacionismo e evolucionismo haveria na teoria do DI? Elas podem se complementar ou são completamente diferentes?

A questão sobre quanta mudança a seleção natural pode ocasionar é algo a ser estudado um pouco mais. Sabemos que ela pode produzir algumas mudanças, mas também sabemos que há limites para essas mudanças. A questão é: Quão amplos são esses limites? Quanto de mudança é possível? No nosso entendimento da história da vida, existe evidência de design inteligente na origem de formas fundamentalmente novas e algumas mudanças dento de certo limite, depois disso.

O DI é diferente do criacionismo bíblico no sentido de que este esta fundamentado em sua visão a partir da Bíblia, enquanto o DI é uma inferência que provem da evidência científica. É possível que aquilo que aprendemos da ciência e o que a Bíblia revela sejam conceitos compatíveis.

O que o DI diz a respeito da explosão cambriana?

Achamos que a explosão cambriana oferece provas convincentes a favor do DI. Para produzir uma nova estrutura nos animais se exige nova informação genética, e o que sabemos a partir de experiência é que informação sempre vem de uma fonte inteligente, como diz o cientista Henry Quastler: “A criação de nova informação é comumente associada com atividade consciente.” Essa grande introdução de informação para formar todos os seres vivos do período cambriano é evidencia de atividade inteligente.

Quais seriam as principais críticas em relação ao DI?

A crítica mais comum ao DI é que ele não é científico. Existem muitas razões para os refutadores da teoria falarem isso, mas essa é mais uma maneira de tentar desvalorizar o DI. O que precisamos saber sobre qualquer teoria não é como classificá-la se é ciência, religião ou filosofia; essa não é a pergunta importante. O que importa é se ela é verdadeira ou não. Argumentamos que há boas evidências para que o DI seja considerado verdadeiro. Podemos concluir que o DI é uma teoria científica, pois é uma inferência baseada em evidências científicas, e a própria argumentação do DI é baseada nos argumentos que Darwin usou para a investigação científica. Os críticos não querem dizer que o DI é ciência porque tem implicações religiosas, mas a teoria é baseada na ciência, mesmo que haja implicações religiosas.

Por que a objeção dos evolucionistas é tão enfática, principalmente nos EUA, como é mostrado no documentário “Expelled: No Intelligence Allowed”, lançado em 2008?

Para muitos biólogos darwinistas a teoria de Darwin não é simplesmente uma teoria e sim o fundamento para uma cosmovisão que é materialista. Então, quando desafiamos a teoria darwiniana, estamos desafiando o que para muitos cientistas é uma crença muito pessoal. E quando desafiamos essa teoria com argumentos que eles não conseguem responder, eles manifestam uma reação humana muito natural ficando bravos e muito passionais, e muitas vezes usam o poder que está à disposição deles para suprimir as ideias que são contrárias às deles. Esse documentário lançado nos EUA registra uma série de sanções que foram tomadas contra professores que defendiam o DI.

Como está a discussão sobre o DI tanto nos Estados Unidos como no cenário mundial?

O apoio ao DI tem crescido no mundo todo de forma impactante, principalmente com a nova geração de estudantes e professores de ciência. As pessoas mais jovens estão assistindo aos debates e percebem que os proponentes do DI argumentam a partir de evidências, já os proponentes do evolucionismo argumentam a partir de autoridades. Acostumados a recusar responder aos verdadeiros problemas que apresentamos em relação à teoria deles – como as que refutam o poder criativo da seleção natural e a capacidade de mutação -, eles, em sua maioria, insistem em questionar os possíveis motivos religiosos por trás do DI.

Já que o argumento mais enfatizado contra o DI é em relação à origem dessa inteligência, os proponentes do DI teriam alguma definição para essa questão?

A teoria do DI simplesmente apresenta evidências para uma causa inteligente, mas é claro que os defensores do DI têm ideias referentes a quem se deve essa inteligência. Eu sou um teísta cristão e acho que as evidências acabam apontando para Deus como o projetista de tudo isso, mas outros cientistas que defendem o DI podem ter outras ideias, ou podem ser até agnósticos.

Retirado do Site Criacionismo

h1

Justiça autoriza horário alternativo para adventista

julho 11, 2010

O Tribunal de Justiça de Mato Grosso confirmou nesta quinta-feira (24) a decisão proferida em 16 de junho que autoriza um candidato adventista a fazer o vestibular para o curso de medicina na Universidade de Cuiabá (UNIC), em horário alternativo, após as 17h30, neste sábado (26). Os demais alunos farão a prova a partir das 14h. O aluno entrou na Justiça com pedido de liminar na comarca de Cuiabá no dia 10 de junho. A decisão favorável em primeira instância veio em 16 junho, porém a UNIC recorreu. Com a decisão desta quinta, não cabe mais recurso e o aluno poderá fazer o exame no horário estipulado. O juiz determinou que o candidato seja mantido incomunicável a partir das 14h até o início de sua prova, sob vigilância de pessoas da universidade. Ele terá quatro horas para finalizar o exame – o mesmo tempo dos demais candidatos.

Os religiosos da Igreja Adventista do Sétimo Dia têm como regra resguardar o sábado.

A assessoria de imprensa da universidade afirmou que não terá dificuldades para aplicar a prova ao estudante. Segundo a universidade, a tentativa de reverter a decisão teve o objetivo de tornar o processo seletivo mais seguro.

(G1 Notícias)

Nota: A verdade é que nenhum adventista gosta de recorrer à Justiça para ter resguardados seus direitos de cidadão. Tudo o que se quer é a garantia de que a consciência e o senso de dever para com Deus não serão violados pelas leis dos homens. Claro que quando esse conflito for realmente inevitável, o fiel ficará do lado da lei de Deus. O que chama atenção na matéria acima são as palavras da assesoria de imprensa da universidade, segundo a qual não há dificuldades para aplicar a prova ao adventista. Se não havia dificuldades, por que complicar a vida do vestibulando? Por que dificultar o ingresso dele na vida acadêmica, quando o que ele quer é ter garantido seu direito à liberdade de crença e consciência, ao mesmo tempo em que também não quer ter violados seus direitos de cidadão? No afã de tornar “o processo seletivo mais seguro”, o ser humano foi colocado em segundo plano. Atualmente, há muitos centros acadêmicos que respeitam os direitos das minorias. Que esses sirvam de exemplo. Não custa nada.[MB]

Retirado do site Criacionismo

h1

Dilema do Aborto

julho 9, 2010

“Joana procurou-me um dia angustiada pelo complexo de culpa. “Pastor…”, disse ela, “…Provoquei um aborto quando tinha dezesseis anos, mas ninguém soube. Foi uma experiência dolorosa e traumatizante em minha vida, mas era a única saída que eu via naquele momento. O fato é que tudo isso aconteceu há mais de trinta anos e até hoje carrego em meu coração a incerteza do perdão. Minhas mãos estão manchadas de sangue, pois tirei a vida de um nenenzinho que eu carregava no ventre. Sinto que não existe perdão para um pecado tão horrível como este. Responda-me por favor, existe perdão para mim?”

O drama desta mulher, cujo o nome é fictício, me levou a tratar o assunto do aborto nesta palestra.

Este tema é sem dúvida nenhuma, controvertido e delicado. O mundo todo está dividido em dois grandes grupos com relação a este assunto. Esta controvérsia intensificou-se a partir de 1973 quando a corte suprema dos Estados Unidos legalizou o aborto. Os dois grandes grupos são: de um lado os que defendem a vida, e do outro, os que defendem o direito que a mulher tem de decidir se deve ou não ter a criança que gerou. Read the rest of this entry ?

h1

Missão Malásia

julho 8, 2010

Missão Malásia: Descubra o que é!

h1

Ester

julho 5, 2010

“Nos antigos tempos, o Senhor operou de maneira maravilhosa através de mulheres consagradas que se uniram em Sua obra com homens que Ele escolhera para serem Seus representantes. Ele usou mulheres para alcançar grandes e decisivas vitórias. Mais de uma vez, em ocasiões de emergência, Ele as conduziu à vanguarda e operou por meio delas para a salvação de muitas vidas. Por intermédio da rainha Ester, o Senhor efetuou um poderoso livramento a favor de Seu povo. Numa ocasião em que parecia que nenhum poder poderia salvá-los, Ester e as mulheres associadas a ela, por meio de jejum, oração e ação imediata, enfrentaram a questão, trazendo salvação a seu povo.

O estudo do trabalho das mulheres em conexão com a Causa de Deus, nos tempos do Antigo Testamento, nos ensinará lições que nos habilitem a enfrentar emergências na obra hoje em dia. Talvez não sejamos levados a uma situação tão crítica e saliente como o povo de Deus no tempo de Ester; muitas vezes, porém, mulheres convertidas podem desempenhar uma parte importante em posições mais humildes. Isto, muitas têm feito, e ainda estão dispostas a fazer. É dever da mulher unir-se a seu marido para educar e preparar seus filhos e filhas, de modo que se convertam e consagrem suas faculdades ao serviço de Deus. Muitas há que têm habilidade para permanecer com seus maridos na obra do sanatório, aplicarem tratamentos nos doentes e falarem palavras de conselho e encorajamento a outros. Há as que devem buscar um preparo que as qualifique para fazer a parte de médicos.”

Special Testimonies, Série B, nº 15, págs. 1 e 2.

h1

ENEM 2010 – inscrição

julho 1, 2010

Tatuí, SP … [ASN] As inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) começaram 21 de junho e prosseguem até 9 de julho e só podem ser realizadas pela internet.
O Portal da Educação Adventista (www.educacaoadventista.org.br) preparou um vídeo explicativo mostrando como os interessados em participar do Enem 2010 devem proceder. Nele, também é apresentado um passo a passo com informações detalhadas para os guardadores do sábado, que, durante o ato da inscrição, devem optar pelo “Atendimento Diferenciado”.

As provas serão aplicadas 6 e 7 de novembro. Nos dias do exame, os portões de acesso aos locais de prova serão abertos às 12 horas e fechados às 12h55min. Os inscritos devem se dirigir ao local de prova portando: documento de identificação original; cartão de confirmação da inscrição enviado pelo correio e disponibilizado na página de acompanhamento do inscrito; caneta esferográfica de tinta preta.
Os candidatos guardadores do sábado deverão levar uma declaração do pastor da igreja a qual frequentam, lembrando que é de extrema importância que, durante a inscrição pela internet, seja optado o “Atendimento Diferenciado”, assinalando a alternativa “sabatista”. Veja a aula no link http://www.youtube.com/watch?v=2ooz6DJp09A&feature=player_embedded. [Equipe ASN, Olivandro Maia]

Retirado de Advir Blog