Posts Tagged ‘jesus cristo’

h1

Humildade

agosto 12, 2009

humildade

“A humilhação do homem Cristo Jesus é incompreensível à mente humana; Sua divindade e Sua existência antes da fundação do mundo, porém nunca poderão ser postas em dúvida por aqueles que crêem na Palavra de Deus. O apóstolo Paulo fala de nosso Mediador, o unigênito de Deus, o qual, no estado de glória foi achado em forma de Deus, o Comandante de todos os exércitos celestes, e que ao revestir Sua divindade com a humanidade, tomou sobre Si a forma de servo.” The Youth’s Instructor, 13 de outubro de 1898

O texto não termina por aí, mas PARE um pouco!  PAROU?! Agora imagine Jesus antes vir a esta Terra! Me impressiona neste belo texto a imagem de Jesus nesse momento: “forma de Deus” (já imaginou a grandiosidade de Deus?), “Comandante de todos os exército celestes” (que poder! Se um general aqui na Terra já é temido, imagine o Comandante do exército celestial!).

Agora imagine que humildade Ele teve. O texto continua:

“Consentindo em se torna homem, Cristo manifestou uma humildade que maravilha os seres celestiais. O ato de consentir em ser homem, não seria nenhuma humilhação9, não fora a exaltada preexistência de Cristo. Precisamos abrir o entendimento à compreensão de que Cristo pôs de lado Sua veste real, Sua real coroa, o elevado comando, e revestiu Sua divindade com a humanidade, a fim de poder vir ao encontro do homem onde este se achava, e trazer poder à família humana a fim de que se pudessem tornar filhos e filhas de Deus. Para redimir o homem, Cristo Se tornou Obediente até à morte, e morte de cruz.” The Youth’s Instructor, 13 de outubro de 1898.

Foi para nos tornar filhos e filhas de Deus que Ele fez tudo isso. Humilhou-Se. Temos seguido seu exemplo?

“A mansidão e humildade que caracterizam a vida de Cristo se manifestarão na vida e no caráter dos que andam ‘como Ele andou’ ” The Youth’s Instructor, 8 de novembro de 1894

Um abraço,

Felipe Scipião

Anúncios
h1

#6 Encenação Campori

dezembro 8, 2007

Encenação Getsemani Campori

Uma encenação mostrando Jesus no Getsemani sendo tentado. Muito interessante. Que possamos pensar mais nesse sacrifício.

Para ver no canal clique aqui (ver na web)

Próximo vídeo será a pregação do Pr. Baraka Muganda.

Aguardem!

h1

Quando erramos por não fazer

dezembro 4, 2007

Muitas vezes erramos realmente por cometer alguma falha, mas muitas vezes erramos por não fazer. Isso é chamado de NEGLIGÊNCIA.

Eu estava lendo este livro e encontrei essa declaração interessante:

“Nossa condenação no Juízo não será resultado de havermos estado em erro, mas do fato de termos negligenciado as oportunidades enviadas pelo Céu, para conhecer a verdade.” O Desejado de Todas as Nações, pág. 288

Pense agora, quantas vezes nós negligenciamos?

OracaoQuantas vezes temos a oportunidade da oração e não o fazemos? Olha só o que perdemos:

“É maravilhoso podermos orar sabendo que seremos ouvidos, que mortais indignos e pecadores podem apresentar seus pedidos a Deus. Que mais elevado poder pode o homem desejar do que este – estar ligado com o Deus infinito? O homem fraco e pecador tem o privilégio de falar com seu Criador. Podemos falar com Jesus enquanto caminhamos, e Ele diz: Estou o seu lado (Sal. 16:8).” Obreiros Evangélicos, págs. 254

“Enquanto estamos envolvidos em nosso trabalho diário, devemos elevar a mente ao Céu em oração. Esses pedidos silenciosos sobem como incenso diante do trono da graça; e o inimigo é frustrado. O cristão que coloca o coração em Deus não pode ser vencido. Nenhuma artimanha maligna pode destruir sua paz. Todas as promessas da Palavra de Deus, todo o poder da graça divina, todos os recursos de Jeová, são usados para garantir seu livramento. Foi assim que Enoque andou com Deus. E Deus estava com Ele, um auxílio em todo tempo de necessidade.” Obreiros Evangélicos, pág. 258

Viu aí?! Agora imagine-se na época de Jesus, quando ensinava belas lições ao ar livre, as paisagens lindas ao redor,  cegos começando a ver, cochos saltando de alegria, todos aqueles enfermos sendo curados, a vida sendo  restabelecida ao morto, Suas palavras entrando suavemente nos ouvidos e aquela atmosfera celestial!

“[Cristo] Quer circundar a cada um de nós com a atmosfera celestial, para que possamos dar ao mundo um exemplo que honre a religião de Cristo” Loma Linda Messages, pág. 602

Jesus pode e quer hoje mesmo fazer-nos  sentir essa atmosfera celestial. Através do Espírito Santo podemos estar tão perto de Jesus hoje quanto naqueles tempos. Mas por que às vezes isso tem acontecido?

Negligência…  Através dela perdemos muitas coisas preciosas. Que possamos pensar mais nisso e não perder as oportunidades que o Céu nos dá para encontrar a verdade.

Um abraço a todos,

Felipe

h1

Tanto sofrimento!

outubro 20, 2007

AspasMesmo antes de Se revestir da humanidade, vira toda a extensão da estrada que devia trilhar, a fim de salvar o que se havia perdido. Toda angústia que Lhe dilacerou o coração, todo insulto atirado a Sua fronte, toda privação que foi chamado a suportar – tudo Lhe foi exposto antes de deixar de lado a coroa e as vestes reais, e descer do trono para revestir Sua divindade com humanidade. A vereda que se estendia da manjedoura ao Calvário, estava toda diante de Seus olhos. Conhecia a angústia que dEle se havia de apoderar. Sabia tudo e, todavia, disse: “Eis aqui venho; no rolo do Livro está escrito de Mim: Deleito-Me em fazer a Tua vontade, ó Deus Meu; sim, a Tua lei está dentro do Meu coração.” Sal. 40:7 e 8.

Via sempre diante de Si o resultado de Sua missão. Sua vida terrestre, tão cheia de fadiga e sacrifício, era alegrada pela perspectiva de que todo o Seu trabalho não seria em vão. Dando a própria vida pela vida dos homens, reconquistaria o mundo à lealdade para com Deus. Conquanto devesse primeiro receber o batismo de sangue; embora os pecados do mundo Lhe devessem pesar sobre a alma inocente; se bem que a sombra de indizível aflição sobre Ele impendesse; todavia, pelo gozo que Lhe estava proposto, preferiu sofrer a cruz e desprezar a afronta.aspas

O Desejado de Todas as Nações, pág. 410

AspasJesus não reputou o Céu um lugar desejável, enquanto nos achávamos perdidos. Deixou as cortes celestes por uma vida de vitupério e insultos, e uma ignominiosa morte. Aquele que era rico nos apreciáveis tesouros celestes, tornou-Se pobre, a fim de, pela Sua pobreza, nos tornarmos ricos. Cumpre-nos seguir a vereda por Ele trilhada.aspas

O Desejado de Todas as Nações, pág.417

Fica a reflexão: O que temos feito mediante todo esse maravilhoso amor?