Posts Tagged ‘morte’

h1

Gólgota

junho 11, 2009

golgota

Ele estava diante do seu povo, mas definitivamente não era como das outras vezes. As mesmas pessoas que tinham feito uma festa de recepção nesta mesma semana, quando ele chegara à cidade, agora estavam pedindo que o matassem. Homens, mulheres, crianças, gritavam! Pediam que aquele homem, que não tinha culpa alguma, fosse morto, morto como um ladrão ou assassino da pior espécie. Diferentemente dos homens que por Ele foram curados e que agora pediam sua morte, Aquele homem não parecia revoltado ou aflito, Ele continuava manso como sempre fora…! Por quê? Ele não era Deus? Pensavam os discípulos. Ele tinha feito tantos milagres, havia feito cegos enxergarem, tinha parado aquela forte tempestade, fez Pedro andar sobre as águas, multiplicara pães para que os seus seguidores não passassem fome, paralíticos agora podiam andar por que ele os havia curado! E agora? Aonde estavam essas pessoas? Agora era Ele que precisava delas! Será que haviam esquecido de Jesus?

No entanto, Jesus não esqueceu de nenhuma delas! Era exatamente por se importar com cada uma daquelas pessoas que Ele estava ali, pronto para ser pregado numa cruz, e morrer como um miserável, quando na verdade, era um Rei! Diferentemente de outras coroações, a de Jesus não foi apreciada e reverenciada com palmas. Eles pediam que aquele homem deixasse de existir, por que eles se achavam auto-suficientes para serem os deuses de suas próprias vidas. Eles não queriam um Pai, um amigo, uma pessoa livre de pecado e que só fazia o bem. Eles preferiam Barrabás, o criminoso, o retrato da maldade…

Lá estava Ele, os cravos agora perfuravam suas mãos, rasgavam seu corpo para sustentá-lo à cruz. O seu corpo mostrava a dor que sofria, mas o seu semblante revelava um outro sentimento; era difícil de entender. Já não se ouvia muitas vozes, as pessoas estavam indo embora, viravam as costas para aquele que tanto fizera por cada um deles! Mas, mesmo ali, pregado na cruz, como se fosse um bandido, Ele mostrava através do seu rosto que era o Senhor Jesus. Daquelas outras duas cruzes, onde pessoas que mereciam estar ali, sofriam muito, aparece um homem, que independente de tudo que fizera de errado, acreditava que Aquele que estava ao seu lado era um homem bom, e acreditava que este Homem poderia salvá-lo.

Ainda hoje a cena se repete. As vezes Jesus tem operado verdadeiros milagres em nossas vidas, e do mesmo jeito, somos ingratos e O pregamos novamente na cruz. Outras vezes, somos pecadores imperdoáveis, vivemos uma vida toda errada, fomos pregados na cruz, mas mesmo assim, o Mestre está ao nosso lado e temos a oportunidade de pedir perdão e alcançar a sua misericórdia.  E agora Jesus olha para o alto, a última gota de sangue escorre pelo seu rosto e Ele diz: “Pai, perdoa-os, eles não sabem o que fazem”. Por quê?! Ele podia ter pedido para se livrar daquele fardo, não podia? Sim, Ele podia! Mas acontece que aquela gota que escorreu pelo rosto do Mestre não era mais uma gota de sangue, e sim, uma gota de amor…

Contribuição: Rebbeca Ricarte

Anúncios
h1

Falta de princípios

maio 2, 2008

Na segunda-feira passada, os que assistiram um pouco de televisão puderam perceber o que passava na maior parte dos canais ou então nas propagandas flashs do que estava acontecendo no edifício London, na Zona norte de São Paulo. A simulação ou reconstituição do crime. Este que marcou o Brasil, e mesmo se não marcasse é uma das coisas que mais está se falando na imprensa. Sim, mas o que teria acontecido com Isabella? Seu pai, sua madrasta ou um terceiro teria jogado-a do sexto andar? A menina desceu com uma velocidade de 72km/h em menos de 2 segundos ela estava no térreo. Aqui não quero falar quem fez o crime, isso não importa agora. A justiça está investigando, e queira Deus que a verdade possa ser descoberta.

O nome do post: “Falta de princípios”, mas o que isso tem a ver com o Caso Isabella? Tudo! Ou pelo menos devia ter. Princípio é algo que todos nós devíamos semear em nossas vidas, algo em que acreditamos e que ninguém aqui na terra poderá tirar de nós. Não roubar, por exemplo, é um mandamento mas também pode ser um princípio. No trabalho, colégio devíamos ter sempre em mente que não somos movidos pelo que vemos, mas pelo que cremos. Algo me marcou na segunda-feira da simulação do crime foi em saber que vários populares iam para perto do edifício London não para ver se a justiça estava sendo cumprida, mas para vender churrascos, sorvetes, para realmente se aproveitarem da oportunidade de ter várias pessoas por ali. Tiveram até políticos que foram deixar seus folders. Seria aproveitamento? Não estou querendo dizer que nas imediações do edifício só teriam pessoas aproveitadoras, claro que alguém ali estava seriamente.Mas, para que dizer que está querendo justiça e não ter princípios consigo mesmo?

Quantas “Isabellas” são mortas diariamente? Claro que não são jogadas de prédios, mas diversas pessoas morrem por fatos banais, por que será tudo isso? Na cidade do Recife nos dois primeiros meses do ano de 2008 há uma média de mais de 20 mortos por dia. Muita violência? Será que tem solução?

Em meio há tantas tragédias, fatos que nos fazem repensar o valor da vida devíamos pensar o quão pequeno somos e olhar para aquele que sempre está lá quando precisamos: Deus. Quem irá saber se a justiça irá realmente ser cumprida com relação a Isabella? Não sabemos, mas sabemos que existe Alguém que sabe todas as coisas e é justo no que faz. E é nEle que devíamos nesses momentos nos voltar. Pense em Deus nesses momentos…

Meditemos na letra seguinte:

Virando a página
Para um novo amanhecer
Reorganizando o que é certo ou errado
Temos andado tão longe
Da verdade que não podemos voltar
Voltar ao lar que nos deu luz
Onde estão as leis que nos governam
Se acordarmos e olharmos pra trás
Somente para encontrar
O que temos perdido
Vamos voltar aos princípios da vida
Um coração puro, um amor verdadeiro
Uma fé que é ardente
Fundamentada em Deus
A esperança que dura pra sempre
Esses são os princípios da vida
Vamos voltar aos princípios da vida
Se os problemas dessa vida o afligirem
Somente ore e acharás a solução
Muitos não sabem que Ele existe
E que está aqui
Mas eu acredito, acredito na cruz
Eu acredito há esperança para nós
Ele é a Rocha que nos sustenta,
Sempre O exaltarei
Temos deixado a escuridão nos invadir
Vamos olhar a eterna luz
Nós precisamos dos braços do Pai
Basta à Ele se entregar
Você não pode esperar

Composição: D.R./ Versão: Communion

Franzé Jr.

h1

Vida após a morte

março 7, 2008

Olá amigos,

Sou o Roberto Vieira fui convidado pelo Franzé a estar participando das postagem do Blog, espero que gostem do que irei falar, tenho 22 anos, sou casado, Adventista e trabalho em São Paulo como Analista Programador. Agora que falei um pouco de mim deixa eu fazer uma pergunta:
 
Você acredita em vida após a morte? Eu acredito e tenho contatos com essas pessoas e são muito meus amigos.
 
Essa expressão pode ter soado estranho para muitas pessoas, mas é a pura verdade, e vocês vão entender o porquê.
 
Quando Jesus veio a essa terra Ele ensinou muitas coisas e o que ensinou é usado até hoje,diversas pessoas se entregam a uma nova vida devido aos ensinamentos e o amor dEle.
 
Atualmente, ter uma vida cristã é deixar tudo que você fazia de errado para trás e começar uma vida nova, um estilo de vida totalmente diferente, comidas, ambientes e até mesmo emprego. Uma vida com Cristo faz com que você se sinta renovado, seu jeito, sua mente, tudo em você começa a pensar e agir como um cristão.
 
Outro dia comentando com uma amiga do serviço que também é cristã, chegamos a conclusão que o mundo está se perdendo que as pessoas estão ficando individualistas, egoístas e que os pensamentos ficaram invertidos totalmente. E juntos percebemos que se não demonstrarmos a essas pessoas essa vida nova que Jesus oferece de graça, essas pessoas irão se perder, e ficou uma pergunta no ar “O que estou fazendo pra demonstrar o amor de Cristo?”.
 
Quem nunca ficou com medo de ir ao banheiro e ter um fantasma, ou dormir com a luz apagada depois de ver aquele filme de terror, a vida após a morte que eu acredito não é essa de assustar, nem muito menos de fazer com que você se esconda, pelo contrário, a vida que Deus oferece é uma vida alegre, uma vida que você não precisará se esconder, pois Deus estará sempre com você.
 
 A vida após a morte que Jesus nos deixou, é dessa que acredito e é essa que quero que você acredite, minha oração é que todos possam vir a esse mundo maravilhoso que é Jesus, e se entregar de coração e sentir como é bom ter uma nova vida, uma vida recheada de amor e carinho.
 
As pessoas tem medo de se entregar a Jesus, pensando que deixarão as coisas boas do mundo, que não serão felizes, pois tudo é regrado, mas é aí que se enganam, aqui nada é proibido, aqui você tem direito de fazer ou não fazer, e não fazemos porque Jesus nos deixou um guia de como viver bem e com saúde e essa guia se chama Bíblia.
 
É tão bom ir ao médico e ele falar “Olha com essa saúde você irá viver mais uns 100 anos”, quem não quer ter uma vida longa? Eu também quero e Jesus te oferece isso, seja fiel e terá a vida eterna, uma vida totalmente nova, uma verdadeira vida após a morte.
 
Você quer morrer para o mundo e se tornar uma pessoa nova?
Então venha para Jesus! Ele fará com que você morra e nasça de novo para um novo mundo.
 
Que Deus abençoe a todos.
Fiquem com Deus
 
Roberto Vieira

h1

Tanto sofrimento!

outubro 20, 2007

AspasMesmo antes de Se revestir da humanidade, vira toda a extensão da estrada que devia trilhar, a fim de salvar o que se havia perdido. Toda angústia que Lhe dilacerou o coração, todo insulto atirado a Sua fronte, toda privação que foi chamado a suportar – tudo Lhe foi exposto antes de deixar de lado a coroa e as vestes reais, e descer do trono para revestir Sua divindade com humanidade. A vereda que se estendia da manjedoura ao Calvário, estava toda diante de Seus olhos. Conhecia a angústia que dEle se havia de apoderar. Sabia tudo e, todavia, disse: “Eis aqui venho; no rolo do Livro está escrito de Mim: Deleito-Me em fazer a Tua vontade, ó Deus Meu; sim, a Tua lei está dentro do Meu coração.” Sal. 40:7 e 8.

Via sempre diante de Si o resultado de Sua missão. Sua vida terrestre, tão cheia de fadiga e sacrifício, era alegrada pela perspectiva de que todo o Seu trabalho não seria em vão. Dando a própria vida pela vida dos homens, reconquistaria o mundo à lealdade para com Deus. Conquanto devesse primeiro receber o batismo de sangue; embora os pecados do mundo Lhe devessem pesar sobre a alma inocente; se bem que a sombra de indizível aflição sobre Ele impendesse; todavia, pelo gozo que Lhe estava proposto, preferiu sofrer a cruz e desprezar a afronta.aspas

O Desejado de Todas as Nações, pág. 410

AspasJesus não reputou o Céu um lugar desejável, enquanto nos achávamos perdidos. Deixou as cortes celestes por uma vida de vitupério e insultos, e uma ignominiosa morte. Aquele que era rico nos apreciáveis tesouros celestes, tornou-Se pobre, a fim de, pela Sua pobreza, nos tornarmos ricos. Cumpre-nos seguir a vereda por Ele trilhada.aspas

O Desejado de Todas as Nações, pág.417

Fica a reflexão: O que temos feito mediante todo esse maravilhoso amor?