Posts Tagged ‘Haiti’

h1

Haiti: uma perspectiva diferente da tragédia

janeiro 29, 2010

Ao visitar o Haiti na semana seguinte ao terremoto do dia 12 de janeiro, o Pastor Luís Miguel Acevedo, diretor da ADRA República Dominicana, percebeu que os haitianos tinham falta de algo que o dinheiro não pode comprar: a esperança. “A cena mais dura que vi, foram pessoas caminhando sem um rumo definido, com vários mortos ao lado, com os olhos perdidos na distância, pensando que tudo havia terminado para eles”.

Contudo, não foi um momento triste que marcou o pastor em sua última visita ao Haiti, mas um espírito de gratidão e força de vontade que alguns adventistas demonstraram. Acevedo conta que: “Uma das noites que estive lá, escutei um grupo de fiéis irmãos cantar… toda a noite cantando e exaltando o nome de Deus, porque Deus foi bom com eles e os protegeu. É incrível, no meio da adversidade, ver como muitos que ficaram sem casa, alguns sem familiares, estavam cantado ao Senhor, para glorificá-Lo. Isso me impressiona mais que o desastre e todo o mal que vi… essa expressão de adoração que tem os irmãos aqui”.

Além da ajuda física, a ADRA e a Igreja Adventista tem levado esperança ao Haiti e comprovado que os habitantes deste país tem recebido de DEUS uma força incrível para lutar contra os seus maiores medos e desafios. O Pastor Luis Acevedo conclui relatando o que viu: “Todavia existe esperança… Muitos decidiram ser voluntários para salvar a outros e isso me enche de emoção. Tive a oportunidade de ver alguns garotos, que haviam perdido praticamente toda a família, dizerem que não podiam ficar sem fazer nada e queriam salvar a outras pessoas”.

Se você também não quer ficar sem fazer nada, procure uma agência da ADRA mais próxima da sua casa e faça uma doação ou acesse o site http://www.adra.org. Os adventistas também podem fazer as doações em suas congregações, identificando-as como oferta para o SOS Haiti – ADRA. Leve você também esperança ao Haiti e “transforme o mundo, uma vida de cada vez”.

Márcio Basso.

(retirado de advir)

Anúncios
h1

Adventistas fazem a diferença no Haiti

janeiro 25, 2010
h1

Haiti? Por quê?

janeiro 22, 2010

“A situação humanitária do país, o mais pobre das Américas, é caótica, pelo menos 75 mil de pessoas morreram segundo a Defesa Civil, e espera-se que o número de vítimas cresça.
Cadáveres foram enterrados em valas comuns ou pelas próprias famílias. Comida, água e medicamentos escasseiam.” (g1)

CAOS! Talvez seja a melhor palavra que possa expressar esta situação. Ainda há muitas pessoas à procura de emprego após a destruição, ainda há crianças sendo regatadas sem família, ainda há cirurgias feitas sem anestesias, amputações necessárias com uma assistência mínima possível, e até pessoas sem assistência.

“Eles sofrem. Todas as pessoas aqui sofrem. Faltam materiais e sangue. Não tem anestesia, não tem ortopedistas. Então, eles morrem, eles morrem, eles morrem. Eles morrem de sofrimento. Eles morrem por falta de tratamento.” (depoimento disponível no link)

Por quê?! Você já parou pra pensar por que essas coisas acontecem?!

(Este artigo não almeja concluir este tema [talvez seja impossível!], mas tentar apenas realizar uma breve reflexão.)

Juízos cheios de misericórdia! Olha alguns textos que encontrei:

“O tempo dos juízos destruidores da parte de Deus é o tempo de misericórdia para aqueles que [agora] não têm oportunidade de aprender o que é a verdade. O Senhor olhará para eles com ternura. Seu coração compassivo se enternece, e a mão do Senhor ainda está estendida para salvar, enquanto a porta é fechada para os que não querem entrar. Será admitido um grande número de pessoas que nestes últimos dias ouvirem a verdade pela primeira vez.” Eventos Finais, pág.182

Pessoas feridas esperavam para serem atendidas em Porto Príncipe.

“Todos os juízos sobre os homens, antes do final do tempo da graça, foram misturados com misericórdia.” Eventos Finais, pág. 265

Talvez seja fácil nós olharmos e dizermos: são os juízos de Deus. Afinal não somos nós que estamos lá! Porém me lembro de uma frase: “Os obstáculos que aparecem na nossa vida, são as oportunidades de Deus em nós”. Às vezes, Deus precisa realizar essas catástrofes para que algumas pessoas olhem pra Ele.

Nunca foi da vontade de Deus que essas coisas ruins acontecessem. Se existe um Ser que só quer o nosso bem. Este é Deus! É o próprio Amor! (I João 4:8) Não é Ele o causador, mas um mal chamado pecado. Aquele que separa o homem de Deus.

E é triste observar quanta gente acariciando-o. Afinal, o que nós temos feito da vida? Realmente crido na volta de Jesus? Como temos administrado nosso tempo de graça? Temos orado? Temos tido momentos com Deus? Temos nos compadecido do próximo? Temos amado a Deus de todo o nosso ser?

Se suas respostas foram não. Ainda é tempo de graça! Se Sim, “Ora vem Senhor Jesus”.

E, se falamos até agora de Juízos cheios de misericórdia, temos que ter cuidado e também advertir o nosso semelhantes de outro tipo de juízo:

“Na ocasião em que os juízos de Deus estiverem caindo sem misericórdia, oh! quão invejável para os ímpios será a posição dos que habitam “no esconderijo do Altíssimo” – o pavilhão em que o Senhor esconde todos os que O têm amado e obedecido a Seus mandamentos! Em tal tempo como esse, a condição dos justos será realmente invejável aos que estiverem sofrendo por causa de seus pecados. Mas a porta da graça estará fechada para os ímpios. Depois que terminar o tempo da graça não serão mais oferecidas orações em seu favor.” Eventos Finais, pág. 235

Aproveite a graça!

(Felipe Scipião)