Posts Tagged ‘joias’

h1

E ai pastor?! – Lançamento do Site

agosto 21, 2009

Janela Virtual que se Abre na Vida Real do Jovem

Janela Virtual que se Abre na Vida Real do Jovem

Lançamento do site do E ai Pastor?!

Temas:

1 – Musica Cristã – Influencias mundanas
2 – Musica Crista – Bateria na igreja
3 – Musica Crista – Danca
4 – Lazer – Hora Social
5 – Estilo de Vida – Maquiagem
6- Estilo de Vida – Uso de joias
7 – Futebol – Ir ao estadio
8 – Sexualidade – namoro
9 – Sexualidade – namoro – idade
10 – Sexualidade – homossexualidade
11 – Sexualidade – influencias na midia
12 – Sexualidade – masturbacao
13 – Tecnologia – Internet
14 – Tecnologia – Cinema
15 – Atualidade – Principios X Cultura
16 – Igreja – Nova doutrina
17 – Universidade – Criacionismo
18 – Perfeito como Deus é perfeito
19 – Recado Final

Acesse – eaipastor.portalja.com.br

Anúncios
h1

Programa E aí Pastor com Pr. Odailson Fonseca!

agosto 19, 2008
h1

É certo usar jóias?

fevereiro 15, 2007
Esta e uma questão que tem sido muito debatida ultimamente. O objetivo destas orientações não é colocar mais lenha na fogueira. O objetivo é fundamentar o assunto na Palavra de Deus.

Algumas pessoas tratam o assunto como um problema pequeno. Não duvido até que alguém possa pensar: “com tantos problemas sérios na igreja, porque tocar em um assunto tão insignificante e tão aceito por aí?” Por favor, lembre-se: “O que entre os homens é elevado, perante Deus é abominação” (Lucas 16:15). Freqüentemente, as coisas que parecem pequenas na superfície, são as que tem maiores conseqüências. Creio que isto também é verdade na questão das jóias.

O Fruto, Não a Raiz!
O poder do evangelho começa no interior, transformando o coração, ainda que invisível aos olhos humanos. Mas logo em seguida ele continua a fluir e infiltrar-se em cada área da vida, produzindo evidentes mudanças externas. Exatamente como uma planta, a semente nasce embaixo da terra. Mas se a raiz é saudável, a planta logo se vai aparecer e produzir frutos acima do solo. Foi Jesus quem disse: “pelos seus frutos os conhecereis” Mat. 7:20. Você notou? Ele não disse, que os cristãos seriam reconhecidos pelas raízes que crescem debaixo da terra, mas pelo fruto, que aparece.

Embaixadores de Deus
Nós, a igreja, somos as mãos, os pés, os olhos, a boca, e também os ouvidos de Jesus no mundo de hoje. Somos o corpo de Cristo. Nosso Senhor falou, “assim como o Pai me enviou, eu vos envio” João 20:21.

Somos enviados ao mundo, para mostrar quem é Jesus. Através do Espírito Santo, nos tornamos Seus representantes para refletir Sua imagem em tudo; desde o modo como falamos e trabalhamos, até maneira como nos alimentamos e vestimos. Em II Cor. 3:18, Deus diz que “todos nós… somos transformados de glória em glória na mesma imagem, como pelo Espírito Santo do Senhor.”

Exibindo Nossa Natureza
Vamos dar uma olhada na origem das jóias. Deus fez todo o ouro, prata, e pedras preciosas do mundo, e pretendia usa-las de maneira prática. Como esses minerais são tão raros e valiosos, mesmo em pequenas quantidades, há muito tempo eles começaram a ser usados como moeda.

Com o passar do tempo, o povo começou a “usar” seu dinheiro a fim de impressionar os outros com sua riqueza. Quando os compradores iam ao mercado para comprar algum item caro, eles simplesmente tiravam um de seus anéis ou braceletes, e efetuavam o pagamento.
Depois que Rebeca deu a beber aos camelos do servo de Abraão; a Bíblia diz que eles pagaram a ela dessa maneira. “Quando os camelos acabaram de beber, o homem tomou um pendente de ouro, de meio siclo de peso e duas pulseiras para as suas mãos, do peso de dez siclos de ouro” (Gên. 24:22).

Quando os filhos de Israel trouxeram uma oferta ao Senhor, para construir o tabernáculo, eles usaram as jóias que tinham recebido dos egípcios. Esse era o seu dinheiro. “Vieram homens e mulheres, todos dispostos de coração, trouxeram fivelas, pendentes, anéis, braceletes, todos os objetos de ouro. Todo homem fazia oferta de ouro ao Senhor” (Êxodo 35:22).

Não há nada de errado, obviamente, com o fato de ter dinheiro. Mas a questão é: Deus deseja que os cristãos usem suas riquezas para que todos vejam? Claro que não. “Porque o amor ao dinheiro é a raiz de todos os males; e nessa cobiça alguns desviaram da fé, e se transpassaram a si mesmos com muitas dores.” I Tim. 6:10. Já que a cobiça é pecado, porque você tentaria um irmão ou irmã a cobiçar o seu dinheiro, que é ostentado a todo mundo? Qual seria o motivo para um cristão fazer isso?

As Jóias Justificadas
Os que procuram justificar o uso de jóias, normalmente citam histórias da Bíblia nas quais os filhos de Deus usaram ouro, prata ou jóias. Por exemplo, as Escrituras relatam o assunto sem comentários, que José usou um anel e “um colar de ouro no seu pescoço” (Gên. 41:42); que Saul usou um bracelete (II Samuel 1:10); que Mardoqueu recebeu um anel de Assuero (Ester 8:2); e que o rei Belssazar deu a Daniel um manto púrpura e colocou “uma cadeia de ouro ao pescoço” (Daniel 5:29).

Mas, lembre-se, apenas porque algo aparece na Bíblia não significa que Deus o aprova. As Escrituras simplesmente relatam com fidelidade a história do povo de Deus, incluindo todas as suas falhas. Noé bebeu vinho e ficou bêbado (Gênesis 9:20-21). Ló teve relações sexuais com suas filhas e engravidou-as (Gênesis 19:30-38). Judá pagou uma prostituta por uma noite, engravidou-a, e mais tarde descobriu que ela era a sua nora (Gênesis 38:12-26). Não podemos admitir que Deus aprove tais práticas repugnantes, apenas porque esses incidentes são mencionados na Bíblia. Outras passagens da Escritura claramente nos falam que Deus condena o álcool, incesto, prostituição, e jóias como não produtivos para não executar seus propósitos para a humanidade.

Investindo no Interior
Outro argumento que aparece, as vezes, é o de que o uso de jóias é uma forma de manter, com capricho e beleza, o corpo que Deus criou. Mas será que é isso, afinal, que Deus espera de nós? Seu desejo para o nosso corpo pode ser bem expresso em uma frase: investir no interior e manter o exterior. Isso significa concentrar mais tempo e recursos cuidando da saúde e da vida espiritual, pois são elas que vão nos deixar mais próximos de Deus e nos tornar melhores testemunhas dEle. Já o cuidado com o exterior significa manter uma imagem de asseio, higiene e bom gosto. Cuidar do cabelo para mantê-lo limpo, bem penteado e cortado; manter o corpo bem lavado, as unhas bem cortadas e limpas, etc. Não usar jóias não significa relaxar, mas ter bom gosto e capricho. Deus espera que não venhamos a priorizar aquilo que não beneficia nossa vida física ou espiritual, mas que o investimento seja colocado naquilo que traz resultados positivos no presente e também no futuro. Ele quer que a atenção seja chamada para o interior, e não para o exterior. A verdade é que investimos naquilo que é mais importante para nós, e sempre que se investe em uma área, se enfraquece a outra.

Por Que Ser Uma Pedra de Tropeço?
Uma razão para não usar bebidas alcoólicas, é porque uma em cada sete pessoas que as consomem se tornarão alcoólatras. Mesmo que eu seja hábil para beber moderadamente, não quero que meu mal exemplo cause a ruína de outra pessoa, especialmente por alguma coisa tão desnecessária como bebidas embriagantes.

O mesmo princípio é verdadeiro sobre as jóias. A gente vê pessoas que se cobrem com ouro e jóias preciosas. A maioria das pessoas que usam jóias, não se dão conta de seu próprio valor. Elas esperam sentir-se mais valorizadas por cobrirem-se a si mesmas com objetos caros. Outras acreditam que não são tão atraentes e esperam aumentar sua beleza ao se enfeitarem com belas pedras. Não podem se controlar. Pensam que se um é bom, então dez será melhor. Apenas para lembrar, nunca escutei de um homem: “Ela não é bonita? Apenas olhe suas jóias!”.

Bem, aqui está a grande questão. Qual é o objetivo? Se é certo para mulheres usarem brincos, então quem dirá que é errado para o homem? Se um anel ou brincos são aceitáveis, então porque não três ou quatro? Se um membro da igreja pode usar jóias, por que não um pastor? Se uma jóia na orelha é totalmente certo, então o que há de errado com um osso no nariz?

Modéstia e Humildade
Desde que Adão e Eva caíram em pecado, nós humanos, temos que lutar com a mesma natureza pecaminosa que tem o orgulho em sua raiz. Deus, por isso, ordenou-nos a não usar jóias. Em nossa condição pecaminosa, não estamos mais aptos a resistir a tendência do orgulho, do que foi Lúcifer. Quando nosso corpo for transformado, na segunda vinda de Cristo, não seremos mais tentados a pecar. Unicamente então, Jesus considerará seguro colocar uma coroa de ouro em nossa cabeça.

Enquanto isso não acontece, fazemos bem em seguir o conselho dado por Paulo � s mulheres: “quero que, do mesmo modo, as mulheres se ataviem com traje decoroso, com modéstia e sobriedade, não com tranças ou com ouro, ou pérolas, ou vestidos dispendiosos, mas (como convém as mulheres que fazem profissão de servir a Deus) com boas obras.” I Timóteo 2:9-10.

Pequenos Ídolos
Quando é apresentada a verdade bíblica a respeito das jóias, raramente se ouvem queixas daqueles que são recém convertidos. Mas alguns outros, que tem estado na igreja durante anos, freqüentemente ficam tristes e argumentam, “Isto é uma coisa tão pequena!” A melhor resposta é: “se é uma coisa tão pequena, então por que é tão difícil para você abandona-la?” Um pouco de ouro ou prata podem se tornar um grande ídolo.

Somos o Templo de Deus
A mais bela construção da antigüidade era o templo de Deus, construído pelo rei Salomão. Seu exterior era coberto com pedras de puro mármore branco. Muito interessante é notar que o ouro, estava no interior do templo. A Bíblia diz que este é igualmente um bom modelo para os ‘templos vivos’. “A beleza das esposas não seja o enfeite exterior, como o frisado dos cabelos, o uso de jóias de ouro, ou o luxo dos vestidos, mas a beleza interior, no incorruptível traje de um espírito manso e tranqüilo, que é precioso diante de Deus.” (I Pedro 3:3-4). Como o antigo templo de Salomão, nosso ouro deveria estar no interior!

A Primeira Impressão é a que Fica
Duas mulheres simbólicas aparecem em Apocalipse, nos capítulos 12 e 17. Elas representam os dois grandes poderes religiosos que estão em conflito, por toda a história da igreja. Embora nenhuma das mulheres fale uma só palavra que seja, sabemos qual é a verdadeira e qual é a falsa. Como? O primeiro modo como a Bíblia as identifica é pelas roupas que estão usando.

Apocalipse 12:1 diz: “viu-se um grande sinal no céu: uma mulher vestida do sol, tendo a lua debaixo dos pés, e uma coroa de doze estrelas sobre a cabeça.” A primeira mulher, que representa a igreja de Deus, está usando uma luz natural. Sua igreja está vestida com a pura e não falsificada luz que Ele fez.

Por contraste, a Segunda mulher, que representa uma igreja falsa, está enfeitada com jóias e roupas finas. Sua beleza é externa e artificial. Apocalipse 17:4 fala que, “A mulher estava vestida de púrpura e de escarlate, e adornada de ouro, pedras preciosas e pérolas. Tinha na mão um cálice de ouro cheio das abominações e da imundícia da sua prostituição.” Obviamente sua descrição esta associada com a aparência do mal, e somos ordenados a “Abster-nos de toda a aparência do mal” (I Tessalonicenses 5:22).

Cristo é Nosso Exemplo
Sempre que estiver em dúvida, pergunte: “O que faria Jesus?” Se seguirmos a Jesus, estaremos sempre seguros. Não dá para imaginar Jesus furando Suas próprias orelhas, nariz, ou qualquer outra parte, mesmo com o fim de pendurar pedras brilhantes em suas extremidades. O exemplo de Jesus nas Escrituras é continuamente de modéstia e simplicidade prática. Quando Ele foi crucificado, os soldados romanos dividiram Suas vestes entre si. Note que eles não tiraram a sorte por Suas jóias. Ele não possuía nenhuma. Em vez disso, eles tiveram que disputar Sua peça de roupa mais valiosa uma modesta túnica sem costura. (João 19:23-24).

Eis uma mensagem que mostramos repetidamente: quando amamos a Jesus, queremos seguir Seu exemplo. “Aquele que diz que está nEle, também deve andar como Ele andou.” I João 2:6.

Mudança de Proprietário
Numa pequena cidade onde vivi, havia uma casa que era bem conhecida por sua aparência: tudo em ruínas. Ferro-velho, lixo e uma mistura de sucatas espalhadas pelo pátio. A pintura descascando, janelas quebradas, e cachorros famintos no jardim. Era uma vergonha para toda comunidade. Então um dia, depois de voltar de uma longa viagem, andando pela cidade; fiquei aturdido pela dramática mudança que tinha ocorrido naquela casa vergonhosa. A velha pintura descascada tinha sido lixada e agora uma nova pintura embelezava as paredes. Janelas novas e limpas estavam no lugar das antigas, e todas as sucatas e ferro-velho tinham sido tiradas! O jardim foi limpo e coberto com um novo gramado. Eu não podia deixar de perguntar o que causou a mudança. Instantaneamente descobri que a casa tinha um novo proprietário.

Todos nós, de uma forma ou outra, nos parecemos com a velha casa em ruínas. O pecado reinou em nosso coração, e levou � queda, impureza e confusão. Mas sempre que uma pessoa permite a Jesus entrar no coração, o processo de limpeza começa imediatamente. Jesus remove aquelas coisas que manchavam a beleza interior do cristão, e as pessoas notam a beleza externa.

PARTICIPAÇÃO:
• Qual deve ser a sua atitude quando encontra outro membro da igreja usando jóias?
• O uso de jóias pode ser uma questão de salvação?
• O uso de jóias discretas é aceitável, por não chamar a atenção?
• Qual o papel da oração na mudança de pensamentos e atitudes?