Posts Tagged ‘desanimo’

h1

Vecendo o Desânimo

setembro 29, 2009

desanimo“Importantes lições nos são apresentadas na vida de Elias. Quando, no monte Carmelo, fez oração por chuva, sua fé foi provada; porém, ele perseverou em expor a Deus sua petição. Seis vezes orou ele fervorosamente, e todavia não houve indício de que sua súplica fosse atendida, mas com fé vigorosa insistiu em seu pedido perante o trono da graça. Se, da sexta vez, ele tivesse desistido em desânimo, sua súplica não haveria sido atendida; mas ele perseverou até que veio a resposta. Temos um Deus cujo ouvido não está cerrado às nossas petições; e se Lhe provarmos a palavra, Ele honrará a nossa fé. Ele quer que todos os nossos interesses se entrelacem com os Seus, e então nos pode com segurança abençoar; porque assim não tomaremos glória para nós mesmos quando a bênção nos é dada, mas renderemos a Deus todo o louvor. Ele não nos ouve sempre as orações da primeira vez que a Ele clamamos; pois se assim fizesse, julgaríamos ter direito a todas as bênçãos e favores que nos concede. – Review and Herald, 27 de maio de 1913.

O servo observava enquanto Elias orava. … À medida que esquadrinhava o coração, parecia-lhe ser pequeno, tanto em seu próprio conceito como aos olhos de Deus. Parecia-lhe que ele não era nada, e Deus era tudo e, ao chegar ao ponto de renunciar ao próprio eu, ao mesmo tempo que se apegava ao Salvador como sua única força e justiça, veio a resposta. O servo apareceu e disse: “Eis que se levanta do mar uma nuvem pequena como a palma da mão do homem.” I Reis 18:44. – Review and Herald, 26 de maior de 1891.

Por mais corajoso e bem-sucedido que um homem seja no cumprimento de uma obra especial, a menos que olhe constantemente para Deus quando as circunstâncias se levantam para provar-lhe a fé, ele perderá a coragem. Mesmo depois de Deus lhe dar assinaladas provas de Seu poder, depois de haver ele sido fortalecido para efetuar a obra do Senhor, falhará, a menos que confie impliciramente na Onipotência. – Review and Herald, 16 de outubro de 1913.” Filhos e Filhas de Deus, pág. 206

h1

Desânimo com a Vida

novembro 28, 2008

Mudei para outra cidade a alguns anos. Logo após a mudança tudo era alegria, mas agora, não me sinto bem com o pessoal da igreja, pois acho que eles são fingidos demais. Eu consigo notar quando uma pessoa está ou não “representando” comigo, sendo um amigo que sempre quer alguma coisa em troca. Por isso, meu nível de relacionamento é bastante restrito. Não me sinto confortável, é como se alguém ficasse me observando, vendo tudo que faço e anotando meus defeitos.

Já fui Desbravador na outra cidade em que eu morava, mas vindo para esta nova cidade, não me animei muito. Gostaria de voltar e ser um grande desbravador para levar a mensagem adiante. Estou muito carente disto.

Estou cheio de dúvidas, também, quanto à Universidade. Me diga o que devo fazer, já que estou cursando o segundo ano de uma faculdade que não gosto. Seria muito simples dizer para mudar de faculdade, que não adianta continuar nesta, já que não irei usufruir dela. O detalhe é que estou cursando uma faculdade que tem a ver com o trabalho que faço, e isso me dificulta fazer outra coisa.

Passei um bom tempo desempregado, e depois disso senti que fiquei mais retraído, mais fechado para o mundo. Deus já me abriu algumas portas. Não foram bem como eu gostaria, mas tem me ajuda. Só que ainda não consigo me sentir animado.

 

MINHA RESPOSTA PARA VOCÊ:

Espero não passar por alto nenhum detalhe.

Me parece que toda a rejeição que você sente pela nova cidade e fruto de você mesmo e da crise que você esta vivendo, e não das pessoas que estão ao seu redor. Você está em duvida sobre novos amigos, clube de Desbravadores, faculdade, etc. e tudo isso fez com que você ficasse para baixo e se isolasse das pessoas. Por haver se isolado você acabou criando a idéia de as pessoas não gostam de você. Ficam lhe medindo o tempo todo. Provavelmente toda essa imagem, e toda a cobrança estejam apenas em sua mente. Você acabou criando uma barreira com quem você deveria ter criando uma ponte.

Você precisa das pessoas para se sentir ambientado e apoiado. Acredito que se, ao invés de julga-las e se afastar, você procurar se aproximar, mesmo que apenas de alguns, muitas de suas inquietudes pessoais já irão desaparecer. Procure ver quem são as pessoas de quem você pode se aproximar primeiro, e quem sabe, através delas você alcance as demais.

Veja quais são as atividades realizadas pelo pessoal, e tente se envolver nelas. Coloque um sorriso no rosto e veja o lado bom da vida pois, se não for assim, os amigos acabam se afastando. Isso pode parece difícil para você por causa do desânimo. Faca deste um motivo de oração. Ore: “Senhor, me mostre de quem devo me aproximar e como devo fazer isso” e Deus vai lhe mostrar.

Quanto ao clube de Desbravadores, não crie barreiras para você mesmo. Apesar dos problemas que podem ter ocorrido, vá se envolvendo e você vai ver que esses problemas vão se tornar pequenos. Você precisa ir ao encontro das coisas e pessoas.

E a faculdade? Não insista naquilo que não esta fazendo você feliz. Se você não esta gostando de uma faculdade, o caminho e partir para outra. Agora, avalie:

1. Você não gosta realmente da faculdade, ou a sua situação de desanimo é que esta fazendo você rejeita-la. Se ha um risco de o desanimo estar afetando a faculdade, não pare nem mude, avance um pouco mais para ter certeza do que você quer.

2. Se você não sabe o que fazer, continue fazendo o curso atual. Parar apenas por parar não é um bom negocio. Você pode até descobrir, depois, que gostaria de fazer uma outra faculdade, mas vai acabar conseguindo aproveitar o que já fez até aqui. Algumas matérias vão valer para o novo curso, ou você será um profissional mais completo por ter feito quase duas faculdades.

Pense e ore sobre o assunto. Você precisa de algumas definições pessoais que Deus pode lhe mostrar. O importante e buscar a ele, compreender e aceitar suas respostas e partir para a ação.

Um abraço.

 

Maranata!

 

Erton Köhler