Archive for outubro \28\UTC 2010

h1

Como o mundo…

outubro 28, 2010

“Depois Davi se casou com Abigail. Isso não estava de acordo com o plano original de Deus; estava em oposição direta ao Seu desígnio, que um homem tivesse mais de uma esposa. Davi já era marido de Ainoã. O evangelho condena a prática de poligamia. O costume das nações do tempo de Davi havia pervertido seu julgamento e influenciado suas ações. Grandes homens têm errado grandemente ao seguir as práticas do mundo. O estudo de todos deve ser para conhecer a vontade de Deus e o que diz a Palavra do Senhor. O triste resultado dessa prática de ter muitas esposas foi tolerado para que pudesse ser sentido severamente por toda a vida de Davi.” Sign of the Times, 26 de outubro de 1888

Anúncios
h1

Quando custa um milagre?

outubro 15, 2010

Discretamente, Tess despejou todo o dinheiro que ela tinha em seu cofrinho e contou cuidadosamente. Após conferir o valor exato, saiu de casa silenciosamente com destino à farmácia mais próxima. No caminho, as palavras da conversa que havia escutado entre e o seu pai e a sua mãe não saíam da sua cabeça: “Só um milagre poderá salvá-lo”.

 

Na porta do estabelecimento, disse ao farmacêutico que queria comprar um milagre. Sem se importar com a inocência da menina, o homem respondeu que não vendia esse tipo de produto. O irmão do farmacêutico, um renomado médico, perguntou à Tess que tipo de milagre ela precisava. Sem titubear, disse que não sabia ao certo, mas que seu irmão precisava ser operado. No entanto, o seu pai não podia pagar e ela queria usar o dinheiro que tinha para ajudá-lo.

 

Impressionado com a iniciativa da criança, o homem perguntou quanto ela tinha no cofrinho. E a resposta, quase um sussurro, foi 1 dólar e 11 centavos. Com um sorriso na face, o médico informou à Tess que aquele valor era exatamente o preço de um milagre. Dr. Carlton Armstrong, especializado em neurocirurgia, salvou a vida de Andrew, que em poucos meses estava em casa. Ainda sem acreditar no milagre, a mãe de Tess se questionava quanto teria sido aquela operação. Feliz, Tess sabia que só havia custado 1 dólar e 11 centavos… e a sua enorme fé.

 

Num tempo em que vemos falsas tentativas de milagres, a fé pura e simples de uma criança foi o instrumento usado por Deus para tocar o coração de um médico. Foi por meio da fé de uma criança que uma família pôde ver a grandeza de Deus. É essa fé, pura e inocente, tal qual daquela criança, que Deus deseja que você tenha a cada dia.

h1

Sorrimos ao ir ao dentista

outubro 7, 2010

Depois de ajudar meu pai com mais uma crise de ATM, fui para meu quarto e  tomei consciência de que os quatro membros da minha família estavam, ao mesmo tempo, passando necessidades odontológicas.

Eu e meu irmão íamos a uma dentista, que, infelizmente, não foi ética conosco. Embora não tivesse condições de cuidar de nós, nada disse. Meu irmão passou anos indo à consultas. Sempre ela dizia que no futuro ia começar um tratamento, porém percebíamos que ela “não movia uma palha” para começar o tratamento .

Em nenhum momento ela foi clara. Apenas falava as coisas “pela metade” e na hora de agir, nada.  Nunca chegava nem perto de resolver as necessidades do meu irmão e as minhas. Assim,  nunca tínhamos resolução completa do problema .

Meses depois, as queixas voltaram como se  nunca tivesse ido lá.
Como se não bastasse, além de nós dois sem dentista, meus pais também começaram a ter problemas odontológicos. Assim, minha mãe contratou uma dentista “que pra variar” não fez um bom trabalho e meu pai contratou outro que  disse não poder resolver seu problema de ATM.
Daí eu pensei: ” Por quê? O que tá acontecendo? Os quatro de uma só vez? Como assim?” Foi quando tive uma ideia. Joelho no chão, olhos fechados, comecei a orar a Deus explicando minha situação. Falei a Ele que estávamos tentando, mas os problemas não estavam sendo resolvidos. A cada dia, nossas necessidades de saúde aumentavam e eu percebia que não dependia apenas da gente, mas sabia que, de acordo com Sua vontade, Ele podia nos ajudar. Pedi a Ele que nos ajudasse a encontrar bons profissionais, que cuidasse bem de nossa família e, se possível, que fosse uma pessoa de Deus.
Estávamos na eminência de mudar de profissionais e era a chance de mudar a situação, mas na hora de marcar a consulta, nada realmente garantia que o dentista era uma profissional, a não ser a certeza que Deus está conosco.
Um dia, cheguei em casa e meu pai disse que tinha marcado uma outra dentista para nós. Nesse momento, várias coisas me passavam pela cabeça, mas tudo pode se resumir em: ” eu orei e sei que Deus não me deixará na mão. Vamos ver o que vai acontecer.”

De cara, minha nova dentista era super simpática. Recebeu-nos muito bem. Ela falava com uma voz calma e mansa. Descobri também que era bem objetiva: explicou-nos tudo o que estava acontecendo com muita clareza e disse tudo o que precisaríamos fazer a fim de melhorar a situação. Assim, eu vi, e ainda vejo hoje, que ela faz tudo o que é necessário fazer para dar certo.
Quando eu notei tudo isso, a alegria no meu coração foi imensa! Todos aqueles fatos significavam para mim que Deus estava me dizendo: ” Filha, estou contigo, não te deixo na mão jamais. Você precisou e aqui está.” Eu agradeci muito quando cheguei em casa, meu coração pulava de alegria enquanto orava e pula agora, enquanto escrevo.
Na vez seguinte que fui lá, recebi mais um presente: enquanto a dentista cuidava da minha boca, ela mandou a sua ajudante ligar o som. O volume era bem baixo e lá tocavam músicas que falavam de Deus! Enquanto ela trabalhava, mesmo concentrada, ela de vez em quando cantava um trecho de uma música bem baixinho. “Além de cuidar bem de nossa saúde, ela ainda é de Deus!” Não só o fato das músicas, mas a maneira como ela se comporta como profissional me mostraram isso.
Atualmente, eu , meu pai e meu irmão vamos à essa dentista e minha mãe encontrou uma outra dentista que cuida da saúde dela muito bem. Hoje sim sorrimos ao ir ao dentista!
Antes de um profissional, existe uma pessoa, e existem pessoas que buscam a Deus e outras que não buscam, mas a questão não é apenas buscar a Deus, temos que ser de Deus. Ser de Deus significa glorificar Seu nome em todos os nossos atos, em todos os momentos, em todos os lugares: com a família, no trabalho, no trânsito, com os amigos e etc.  Dessa maneira, estaremos disseminando o amor de Deus ao nosso redor.
” Respondeu-lhe Jesus: Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento. Este é o grande e primeiro mandamento. O segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo.” (Mt 22: 37-39)
Que Deus os abençoe muito!
Abraço!

Isabela Lima Rodrigues

h1

Sacrifício Perfeito

outubro 1, 2010

“Nos tempos do antigo Israel, todas as ofertas levadas ao templo como sacrifício eram examinadas cuidadosamente. Se fosse descoberto qualquer defeito no animal, este era recusado; pois Deus havia ordenado que a oferta fosse sem mancha”. De acordo com o trecho da Lição da Escola Sabatina dos Adultos deste trimestre, cada vez se torna claro que os sacrifícios relatados no Antigo Testamento deveriam ser impecáveis.

E falando em sacrifício, o estudo dessa semana reforça que o sacrifício não foi descartado nos dias atuais. Isto é, enquanto as pessoas no passado sacrificavam animais sem defeitos, hoje temos que sacrificar o nosso “eu” para o serviço dEle. Por mais que tenhamos a natureza pecaminosa, devemos nos apresentar perante Cristo de “maneira santa e agradável a Deus”. Como a lição afirma, precisamos nos mostrar na MELHOR condição possível.

Todavia, na maioria das vezes, não fazemos o serviço divino da maneira correta. Não temos uma comunhão, um caráter semelhante ao de Cristo. Não temos espiritualidade suficiente para isso. E nem nos preocupamos em obtê-los. Logo, se não nos sacrificamos como precisamos, se nos apresentamos sem pureza, o nosso serviço é recusado. Negado. Essa afirmação pode até soar radical demais, mas é a verdade. Se não comparecermos à presença divina sem agradá-Lo, tudo terá sido em vão. Deus não quer um trabalho perfeito apenas em questões técnicas e teóricas. Ele também quer na prática.

E para atingir, para se mostrar na melhor condição possível, assim como Ele merece, temos que seguir o Seu padrão. Mais uma vez a lição acertou em falar que não há exemplo mais correto a ser tomado do que Cristo Jesus. Não é Moisés, Davi, Daniel, Salomão, pais, amigos ou quem quer que seja. É Jesus. Ele é o melhor e mais alto padrão. E apenas Ele basta e supre todas as nossas necessidades. Siga-o.

Tatyanne de Morais