Archive for the ‘Polêmicos’ Category

h1

Os pecados são iguais?

setembro 25, 2009

Todos os pecados são iguais aos olhos de Deus?

Por Alberto R. Timm

Fundamental para entendermos o problema do pecado é a distinção entre pecado (condição) e pecados (atos pecaminosos). O pecado é uma condição humana de alienação de Deus e um princípio interior propulsor para o mal (ver Is 59:2; Ef 2:1-3 e 5). Esse princípio se manifesta exteriormente através de atos pecaminosos. Cristo declara que “de dentro, do coração dos homens, é que procedem os maus desígnios, a prostituição, os furtos, os homicídios, os adultérios, a avareza, as malícias, o dolo, a lascívia, a inveja, a blasfêmia, a soberba, a loucura” (Mc 7:21 e 22).

Embora a essência de todos os pecados seja sempre a mesma (alienação de Deus), existem algumas realidades que nos impedem de aceitar a teoria de que todos os pecados são iguais aos olhos de Deus. Uma delas é o processo pelo qual a tentação se transforma em pecado. Esse processo é geralmente composto pelos seguintes estágios: atenção, consideração, desejo, decisão, planejamento e ação. Uma vez que o grau de envolvimento nesse processo pode variar de intensidade, não podemos afirmar que o pecado de alguém que teve apenas um desejo pecaminoso momentâneo, seja tão ofensivo a Deus como o pecado premeditado de Davi com Bate-Seba (ver 2Sm 11).

Que Deus não considera todos os pecados iguais é evidente também no fato de o próprio Deus haver prescrito diferentes sacrifícios no Antigo Testamento para a expiação dos diferentes pecados (ver Lv 1 a 7). Além disso, se todos os pecados fossem iguais, como querem alguns, por que deveriam os ímpios ser punidos no juízo final, “segundo as suas obras” (Ap 20:11-13)? Por que alguns haveriam de ser castigados, naquele juízo, “com muitos açoites” e outros com “poucos açoites” (Lc 12:47-48)? Se os pecados fossem iguais, não receberiam todos o mesmo castigo?

Mas a despeito dos pecados serem distintos entre si, todos eles refletem a mesma essência maligna da alienação de Deus. Isso significa que, por mais insignificante que determinado pecado possa parecer, ele é suficientemente ofensivo para excluir o pecador do reino de Deus.

Fonte: Sinais dos Tempos, março/abril de 2000. p. 21 (usado com permissão

Anúncios
h1

Torcer para um time de futebol é errado?

julho 30, 2009

Realmente, há opiniões diversas sobre os assuntos que mencionou e a igreja não tem um posicionamento oficial (pelo menos que eu conheça). Creio que precisamos fazer uso do bom senso e avaliar qualquer prática com base nos princípios de Filipenses 4:8.

Particularmente não creio que torcer por um time ou assistir um jogo pela TV (desde que não seja no Sábado) seja pecado. Isso faz parte da cultura brasileira e não temos como fugir. Mas, se isso se torna prejudicial, ao ponto de nos tirar a paz, nos fazer brigar e deixarmos as coisas de Deus de lado, é melhor até evitar assistir ou ouvir (sei por experiência própria). Cada um precisa encontrar o equilíbrio nessa questão e avaliar – com sinceridade diante de Deus e consigo – se tem estrutura emocional e espiritual para torcer por uma equipe de futebol. Recomendo que as pessoas orem ao Senhor a respeito.

Quanto a ir a estádios de futebol, a Igreja, de forma indireta, não recomenda. Isso pode ser visto nos princípios expostos no Manual da Igreja, pág. 221: “Na vida cristã há completa separação das práticas do mundo, tais como jogos de baralho, assistência a teatros [aqui pode se enquadra a ida aos estádios] e cinemas, a bailes, etc. [aqui também está implícita a ida ao estádio], que tendem a amortecer e destruir a vida espiritual (2 Cor. 6:15-18; 1 João 2:15-17; Tiago 4:4; 2 Tim. 2:19-22; Efésios 5:8-11; Col. 3:5-10…”.

Outras bases para isso podem ser encontradas no Salmo 1:1-6, nos perigos de violência que rodeiam o local e nas práticas que ali são realizadas (até urina é jogada nas pessoas que estão abaixo, nas arquibancadas…).

Pergunta feita por Vinicius A. Miranda e respondida pelo:
Pr. Leandro Quadros – Jornalista e pós-graduando em Jornalismo Científico.

h1

A masturbação e seus efeitos

junho 25, 2008

Certo ou errado?
Para entender o que envolve a masturbação, antes de mais nada, é preciso lembrar que o mesmo Deus que criou o homem e a mulher também inventou o sexo. Foi Ele quem disse aos homens e mulheres para deixarem suas famílias, se unirem a seus cônjuges e se tornarem uma só carne. Em outras palavras, homens e mulheres devem se casar e então se unir sexualmente.

Um relacionamento conjugal, que inclui sexo, não é apenas uma união física entre duas pessoas, mas é também uma combinação de pensamentos, emoções e vidas. Tudo isso está envolvido no tornar-se “uma só carne”. Esse é o ideal de Deus para o sexo. E isso é que traz o maior prazer.

Mas, quando se fala em masturbação, a questão em jogo, na maioria das vezes, não é a sexual. Simplesmente o sintoma assumiu esta forma. Normalmente, no íntimo, há um sentimento de insatisfação consigo mesmo e com a própria vida. A masturbação é um sinônimo de outros problemas – solidão, falta de aceitação própria, imaturidade, falta de disciplina pessoal, etc.

Porque a Masturbação Está Fora dos Planos de Deus? Existem, pelo menos, três motivos: 1º Porque o prazer do sexo foi dado para uma relação de compromisso entre duas pessoas – marido e mulher, e não para um habito solitário; 2º Porque vicia. Todo o vicio e uma forma de domínio do livre arbítrio dado por Deus; 3º Porque provoca o adultério em pensamento. Para que haja o prazer solitário e necessário criar a imagem mental de uma outra pessoa desejada; Ela Traz Alguns Perigos

Veja alguns deles:
♦ Alimenta e aumenta descontroladamente o desejo sexual;
♦ Leva você a viver um mundo de fantasia;
♦ Pode enfraquecer a voz da consciência;
♦ Torna você egoísta;
♦ Leva você a tratar as pessoas como objeto;
♦ Faz você ter dificuldade para lidar com a tensão sexual e com os outras tensões da vida;
♦ Faz você se inibir em decorrência da culpa e vergonha;
♦ Prejudica o relacionamento com o seu futuro cônjuge;
♦ Pode dominar sua vida.

O começo de tudo
Como você já viu, a masturbação é basicamente a válvula de escape de alguns problemas pessoais. O mais serio é que, ao invés de resolve-los ela simplesmente os aumenta e enfraquece a pessoa na luta contra eles. Ela se torna uma forma de fugir destes problemas. Tudo começa com alguns passos que levam a pessoa ao pecado da imoralidade:
1. O desejo de conhecer tudo sobre o sexo oposto;
2. Apreciação de filmes e literatura que sejam sexualmente provocantes, mesmo sabendo que não são saudáveis a vida espiritual e emocional;
3. O material sexualmente provocante leva a pessoa a envolver-se em fantasias eróticas;
4. A pessoa começa a procurar outros para conversar sobre suas fantasias e perguntar sobre suas aventuras sexuais;
5. A masturbação surge como a forma de materializar todas as fantasias imaginadas;
6. A esta altura surge o sentimento de culpa. A pessoa sabe que seu procedimento e pensamentos a estão levando para o caminho errado. Ela começa a reagir, então, de varias formas;
7. Vem a depressão e a pessoa fica chateada consigo mesma pela falta de autocontrole;
8. A pessoa pede perdão a Deus, mas fica em duvida sobre o atendimento. Muitas vezes mesmo sentindo o perdão dEle, ainda sente dificuldade em se perdoar;
9. Ela volta a cair em pecado por não buscar a ajuda de Cristo. Se ela decidir ler a Bíblia e orar, provavelmente vai encontrar o caminho para vencer a tentação. Porem, se ela apreciar o pecado, o problema se torna mais grave;
10. Para lidar com a culpa ela passa a racionalizar, dizendo para si mesma que seu procedimento não e tão mau assim. Nesse momento a pessoa corre o risco de redefinir seus padrões morais, o que e perigoso; Como Mudar Esse é o ponto mais importante – existe solução, e ela está ao alcance. O poder Divino como ponto de partida, unido às decisões e atitudes humanas, podem escrever uma nova história.

Alguns conselhos: Peça Ajuda a Deus. Deus não deixa ninguém sozinho. O Seu amor e Sua força estão sempre ao alcance, não importa qual seja a luta. Jesus não condena. Ele perdoa e ajuda, quando o desejo honesto é vencer. Abra o Coração Para Alguém em quem Você Possa Confiar Pergunte a Deus quem pode ser essa pessoa. Deve ser cristã, mais madura que você e de confiança total. Fortaleça sua Autodisciplina Renunciar a alguma coisa pode ser difícil, quando você sente que vai ficar sem aquilo que lhe traz prazer.

Mas será que é possível renunciar a alguma coisa privando-se dela? No momento em que você disser a si mesmo: Posso renunciar, você vai descobrir uma nova alegria interior e um forte senso de liberdade. Preocupe-se com os Outros Uma vez que as pessoas, freqüentemente se masturbam devido à solidão, uma boa forma de abandoná-la é envolver-se com outras pessoas.

Separe-se de coisas que possam alimentar uma vida de fantasia Fique alerta quando você estiver sozinho, especialmente em lugares onde é fácil ser tentado: no banheiro, no chuveiro ou mesmo na cama, antes de dormir ou quando acordar. Afaste-se também das conversas “privadas” ou “maliciosas” sobre sexo com outras pessoas.

Gaste suas energias
Envolva-se com atividades criativas e alegres com outras pessoas. Saia com os amigos, leia um livro, pratique esportes, faça exercícios, enfim, descubra mecanismos de escape e hobbies que você aprecie. Procure se manter ocupado em atividades sociais. Isso esmaga a tentação.
 
Acredite nos Planos e Recompensas de Deus para Você Deus nunca devolve troco a menos para ninguém. A menos que você confie nas Suas promessas como melhores do que qualquer outra coisa que você passa conquistar, você vai estar recebendo alimento de Segunda qualidade e se  perguntando porque ainda se sente renegado. “Desejei todas as coisas que pudesse desfrutar na vida; mas Deus me deu vida para que pudesse desfrutar todas as coisas.”

Quando Tentado Ligue-se em Jesus. A oração é a melhor defesa para a tentação, já que ela nos lembra que nosso poderoso Amigo é capaz e está disposto a nos ajudar. Lembre-se, Ele tem o melhor para você. Não diminua seu auto-respeito nem apague as descobertas sexuais felizes que você poderá partilhar com seu futuro cônjuge. Saiba que você não deve fazer isso.

Você pode viver com a tensão, e resistir a ela. Lute por ter as mãos limpas. Lembre-se: “… e o puro de mãos cresce mais e mais em forças” (Jó 17:9) Se Você Fracassar Lembre-se… Um fracasso não significa que não houve progresso. Quanto menos medo você tiver de cair, menor será a probabilidade de que isso aconteça. Sua meta deve ser: “hoje melhor do que ontem, amanhã melhor do que hoje”. Se cair, levante-se pelo poder e perdão de Deus, e continue de onde você já estava.

Lembre-se de que você já venceu uma parte da luta. Você é perdoado, e pode ser puro. “Se confessarmos os nossos pecados, Ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e purificar de toda a injustiça.” (I João 1:9) O tempo com Jesus nos liberta. “Quanto mais de Cristo, menos do pecado.” Apegue-se à oração, busque orientação especial nas palavras da Bíblia, e Deus mudará os desejos do seu coração.

Abraços
Vinicius A. Miranda

h1

Qual a visão da Bíblia sobre o aborto?

outubro 12, 2007

Que diz Deus sobre a vida e a personalidade de um feto?
Por Alberto R. Timm

As pessoas têm valor e identidade antes de nascer.   A Bíblia diz em Jeremias 1:5 – “Antes que eu te formasse no ventre te conheci, e antes que saísses da mãe te santifiquei; às nações te dei por profeta.”
Deus está ativo na vida de um ser humano enquanto ele está no útero. A Bíblia diz em Salmos 139:13-14 – “Pois tu formaste os meus rins; entreteceste-me no ventre de minha mãe.  Eu te louvarei, porque de um modo   tão  admirável e maravilhoso fui formado;   maravilhosas  são  as  tuas obras, e a minha alma o sabe muito bem.”  O mandamento  de  Deus  proíbe  tirar  a  vida. A Bíblia diz em Êxodo 20:13 “Não matarás.”

h1

A Onisciência de Deus

outubro 12, 2007

Pergunta:    Se Deus é onipotente e onisciente; sabe se no final de minha vida vou me perder ou não… Por que continua em busca de um pecador (suponhamos que eu esteja perdido e Ele saiba disto)? F. G., Guanambi, BA

Resposta: Obrigado por sua pergunta.
A Onisciência de Deus é uma das coisas mais difíceis de se explicar devido às limitações de nossa natureza humana (por exemplo, os melhores cientistas não conseguiram ainda entender a complexidade do cérebro. Isto nos mostra que, se não entendemos a nós mesmos, mais difícil ainda será compreendermos racionalmente a Deus e Seus atributos).
Entretanto, creio que a Palavra de Deus lançará luz sobre sua questão.
Duas coisas devem ficar claras em sua mente para que eu possa responder sua pergunta:
1) Deus quer que todos sejam salvos – 1ª Timóteo 2:4; 2ª Pedro 3:9, etc. Ele não “predestina” uns para a salvação e outros para a perdição.
2) A Onisciência de Deus não é causativa, ou seja, o fato de Deus saber o que irá acontecer não significa que Seu conhecimento causou determinado acontecimento. Medite nesta frase: “as coisas acontecem não porque Deus as prevê; Deus as prevê porque elas vão acontecer”. Isto significa que Deus dá a cada ser humano a oportunidade de escolher ser salvo – João 3:15; Apocalipse 22:17, etc.
Tendo isto em mente, posso dar um passo adiante e sugerir-lhe a seguinte solução: Deus vai atrás do pecador, mesmo sabendo que esse irá se perder, porque Ele, sendo Onipotente, não está preso aos acontecimentos. Ele não está preso ao futuro e à própria Onisciência. Mesmo sabendo que uma pessoa irá escolher a perdição, Ele continua a trabalhar em prol de sua conversão, pois Seu poder pode mudar o futuro das coisas, caso o pecador queira.
Como falei no princípio, reconheço que explicar tal coisa não é algo simples e que outros estudiosos da Bíblia podem ter outra “explicação” para a sua questão. Todavia, acredito que mesmo não tendo todas as respostas, podemos confiar no amor e sabedoria de Deus. Com certeza ele vai agir (e o faz hoje) em favor do pecador da melhor maneira possível, pois Ele é o Justo Juiz: “Desde agora, a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, justo juiz, me dará naquele dia; e não somente a mim, mas também a todos os que amarem a sua vinda” 2ª Timóteo 4:8.
Quando estivermos no Céu iremos comprovar isto pessoalmente. Enquanto não estivermos lá, sigamos em nossa caminhada cristã seguros na mão de Cristo. Somente assim poderemos um dia ter respostas a todos os “porquês” da vida.

h1

O que se pode comer?

agosto 31, 2007

Qual o significado da declaração “tudo o que se move, e vive, ser-vos-á para alimento”? (Gn 9:3)
Por Alberto R. Timm
Algumas pessoas encaram essa declaração divina a Noé, após o dilúvio, como autorização ao consumo, sem quaisquer restrições, de toda espécie de animais limpos e imundos. Mas essa interpretação  não  é  sancionada  pelas normas e práticas alimentares encontradas nas Escrituras.
A distinção entre animais “limpos” e “imundos” já era conhecida por Noé antes do Dilúvio,  pois o próprio Deus havia feito essa distinção ao mencionar os animais a  serem  preservados na Arca (ver Gn 7:2 e 8). Após sair da Arca, Noé ofereceu holocaustos ao Senhor exclusivamente “de animais limpos e de aves limpas” (Gn 8:20). Embora animais limpos fossem sacrificados ao Senhor desde a queda dos nossos primeiros pais (Gn 3:21 e 44), foi somente após o Dilúvio que o consumo de alimentos cárneos foi permitido, pois grande parte dos vegetais havia sido destruída (ver Gn 1:29; 9:1-6).
Se  a  intenção  em  Gênesis 9:3 fosse eliminar toda e qualquer distinção entre animais limpos e imundos, isso certamente apareceria  nas  discussões  bíblicas posteriores sobre o assunto.  Isso, porém, não ocorre.  Mesmo se Gênesis 9:3 houvesse liberado temporariamente o consumo  de  animais  imundos,  o  que  não é  o  caso,  essa  hipotética   permissão  acabaria  sendo  desfeita  eventualmente  pelas  leis  de  saúde registradas em Levítico 11:1-31,  Deuteronômio 14:3-21  e outros textos bíblicos.
A própria determinação divina de preservar na Arca “sete pares” de  cada  espécie  de  animais limpos e apenas “um par” dos animais imundos (Gn 7:2) sugere que somente os animais limpos haveriam de ser oferecidos em sacrifício e consumidos como alimento. Como dos animais imundos foi preservado apenas um casal de cada espécie, bastaria que Noé imolasse  o  macho  ou  a  fêmea  de  um  casal que ainda  não  havia  se  reproduzido  para  acabar extinguindo definitivamente a respectiva espécie.
Devemos ser cautelosos na interpretação de “tudo o que se move, e vive”, para não acabarmos incluindo o próprio homem entre os alimentos cárneos divinamente sancionados, pois este também “se move, e vive”.  Portanto, a expressão é uma mera generalização (semelhante à expressão “todo o mundo”, usada em português), que não desfez a distinção entre animais limpos e imundos já conhecida naquela época. Assim, após o dilúvio o homem poderia se alimentar também de animais limpos, em acréscimo aos vegetais que já vinham sendo consumidos desde a Criação (Gn 1:29).

Fonte: Sinais dos Tempos, novembro/dezembro de 1999. p. 29 (usado com permissão)

h1

Cabelo Comprido

agosto 3, 2007

Tenho sérias dúvidas a respeito de poder deixar meu cabelo crescer, não para ficar comprido como de mulher, mas na altura da orelha ou ombro.
Quero destacar que não há nenhum tipo de influência por parte de pessoas mundanas e/ou famosas nessa minha decisão. Apenas por já ter visto alguns raros Adventistas fazendo tal uso, fiquei a refletir que não seria coisa errada. Qual é a posição certa?

MINHA RESPOSTA PARA VOCÊ:
Quanto ao uso do cabelo comprido para homem, algumas considerações, e um texto Bíblico. Gostaria que você entendesse essas considerações como motivos para não deixar seu cabelo crescer.
1. O cabelo comprido para o homem (ainda) cria comentários maliciosos, o que não fica bem para um cristão. Se algum hábito escandaliza outra pessoa, ele deve ser deixado, porque devemos servir sempre de inspiração e nunca de motivo de escândalo.
2. O cabelo comprido é uma característica distintiva feminina. O tradicional para o homem é o cabelo curto. Como cristãos, somos moderados e tradicionais em nossos hábitos, pela santidade de nossa vida e mensagem. Além disso, defendemos a idéia de diferença entre homem e mulher. A sociedade hoje defende a idéia de que quanto mais parecido melhor, mas não é nossa visão.
3. O cabelo comprido no homem é sinal de vaidade. Na mulher é normal, mas também pode se transformar em vaidade. Por isso, como homem é melhor ficar fora disso.
Estas são algumas questões para pensar. O mais importante porém é o conselho bíblico:
I Coríntios 11:14 – “Não vos ensina a própria natureza que se o homem tiver cabelo comprido, é para ele uma desonra;”
Pense nisso, e decida se manter ao lado do que é certo, pela graça de Deus.

Erton Köhler