Posts Tagged ‘oração’

h1

Daniel

junho 28, 2010

“‘Então, o rei engrandeceu a Daniel, e lhe deu muitos e grandes presentes, e o pôs por governador de toda a província da Babilônia, como também o fez chefe supremo de todos os sábios da Babilônia.’ Dan. 2:48.

A confissão de Cristo significa algo mais do que dar testemunho numa reunião de oração. Daniel é um exemplo para os crentes quanto ao significado de confessar a Cristo. Ele ocupava a responsável posição de primeiro-ministro no reino da Babilônia, e havia os que tinham inveja de Daniel entre os grandes homens da corte, os quais queriam encontrar alguma coisa contra ele para poderem acusá-lo perante o rei. Ele era, porém, um estadista fiel, e não podiam encontrar nenhum defeito em sua vida ou caráter.

‘Disseram, pois, estes homens: Nunca acharemos ocasião alguma para acusar a este Daniel, se não a procurarmos contra ele na lei do seu Deus.’ Dan. 6:5. Concordaram, portanto, em pedir que o rei fizesse um decreto de que ninguém, por espaço de trinta dias, poderia fazer alguma petição a qualquer deus, ou a qualquer homem, a não ser ao rei, e que se alguém desobedecesse a este decreto, fosse lançado na cova dos leões.

Será, porém, que Daniel deixou de orar porque esse decreto entraria em vigor? Não! Esse foi precisamente o tempo em que necessitava de orar. ‘Daniel, pois, quando soube que a escritura estava assinada, entrou em sua casa e, em cima, no seu quarto, onde havia janelas abertas da banda de Jerusalém, três vezes no dia, se punha de joelhos, e orava, e dava graças, diante do seu Deus, como costumava fazer.’ Dan. 6:10. Daniel não procurou esconder sua lealdade a Deus. Ele não orou em seu coração, mas em voz alta, com a janela aberta na direção de Jerusalém, fazia suas petições ao Céu. …

Podemos saber que, se nossa vida está escondida com Cristo, em Deus, quando formos levados a julgamento por causa de nossa fé, Jesus estará conosco. Quando levados perante governantes e dignitários para responder por nossa fé, o Espírito do Senhor nos iluminará o entendimento, de modo que sejamos capazes de dar testemunho para a glória de Deus. E, se formos chamados a sofrer por amor de Cristo, seremos capazes de ir para a prisão confiando nEle como uma criancinha confia em seus pais. Agora é o tempo de cultivar fé em Deus.”

Review and Herald, 3 de maio de 1892.

h1

01 – A Festa da tua Vida

janeiro 5, 2010

Toda quarta-feira agora tem video!

01 – A Festa da Tua Vida







Retirado do site http://www.cronicas-cc.blogspot.com/

h1

Peça e receberá!

julho 22, 2009

peca_recebera

“Disse-lhes ainda Jesus: Qual dentre vós, tendo um amigo, e este for procurá-lo à meia-noite e lhe disser: Amigo, empresta-me três pães, pois um meu amigo, chegando de viagem, procurou-me, e eu nada tenho que lhe oferecer. E o outro lhe responda lá de dentro, dizendo: Não me importunes; a porta já está fechada, e os meus filhos comigo também já estão deitados. Não posso levantar-me para tos dar;digo-vos que, se não se levantar para dar-lhos por ser seu amigo, todavia, o fará por causa da importunação e lhe dará tudo o de que tiver necessidade. Por isso, vos digo: Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e achareis; batei, e abrir-se-vos-á. Pois todo o que pede recebe; o que busca encontra; e a quem bate, abrir-se-lhe-á. Qual dentre vós é o pai que, se o filho lhe pedir [pão, lhe dará uma pedra? Ou se pedir] um peixe, lhe dará em lugar de peixe uma cobra? Ou, se lhe pedir um ovo lhe dará um escorpião? Ora, se vós, que sois maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais o Pai celestial dará o Espírito Santo àqueles que lho pedirem?” Lucas 11:5-13

Estava lendo o texto acima, quando encontrei belas lições:

Na fé genuína há um bem-estar, uma firmeza de princípios e uma invariabilidade de propósito que nem o tempo nem as provas podem debilitar” (PVGM 113)

“A oração não consiste tanto em persuadir a Deus a que aceite nossa vontade quanto a algo, senão em descobrir qual é sua vontade ao nosso respeito. Ele conhece nossas necessidades antes de que Lhe peçamos, e mais ainda: sabe o que é  que nos convém; mas nós, por contraste, muitas vezes nos damos conta com dificuldade o que é  que precisamos. Com freqüência cremos que precisamos o que não precisamos… e também ocorre o contrário: que desconheçamos quais são nossas verdadeiras necessidades (cf. PVGM 111). A oração porá nossa vontade e, com ela, nossa vida, em harmonia com a vontade de Deus (PVGM 109). A oração é o meio divinamente estabelecido para educar nossos desejos. O verdadeiro propósito da oração não é conseguir uma mudança em Deus, senão produzir uma mudança em nós para que almejemos tanto “o querer como o fazer, por sua boa vontade” (Fil. 2:13).

Deus enviará uma resposta a cada petição que faça com humildade e fé o que pede com sinceridade. Deus pode responder afirmativamente ou negativamente, e às vezes sua resposta é que esperemos. Terá ocasiões em que a resposta à oração deve demorar-se, porque é necessário que tenha uma mudança em nossos corações diante de Deus antes que Ele possa respondê-la (DTG 170). Há certas condições para que Deus possa contestar a oração, e se parece que demora, deveríamos perguntar-nos se a dificuldade não está talvez em nós. Ofendemos a Deus se nos impacientamos com Ele quando não cumprimos com as condições que são indispensáveis para que Lhe seja possível responder a oração.

Por suposto, a lição central da parábola é: a perseverança na oração. A parábola também apresenta a classe de pedidos nos quais o Senhor aconselha perseverança: orações cujo propósito é beneficiar a nossos próximos e difundir o reino de Deus. “Tudo o que Cristo recebeu de Deus, podemos recebê-lo também nós” (PVGM 115). A inconstância na oração não agrada a Deus, pois nEle “não há mudança, nem sombra de variação” (Sant. 1:17). O que é inconstante na oração realmente não espera nada de Deus. “O que dúvida… não pense… que receberá coisa alguma do Senhor” (Sant. 1:6-7).” Comentário Bíblico Adventista

Um abraço,

Felipe Scipião

h1

O que é devocional?

março 3, 2009

DevocionalÉ aquele período do dia em que separamos um tempo significativo para estar em comunhão com Deus de forma mais íntima. Tempo este que gastamos adorando-O, louvando-O, cultuando-O, lendo a Bíblia e orando.

Objetivos da devocional diária

1. Primeiro objetivo da devocional diária é desfrutar comunhão com Deus.
• Comunhão com Deus é um canal de dois sentidos, entre duas pessoas que se amam – VOCÊ e DEUS.
• Enquanto medita, concentre-se na pessoa de Deus, como está revelado em Sua Palavra. Leia o livro de Salmos, destacando o que Deus é, o que Ele faz.
• Enquanto medita, permita que Deus o molde conforme à imagem de Seu Filho (Rm 8:29;2 Co 3:18).
2. O segundo objetivo da devocional diária é agradar a Deus. “Mas a oração dos retos é seu contentamento” (Pv 15:8b). Que privilégio temos em alegrar a Deus gastando tempo com Ele!
3. O terceiro objetivo da devocional diária é descobrir princípios pelos quais devemos viver e dirigir nossas vidas. (Sl 119:105)
4. O quarto objetivo da devocional diária é desenvolver um estilo de vida de acordo com o ponto de vista de Deus.

Sugestões práticas para o seu tempo com Deus
1. Separe um tempo permanente e diário para passar com Deus.
2. Encontre um lugar onde possa estar a sós com Deus, livre de distrações.
3. Inicie com louvor e adoração.
• Você pode louvar e adorar a Deus através de ações de graça (Sl 28:7; Sl 100:4).
• Pode louvar e adorar a Deus lendo versículos da Bíblia em atitude de louvor e adoração. Utilize o livro de Salmos para este tempo.
• Pode-se louvar e adorar a Deus simplesmente permanecendo quieto em Sua presença. Não tenha pressa durante a sua devocional, mas preste reverência e respeito a Deus (SI 46:10).
4. Peça a Deus que sonde o seu coração (Sl 139:23-24).
• Confesse o seu pecado, ou seja, todo o pecado que lhe for revelado pelo Espírito Santo (Sl 66:18; 1 Jo 1:9).Para que a sua meditação seja proveitosa, você precisa estar livre de culpa e cegueira provocadas pelo pecado. Peça a Deus, o Espírito Santo, que revele o pecado que há em
sua vida e então confesse, concorde com Deus em relação àquele pecado.Depois de confessar os pecados revelados pelo Espírito Santo, passe novamente o controle de sua vida a Cristo, e pela fé, aproprie-se da plenitude do Espírito Santo.
5. Conteúdo do seu período devocional.
• Use a Bíblia para a sua devocional. Lembre-se que Deus nos fala através de Sua Palavra.
• Ore a Deus.

O papel da palavra de Deus na devocional diária
1. Ler a Bíblia é parte essencial da devocional diária. Lembre-se DEUS QUER FALAR CONOSCO.
2. Ao ler a Bíblia obtemos melhor conhecimento de Deus.
3. Nossa fé aumenta pela leitura da Bíblia (Rm 10:17).

Como ler a bíblia
1. Leia um parágrafo lenta e cuidadosamente. O objetivo da leitura bíblica é permitir que Deus fale ao seu coração e que você desfrute de comunhão com Ele. Este objetivo não será alcançado se você ler muito depressa ou sem concentração.
2. Pergunte-se como o texto se aplica à sua vida. É de grande ajuda fazer-se perguntas para aplicar as verdades bíblicas à nossa vida:
• O que o texto ensina a respeito de Deus? E a respeito de Jesus?
• Há algum pecado que devo confessar, ou evitar?
• Há alguma promessa que devo reinvindicar/apropriar?
• Há algum mandamento que devo obedecer?
• Há algum exemplo a ser seguido?
• Há algo que foge a minha compreensão e deve ser estudado mais tarde?
• Há neste texto alguma coisa pela qual devo orar hoje?
• Como posso aplicar à minha vida o que aprendi neste texto?
4. Tenha a mão papel e caneta.

O papel da oração na devocional diária
1. Jesus é o nosso exemplo (Mc 1:35).
2. Em seus momentos de oração, peça a Deus que o transforme à imagem de Seu Filho, Jesus (1 Co 3:18). Peça a Deus que manifeste em sua vida e experiência os traços do caráter e atitudes de Jesus.
3. Em seus momentos de oração interceda pela Igreja, Corpo de Cristo, sua comunidade local, necessidades especificas dos irmãos.
4. Mantenha um diário de oração.

Abraços,
Vinicius A. Miranda

h1

Quando erramos por não fazer

dezembro 4, 2007

Muitas vezes erramos realmente por cometer alguma falha, mas muitas vezes erramos por não fazer. Isso é chamado de NEGLIGÊNCIA.

Eu estava lendo este livro e encontrei essa declaração interessante:

“Nossa condenação no Juízo não será resultado de havermos estado em erro, mas do fato de termos negligenciado as oportunidades enviadas pelo Céu, para conhecer a verdade.” O Desejado de Todas as Nações, pág. 288

Pense agora, quantas vezes nós negligenciamos?

OracaoQuantas vezes temos a oportunidade da oração e não o fazemos? Olha só o que perdemos:

“É maravilhoso podermos orar sabendo que seremos ouvidos, que mortais indignos e pecadores podem apresentar seus pedidos a Deus. Que mais elevado poder pode o homem desejar do que este – estar ligado com o Deus infinito? O homem fraco e pecador tem o privilégio de falar com seu Criador. Podemos falar com Jesus enquanto caminhamos, e Ele diz: Estou o seu lado (Sal. 16:8).” Obreiros Evangélicos, págs. 254

“Enquanto estamos envolvidos em nosso trabalho diário, devemos elevar a mente ao Céu em oração. Esses pedidos silenciosos sobem como incenso diante do trono da graça; e o inimigo é frustrado. O cristão que coloca o coração em Deus não pode ser vencido. Nenhuma artimanha maligna pode destruir sua paz. Todas as promessas da Palavra de Deus, todo o poder da graça divina, todos os recursos de Jeová, são usados para garantir seu livramento. Foi assim que Enoque andou com Deus. E Deus estava com Ele, um auxílio em todo tempo de necessidade.” Obreiros Evangélicos, pág. 258

Viu aí?! Agora imagine-se na época de Jesus, quando ensinava belas lições ao ar livre, as paisagens lindas ao redor,  cegos começando a ver, cochos saltando de alegria, todos aqueles enfermos sendo curados, a vida sendo  restabelecida ao morto, Suas palavras entrando suavemente nos ouvidos e aquela atmosfera celestial!

“[Cristo] Quer circundar a cada um de nós com a atmosfera celestial, para que possamos dar ao mundo um exemplo que honre a religião de Cristo” Loma Linda Messages, pág. 602

Jesus pode e quer hoje mesmo fazer-nos  sentir essa atmosfera celestial. Através do Espírito Santo podemos estar tão perto de Jesus hoje quanto naqueles tempos. Mas por que às vezes isso tem acontecido?

Negligência…  Através dela perdemos muitas coisas preciosas. Que possamos pensar mais nisso e não perder as oportunidades que o Céu nos dá para encontrar a verdade.

Um abraço a todos,

Felipe