h1

Sonhos de ventura

janeiro 22, 2014

Memorias do meu Avô

“Os meus sonhos de ventura
Se resumem, veja bem:
entre roseiras, um lar,
eu, você e mais ninguém…”

Oséas Florêncio de Moura

Anúncios
h1

Amor sem igual

janeiro 15, 2014

Memorias do meu Avô

“Perguntei ao sol se viu,
À lua se conheceu
Às estrelas se encontraram
Um amor igual ao meu.”

Oséas Florêncio de Moura

h1

A Bondade

janeiro 8, 2014

Memorias do meu Avô

“A bondade é a inteligência do coração”

Oséas Florêncio de Moura

h1

Anos

janeiro 1, 2014

Memorias do meu Avô

“Tudo passa, às vezes, penso,
Os anos vem e se vão,
Só não passa o amor imenso,
Que me vai no coração.”

Oséas Florêncio de Moura

h1

Sonho de Natal

dezembro 25, 2013

Memorias do meu Avô

“Mamã, diz o garoto despertando,
Eu tive agora um sonho tão bonito!
E nos maternos braços se atirando:
Era um gato… um chachorro… um cabrito.

Esse então!… Oh, se o visses!… Que beleza!
E fazendo com as mãos: era assimzinho!
Mas é tudo mentira, com certeza
Se eu não tenho seque um chinelinho

Mas tu choras, mamâ! Oh, que tolice
Entriisteceu-te então o que te disse?!
O teu rosto a sorrir é tão bonito!

Ao tal Papá Noel direi, querida,
que a troco de te ver entristecida,
Eu não desejo ter o cavalito!”

Oséas Florêncio de Moura

h1

A mais querida

dezembro 18, 2013

Memorias do meu Avô

“Serás querida como outrora
Mulher nenhuma o foi jamais
E dia a dia, hora por hora
Hei de te amar cada vez mais.”

Oséas Florêncio de Moura

h1

Caminhos da Vida

dezembro 11, 2013

Memorias do meu Avô

“Assim… Ambos assim, no mesmo passo,
Iremos percorrendo a mesma estrada,
Ter no meu braço trêmulo amparada,
Eu aparando no teu lindo braço.

Ligados neste arrimo embora escasso,
Venceremos as vozes da jornada…
E tu te sentirás menos cansada,
E eu menos sentirei o meu cansaço.

E assim ligados pelos bens supremos,
Que para mim o teu caminho trouxe,
Plácidamente pela vida remos

Calcando mágoas, afastando espinhos,
Como se a escarpa desta vida dosse,
O mais suave de todos os caminhos.”

Oséas Florêncio de Moura