Posts Tagged ‘deus’

h1

Qual é a sua experiência?

abril 15, 2010

No início de fevereiro, tive a chance de participar de um final de semana de oração com o pastor Samuel Neves, um brasileiro que lidera uma igreja inglesa. Na mensagem da sexta-feira, uma das primeiras indagações do pastor foi quem era Deus para cada um ali presente. E sem nos deixar pensar, ele afirmou que, se perguntássemos a Noé quem era Deus, ele certamente responderia que foi quem o mandou construir a arca do dilúvio. Para Samuel, talvez Aquele que o chamou pelo nome. Para Moisés, Aquele que abriu o Mar Vermelho.

Isto é, a Bíblia é um livro de histórias, relatos de pessoas que provaram do amor e grandeza de Deus. A mensagem do pastor Samuel me fez pensar o quanto é importante que tenhamos o nosso relacionamento com Deus, individualmente. Se alguém passa por uma doença, por exemplo, é impossível outra pessoa “sentir muito” por algo que ela nunca teve, não experimentou. Tenho percebido isso quando alguns perguntam como tem sido a minha experiência em outro país, afinal, por mais que eu tente detalhar, a situação leva a emoções indescritíveis, que podem ser vivenciadas apenas por quem passa.

Neste sábado, sugiro que você possa refletir nas perguntas a seguir: Quem é Deus para você? Você já provou do amor dEle? Se alguém te perguntar quem é Deus, você vai relatar a história de outra pessoa ou é capaz de contar sobre a SUA própria experiência? Se essas questões ainda permanecem sem respostas, busque conhecer o nosso Deus em espírito e verdade, pois quando nos deleitamos em seus caminhos, nos deparamos com a Sua grandeza e o Seu amor. Logo, seremos capazes de dizer aos outros da nossa própria experiência, da NOSSA história com Deus.

Tatyanne de Morais

Anúncios
h1

Quinto Mandamento

fevereiro 8, 2010

“Honra a teu pai e a tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na Terra que o Senhor teu Deus te dá.” Êxo. 20:12.

“Os pais têm direito ao amor e respeito em certo grau que a nenhuma outra pessoa é devido. O próprio Deus, que pôs sobre eles a responsabilidade pelas almas confiadas aos seus cuidados, ordenou que durante os primeiros anos da vida estejam os pais em lugar de Deus em relação aos seus filhos. E aquele que rejeita a lícita autoridade de seus pais, rejeita a autoridade de Deus. O quinto mandamento exige que os filhos não somente tributem respeito, submissão e obediência a seus pais, mas também lhes proporcionem amor e ternura, aliviem os seus cuidados, zelem de seu nome, e os socorram e consolem na velhice. Ordena também o respeito aos ministros e governantes, e a todos os outros a quem Deus delegou autoridade.

Este, diz o apóstolo, “é o primeiro mandamento com promessa”. Efés. 6:2. Para Israel, esperando em breve entrar em Canaã, era um penhor, ao obediente, de uma vida longa naquela boa terra; mas tem ele uma significação mais ampla, incluindo todo o Israel de Deus e prometendo vida eterna sobre a Terra, quando esta estiver livre da maldição do pecado.”

Patriarcas e Profetas, pág. 308

h1

A Torre de Pisa

fevereiro 5, 2010

A Torre de Pisa, na Itália, é famosa por sua inclinação, devido a um afundamento do terreno em foi construída. Do alto de seus 56 m, a torre “torta” chega a uma inclinação de cinco graus, que cresce cerca de 20 mm por ano.

Seria possível morar na Torre de Pisa? Como você vai montar um quarto, uma sala? Não dá. O problema está na base. Se você aluga ou compra uma casa, pode reformá-la de acordo com seu gosto: trocar o piso, mudar a cor e até a mesmo a ordem dos cômodos. Mas não é possível modificar os fundamentos da casa, a menos que você a derrube.

Infelizmente, existe muita gente como a Torre de Pisa – gente torta, que não está em cima de uma base sólida. Um pensamento comum para essas pessoas é de que nada é imutável e que não existe verdade absoluta. Mas não podemos esquecer que os fundamentos são feitos para dar sustentação à obra e mantê-la em pé.

Esse é o princípio da Lei de Deus, também conhecida como os Dez Mandamentos. Ela reflete parte do caráter de Deus, é o retrato de Sua maneira de pensar. Como um molde que fixa um padrão, a Lei precisa sempre ser colocada diante das pessoas como algo que não muda e uma base sobre a qual a vida deve ser construída.

Num mundo desalinhado pelo pecado, a ação de Satanás sempre trouxe transformações aos conceitos e princípios deixados por Deus. Mesmo depois do pecado, esses princípios eternos visam trazer equilíbrio, ordem e propósito a pessoas, instituições e governos. Quando um deles, até mesmo o menor, é alterado, acontece um desequilíbrio da ordem natural das coisas, desencadeando um processo destrutivo.

Um exemplo é a infidelidade aos votos matrimoniais. Quando uma pessoa escolhe desobedecer aos princípios do casamento, as conseqüências desse ato podem levar à desintegração do casamento, à infelicidade e à má formação dos filhos em razão do mau exemplo. Tudo isso ocorre porque um fundamento foi quebrado.

A Bíblia diz que o homem que edifica sobre a rocha é bem-sucedido. Todo aquele que coloca na vida os Mandamentos de Deus como princípio imutável, é como o homem que edificou sobre a rocha. Assim como uma construção precisa ter fundamento sólido, o cristão precisa conhecer os princípios que não podem ser alterados. Sempre que alguém faz isso, estabelece um compromisso com a verdade, e isso o ajuda a crer cada vez mais.

Há uma grande necessidade de fundamentos sólidos no mundo de hoje. Ellen White disse: “A maior necessidade do mundo é a de homens […] que permaneçam firmes pelo que é reto, ainda que caiam os céus” (Ellen G. White, Educação, p. 56, 57). Lembre-se de Malaquias 3:6: “Porque Eu, o Senhor, não mudo.” Renove sua aliança com Deus e decida mais uma vez ser fiel a Seus Mandamentos!

Areli Barbosa

Líder de jovens na União Sul-Brasileira

areli.barbosa@usb.org.br

h1

Primeiro amor

agosto 5, 2009

primeiroamor

Na última segunda-feira dei início a mais um período da faculdade. Para ser bem específica, comecei a ter aulas do oitavo, último dos quatro anos de curso. Plena segunda, quase dois meses de férias, e claro, a minha expectativa era quase nenhuma. De verdade? Zero. Queria era ficar em casa e curtir a minha ‘caminha’ por mais alguns dias.

Quando estava nos primeiros períodos, recordo que conversava bastante com os alunos de classes mais avançadas, que alegavam que não viam o momento de se formar. Ficava me questionando o motivo, já que eu achava o máximo ir à faculdade naquele primeiro ano de graduação, em 2006. Ainda gosto muito, afinal não vou negar que sou apaixonada pelo curso de Jornalismo. Mas, pensava como alguém não gostava ou não aproveitava os últimos dias de aula. Confesso que julgava e acreditava que eram preguiçosos ou algo do tipo. Hoje, na mesma situação que eles, percebo que há o desgaste natural da rotina de quatro anos.

Infelizmente o mesmo acontece no âmbito espiritual. Quando conhecemos a Cristo nos empolgamos, ficamos realmente contemplados por amor tão grande e incrível. Ficamos deslumbrados, surpresos e não entendemos como existem no mundo e nas igrejas cristãos quase incrédulos, ou pessoas que não conservam mais o “primeiro amor”. Admiro aqueles recém-batizados ou aqueles que recebem a mensagem do evangelho e ficam animados e ansiosos por viver com Ele eternamente. A espera da volta de Jesus nos cansa? As pregações a respeito sobre a Segunda Vinda caíram no clichê no nosso coração? A nossa vida aqui na terra nos deixa desanimados ou nos fazem perder o foco celestial?

Não podemos permitir que a nossa vida espiritual, a nossa comunhão e principalmente o nosso amor por Deus se torne uma rotina, um clichê. Precisamos retomar o primeiro amor. São tantas provas da Sua existência e do Seu sacrifício, que deveríamos amá-Lo a cada dia, cada vez mais. Que não fiquemos desanimados com as promessas que escutamos a respeito do retorno de Cristo à terra porque Jesus não vai voltar, ele JÁ está voltando. Oremos para que Cristo possa restaurar o nosso amor. Nunca esqueçamos de agradecer e louvá-Lo pelas bênçãos e pela maior prova de amor que Ele nos deu. Por fim, que possamos continuar a ficar maravilhados e emocionados por sentir e vivenciar a grandeza divina e amor imensurável e incondicional.

Que possamos realmente nos preparar porque logo logo veremos a face do Salvador.

h1

Deus Infinito

agosto 4, 2009

apollo11return_nasa_small

(Clique para ampliar)

Você já imaginou qual a percepção de um astronauta quando volta do espaço?!

Quando olho para fotos como essa, vejo o quanto somos pequeninos e quão imenso é nosso Deus. Percebo quão nossa fé é pequena, capaz de se prender a circunstâncias tão pequenas do cotidiano, quando deveríamos confiar nesse Deus Infinito.

Fica aqui um conselho de Ellen White:

“Devemos contemplar a Deus na Natureza – estudar-Lhe o caráter na obra de Suas mãos. A mente se fortalece ao tomar conhecimento de Deus, lendo Seus atributos nas coisas que Ele fez. Ao contemplarmos a beleza e grandiosidade das obras da Natureza, nossas afeições se expandem para Deus, e embora nossa alma se conserve reverente e o espírito submisso, a alma se nos revigora ao entrar em contato com o Infinito mediante Suas maravilhosas obras. A comunhão com Deus mediante a humilde oração desenvolve e fortalece as faculdades mentais e morais, e os poderes espirituais aumentam graças ao cultivo de pensamentos em coisas espirituais. Youth”s Instructor, 14 de julho de 1833. ”  Mente, Caráter e Personalidade Vol. 2, pág. 732

Um Abraço,

Felipe Scipião

h1

Deus e o Amor

julho 13, 2009

Deus_amor

“Tudo quanto é feito por puro amor, por mais pequenino ou desprezível que seja aos olhos dos homens, é inteiramente frutífero; pois Deus olha mais a quanto do amor alguém põe no que faz, do que na quantidade que realiza.”

Cartas a Jovens Namorados, pág. 32

h1

Não Acredita em Deus

julho 1, 2009

Não acredita em Deus

Preciso de sua resposta para ajudar uma amiga que está com duvidas a respeito de Deus. Abaixo segue a mensagem que recebi dela. Me diga como posso ajuda-la?

“Eu quis te mandar um e-mail hoje para te falar uma coisa muito importante e talvez você possa me ajudar, aliás, creio que você seja a pessoa mais indicada para isso. O fato é que eu estou na dúvida sobre a existência de Deus, é verdade não sei mais se eu acredito nisso. Fui em várias igrejas na vida e não acredito em religião, mas, em DEUS eu acreditava. Depois de alguns acontecimentos comigo, em que eu fui super legal com as pessoas e só recebi traição e mentiras eu não sei se acredito neste cara, sabe por quê?

Porque as pessoas que eu vejo enganar, mentir, trair e zoar com os outros sempre estão numa boa, os homens que traem enganam e mentem sempre estão cada vez mais cheio de mulheres e as mulheres que mentem traem , se prostituem e coisas do tipo sempre estão numa ótima, cheio de amigos e namorados e felizes.

Quando vejo estas situações é que me vem a dúvida, entende? Eu estou numa dúvida cruel e partir de hoje vou decidir se acredito em Deus ou não, porque se as pessoas que fazem o mal recebem o bem e estão felizes mesmo brincando com as pessoas , eu vou começar a fazer a mesma coisa. Não vou sair por aí enganando todo mundo, claro que não, isso não combina comigo, mas, deixarei de acreditar neste Deus que ao meu ver é injusto.

O que você tem a dizer sobre isso? Preciso que você que é religiosa me explique isso.”

Na verdade, eu tenho o meu próprio entendimento sobre este assunto, mas não sei expor de forma que ela possa entender.

MINHA RESPOSTA PARA VOCÊ E SUA AMIGA:

Me parece que a garota que escreveu para você está mais carente emocionalmente do que em dúvida. Ela está se sentindo para baixo e pedindo socorro. O melhor é tentar conversar com ela por telefone, ou até mesmo fazer uma visita. É carinho e interesse que ela quer.

Quanto à questão de Deus ela tem que entender algumas coisas:

1. Será que aqueles que fazem tudo errado estão felizes mesmo? Nem tudo o que parece ser é assim mesmo.

2. Ser feliz, é ter um sentimento, ou ter alguma coisa? Ela coloca sempre que os outros tem isso ou aquilo. Felicidade não é ter as coisas, mas ser alguma coisa. O que a gente mais vê por ai são pessoas pobres fiéis e felizes, e ricos querendo se livrar um pouco do peso da fama ou da riqueza para ser gente “normal”.

3. Será que para nos fazer felizes Deus tem que dar o que queremos, ou Ele sabe o que é melhor para nós? Como é que uma mãe age com um filho?

4. Esta infelicidade que ela está sentindo vem de Deus, ou é um resultado da maneira como ela tem se comportado e encarado a vida? Digo isso, porque quando as pessoas são muito pessimistas, negativas ou azedas, acabam atraindo isso para si também. Aquilo que alguém dá para a vida é o que a vida vai lhe devolver.

5. Desacreditar em Deus e viver sem Ele vai trazer que benefícios para ela? Será que ao tirar Deus da vida, automaticamente a felicidade vai aparecer. Pelo que pude notar ela já está desacreditando em Deus, e mesmo assim não se sente feliz.

Dê carinho e atenção a ela, pois é a maior necessidade. Além disso, continue orando por ela.

Maranata!

Erton Köhler