Posts Tagged ‘Pr Jeú’

h1

Bem aventurado o que lê

março 12, 2008

Bem-aventurado aquele que lê, e os que ouvem as palavras desta profecia, e guardam as coisas que nela estão escritas; porque o tempo está próximo.” Apocalipse 1:3
 

Um certo nobre, nos dias de João Wesley, edificou com o seus recursos uma capela em um terreno que ele mesmo doou para a igreja. Era um entusiasta dos cultos públicos. Gostava de ouvir o coro cantar  e até  mesmo do sermão, quando este não era demasiado longo. Um dia veio para a sua igreja um novo ministro pregando uma clara mensagem de arrependimento, confissão e obediência a Deus. Aquele homem nobre então se retirou, dizendo a alguém que se encontrava à porta: “Ora, este pregador tem a audácia de aplicar a religião à vida privada dos homens!”

 Ora, a verdadeira religião não se limita a uma Bíblia fechada. Ela implica na leitura da Palavra e a prática de seus ensinos. Bem-aventurado o que lê, o que ouve e o que guarda as coisas que nela estão escritas.

“Como o mineiro descobre veios do precioso metal sob a superfície da terra, assim aquele que buscar perseverantemente a Palavra de Deus como tesouro escondidos encontrará verdades do mais alto valor, as quais se acham ocultas da vista do investigador descuidado.” CC, pág. 9.

 

O grande missionário Hudson Taylor tinha o costume de passar uma hora com Deus antes do alvorecer. Fosse qual fosse o lugar ou as circunstâncias que o rodeavam na China, ele aproveitava esta hora para esquadrinhar a Bíblia. Aos 71 anos, leu a Bíblia inteira, completando assim 40 vezes em 40 anos. Eis a sua declaração: “A coisa mais difícil na vida de um homem é perseverar em estudar a Bíblia com regularidade e oração. Satanás sempre apresenta outra coisa a fazer exatamente quando nos dispomos a ler o Livro de Deus.”

 

Outro exemplo de uma vida poderosa no serviço do Senhor é o de Jorge Müller. Este homem foi inspirado por Deus a desenvolver um grande ministério de ajuda a órfãos. Muitas vezes chegou até a ter sob seus completos cuidados cerca de 2.000 órfãos. Conta-se que várias vezes ele se deitou à noite sem ter nada em casa para os órfãos comerem no dia seguinte. Quando lhe perguntavam se conseguia dormir, respondia: “todas as noites e o melhor, ao acordar o Senhor já tinha providenciado o que precisávamos”.

Quando um amigo interrogou sobre o segredo dessa fé, Jorge Müller levantou sua Bíblia e sentenciou: “Tenho lido este Livro inteiro cem vezes. Conheço o Livro e o Deus do Livro”. Abeberando sua alma sedenta no inicio de cada dia e todos os dias, na fonte de toda fortaleza e verdade, a palavra de Deus, Müller dava testemunho de confiança e felicidade plena como servo do Senhor.

 

A Palavra profética nos assegura: “Bem-aventurado aquele que lê…” (Apocalípse. 1:3). Esta felicidade não se apóia em ausência de problemas, e sim em uma confiança baseada no relacionamento que o Santo Livro promove entre o leitor e seu poderoso autor.

Pr. Jeú Caetano

h1

O poder da Palavra – 2

janeiro 23, 2008

Todos nós já ouvimos falar de um homem chamado Lutero. Alicerçado em um profundo amor à Palavra de Deus, fez da mesma uma poderosa espada que reprimia erros, superstições e intolerância na sua época.

Como campeão da verdade, Lutero ousadamente tomou o Livro olvidado, que por séculos permaneceu confinado no recesso dos mosteiros e catedrais, e, proclamando ao povo os seus luminosos ensinos, dissipou as trevas do erro, tornando vitoriosa a causa da Reforma.

Quando intimado a se retratar de seus ensinos perante o Imperador Carlos V, na dieta de Worms, mostrou-se disposto a submeter-se às decisões de um concilio geral, sob a condição de que todas as decisões se harmonizassem com as Escrituras. Quando ameaçado de ser condenado à morte, respondeu com ousadia: “Coloco minha pessoa e minha vida nas mãos do imperador; mas a Palavra de Deus nunca!”

Tendo em suas mãos o Livro negligenciado — “a espada do Espírito” — o reformador foi mais forte que o papa e os cardeais, o imperador dos príncipes, a Dieta e os concílios, os Estados e Continentes.

Há muitos anos passados um pregador concluiu que o seu pequeno exemplar do Novo Testamento, que ele grandemente amava como a um tesouro, necessitava receber uma nova encadernação. Assim, enviou-o a um encadernador. Este, ao concluir o trabalho, verificou existir um espaço limitado ao longo do dorso do livro para imprimir em letras de ouro as palavras em inglês: “The New Testamet.” Decidiu, então gravar apenas as três iniciais daquele título TNT. Isto parece ter sido inspirado, porque a Bíblia foi no passado e pela graça de Deus, o será no presente e no futuro, como “TNT” uma substância de reconhecida capacidade explosiva.

Quem poderá medir o extraordinário poder explosivo deste venerado Livro, na árdua batalha contra a apostasia e as forças confederadas do mal? Este poder é facilmente visualizado quando lembramos do que ocorreu em 1787 quando o rei Jorge III, da Inglaterra, enviou o navio Bounty à ilha de Taiti, no sul do pacifico, para trazer de lá mudas de fruta-pão. As plantas deveriam ser levadas para a Jamaica e ali plantadas, a fim de aumentar o suprimento de alimentos de seus habitantes.

À altura porém do arquipélago de Tonga, os tripulantes da embarcação se amotinaram e seu comandante William Bliger, juntamente com os marinheiros que lhe permaneceram fiéis, foram abandonados em um pequeno barco a vagar no oceano.

Tomando 9 mulheres taitianas, e uma jovem de 15 anos, os amotinados buscaram esconderijos num lugar perdido em meio ao oceano — a ilha de Pitcairn . E ali, naquele remoto recanto, viveram um drama cruel e emocionante, escrito com álcool e sangue.

Um dos marinheiros que havia trabalhado em uma destilaria na Escócia, conseguiu produzir álcool de uma planta nativa e, não tardou para que a ilha se transformasse num cenário de sangrenta disputas. O vicio, a degradação e o ódio precipitaram uma luta de extermínio entre os polinésios e o brancos amotinados. Decorridos 5 anos, todos os homens, exceto dois estavam mortos. Mas um dos sobreviventes veio a falecer, vítima de uma crise asmática. Restaram dez mulheres, vinte e três crianças, e Smit, o último dos amotinados.

Pensando na vida pecaminosa que viviam e no futuro daquelas crianças, Smith lembrou-se de que num dos baús de Bounty havia uma Bíblia. Lendo-a diariamente, Smith começou a experimentar em sua vida uma surpreendente transformação. Arrependido de suas transgressões, decidiu ensinar os demais habitantes da ilha a ler. Ensinou-lhes também as
lições preciosas do evangelho, e a mesma transformação miraculosa sentida por Smith passou a se fazer sentir em todos os habitantes da ilha.

Anos mais tarde, o navio Topaz visitou Pitcairn e encontrou uma próspera comunidade sem bebidas alcoólicas, sem criminosos e conseqüentemente, sem cadeias. A Bíblia havia mudado radicalmente o estilo de vida daquela comunidade. “A exposição das Tuas palavras dá luz; dá entendimento aos símplices” ( Salmos 119:130).

Hoje os quase cem habitantes da ilha professam a fé adventista. O precioso exemplar do Livro de Deus que transformou a ilha em um paraíso está agora guardado dentro de um cofre de madeira, na capela adventista, o único edifício religioso ali existente.

Quão extraordinário é o poder da Palavra.!

->Para baixar este texto em espanhol clique aqui
->Para descarregar este texto en español clic aquí

Pr. Jeú Caetano

h1

O poder da Palavra – 1

janeiro 16, 2008

“Também o reino dos céus é semelhante a um tesouro escondido num campo, que um homem achou e escondeu; e, pelo gozo dele, vai, vende tudo quanto tem, e compra aquele campo.” Mateus 13:44

Séculos passados, os reinos ao redor do antigo Sião enviavam exércitos e bandos de assaltantes para a parte sul do país, decididos a saquear os tesouros do templo e raptar as belas mulheres siamesas para serem suas esposas.

Os siameses, na ânsia de proteger seus tesouros cobriam as mais valiosas imagens de Buda com argamassa barata. Quando as tropas saqueadoras viam esses ídolos de aparência barata, não os roubavam por julgá-los sem valor.

Por muitos anos, uma destas imagens de Buda adornou uma escola paroquial em Bangcok. Os sacerdotes do templo queriam tirar do lugar a feia imagem, sobre a qual subiam os meninos da escola, em suas brincadeiras. Ela, porém era muito pesada.

Contudo, os sacerdotes finalmente decidiram quebrar a incômoda imagem, para que fosse removida aos pedaços. Removida a argamassa que a recobria, os trabalhadores, pasmados, viram uma figura de ouro maciço! Uma investigação posterior revelou cinco toneladas de ouro, noventa por cento puro, avaliadas em sete milhões de dólares! Por muitos anos, aquela escola paroquial tinha, em seu recinto, uma grande fortuna sem saber que a tinha.

Agora tomemos esta história e coloquemo-la ao lado de outra, da Bíblia. É a história do homem que encontrou um rico tesouro no campo.

Na parábola, o campo que encerra o tesouro, representa as Sagradas Escrituras. E o evangelho é o tesouro. A própria terra não está tão premiada de veios auríferos nem tão cheia de preciosidades como a Palavra de Deus” – PJ, pág. 104.

Debaixo daquele exterior barato, o ídolo siamês, continha um tesouro de ouro maciço que valia milhões de dólares. Da mesma forma, por baixo da inexpressiva capa da sua Bíblia, há um rico tesouro que vale muito mais do que os milhões de dólares do ídolo da escola paroquial. Dentro das páginas desse Livro abençoado a pessoa encontra a vida eterna, e tudo o que significa!

Jorge Cortês vivia na Colômbia, América do Sul. E estava cumprindo sua sétima condenação, na cadeia. As drogas e o crime lhe pareciam ser o caminho da vida. Seu último raspão com a lei envolveu assalto a um lojista.

A permanência atrás das grades meses a fio, numa ocasião, não o curou de cometer crimes. Quando via algo que queria apanhava-o não raro sofrendo conseqüências.

A vida na prisão era muito monótona. Coisas para ler eram escassas, e assim certo dia em que viu um Novo Testamento na mesinha da cela de outro prisioneiro, apoderou-se dele, com o objetivo de lê-lo para passar o tempo.

Embora a mente de Jorge estivesse enevoada pelas drogas, ao começar a ler o Livro o poder do evangelho começou a penetrar em seu cérebro confuso. Quanto mais lia, mas queria ler. Aquele Livro era diferente dos romances e revistas baratas que costumava ler. Tinha um poder em si, um estranho poder que Jorge jamais sentira antes na vida, e isto produziu-lhe um tremendo impacto.

Descobriu que aquele Livro falava de um Homem, não de um homem comum, mas de alguém cujo nome é Jesus – um Homem que realizava milagres e entrava na vida das pessoas. E logo Jorge sentiu que esse Homem entrara em sua vida também.

Quando o jovem transgressor da lei foi libertado, foi morar com um parente. Ali ele encontrou mais livros sobre a Bíblia um deles de modo especial, despertou-lhe o interesse, era sobre a segunda vinda de Jesus. O livro declarava que esse Homem maravilhoso logo viria de novo a este mundo.

O pastor Santader Iglesia estava justamente começando uma série de conferências na região, e o moço as assistia regularmente. No final das reuniões, Jorge foi batizado e a seguir entrou na obra da colportagem, partilhando com outros sua nova fé.

Querido jovem: Na verdade “A Palavra de Deus é viva e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes” (Hebreus 4:12). Ela transformou a vida de Jorge Cortês; Ela fará a obra necessária na sua e na minha vida, se apenas permitirmos que ela a faça, estudando-a diariamente.

->Para baixar este texto em espanhol clique aqui
-> Para descarregar este texto en español clic aquí

Pr. Jeú Caetano

h1

Achando a Palavra

janeiro 9, 2008

“Achando-se as tuas palavras, logo as comi, e a tua palavra foi para mim o gozo e alegria do meu coração; porque pelo teu nome sou chamado, ó Senhor Deus dos Exércitos.” Jeremias 15:16

O povo de Judá, quando Josias iniciou o seu reinado, vivia um período de grave crise espiritual. Por muitos anos o livro da lei havia sido ignorado, ficando o povo privado de sua orientação e ensinos. Sem a santificadora influência da revelação escrita, Judá se apartou de Deus, seguindo os ínpios e tortuosos caminhos da idolatria.

Uma das primeiras realizações de Josias, inaugurando o seu reinado foi a reparação e limpeza do templo abandonado. Hilquias, o sumo sacerdote, administrando as obras de restauração do santuário, por acaso, encontrou em uma das dependências do vistoso edifício, o livro da lei, que até então estava perdido. Aquele precioso achado revolucionou surpreendentemente a vida nacional.

Tomando em suas mãos esta copia do livro da lei, o piedoso rei de Judá, com o coração comovido, “subiu à casa do Senhor, e com eles todos os homens de Judá… e leu aos ouvidos deles todas as palavras do livro. … E o rei se pôs em pé junto à coluna, e fez o concerto perante o Senhor, para… “guardarem os Seus Mandamentos, com todo o coração e toda alma”, confirmando as palavras deste concerto, que estavam escritas naquele livro” – II Reis 23:2 e 3.

Com efeito, o rei tomou o livro e o leu perante o povo e a influência transformadora da Palavra Inspirada se fez sentir em forma admirável na vida de Judá. Houve um expurgo completo de tudo quanto desagradava ao Senhor. Feiticeiros e adivinhos; ídolos e terafins; e todas as práticas abomináveis do paganismo foram proscritos, porque não se harmonizavam com as instruções contidas no manuscrito providencialmente encontrado por Hilquias.

Eis aí o poder maravilhoso do Livro de Deus na vida de um povo. Distanciados da revelação escrita, os homens se corrompem e se desviam da justiça. Tomando o livro e assimilando os seus ensinos, os homens se arrependem de suas rebeliões e voltam-se com humildade ao Senhor em busca de perdão.

Falamos com insistência sobre a necessidade de um grande reavivamento espiritual em nossos dias. Mas assim como nos dias de Josias o despertamento que tanto anelamos só ocorrerá quando regressarmos à Bíblia.

Como o homem faminto busca afanosamente o alimento para calar o clamor da fome, assim devemos buscar a Palavra. Disse o profeta: “Achando-se as Tuas palavras, logo as comi, e a Tua Palavra foi para mim o gozo e alegria do meu coração” (Jeremias 15:16). E outra vez sentenciou Davi: “Oh! Quão doce são as Tuas Palavras ao meu paladar! Mais doce do que o mel à minha boca” (Salmo 119:103).

A laboriosa abelha se aproxima da flor e, com os seus instrumentos naturais, dela extrai os elementos indispensáveis para a produção do mel. Assim, a leitura constante e atenta das Escrituras produzirá doçura para nossos lábios, gozo e alegria para os nossos corações.

Se soubéssemos que um cheque ao portador, de apreciável valor, se encontra escondido entre as páginas de nossa Bíblia, por certo haveríamos de folheá-la, página por página, até achá-lo. Porém algo de mais elevado valor se encontra escondido entre suas páginas. A vida eterna em Cristo Jesus.

De acordo com uma pesquisa conduzida em um país cristão, de cada cem pessoas entrevistadas, somente dez confessaram ler sistematicamente a Bíblia. E apenas cinco por cento afirmaram estar lendo a Bíblia mais freqüentemente do que o faziam no passado.

Como podemos nós descuidar de tal tesouro, quando sabemos que a nossa salvação se assenta em suas preciosas promessas?

–>Para baixar este texto em espanhol clique aqui

–>Para descarregar este texto en español clic aquí 

Pr. Jeú Caetano

h1

Onde está sua Bíblia?

janeiro 5, 2008

“E o terá consigo, e nele lerá todos os dias da sua vida, para que aprenda a temer ao Senhor seu Deus, para guardar todas as palavras desta lei, e estes estatutos, para cumprí-los.” Deuteronômio 17:19

Daniel era um esperto menino que vivia em um lar no qual pouco se pensava em religião e o nome de Jesus era raramente usado, a não ser em juramentos. Certo dia o pequeno estava olhando alguns livros antigos na estante que ficava no escritório de seu pai. Encontrou ali um livro que jamais vira antes. Era preto, e tinha a borda das páginas douradas. Daniel correu ao encontro de sua mãe com o livro na mão.

– Mamãe de quem é este livro? Perguntou o menino

– É de Jesus — respondeu a mãe

– Bem mamãe, continuou Daniel — por que a senhora não devolve para Ele, já que ninguém o lê mesmo?

Esta história pode até parecer um tanto cômica. Mas, honestamente onde está sua Bíblia? Como a tem lido? Veja o que escreveu Ellen White.

“Diversas vezes cada dia momentos áureos e preciosos deveriam ser consagrados a oração e ao estudo das Escrituras, ainda que fossem apenas para memorizar um texto, a fim de que possa existir, vida espiritual na alma.” Test. Vol. I, pág. 459

Um autor desconhecido, imaginou uma Bíblia falando e contando de como uma família a usava e quando a manuseava. Ele escreveu isto e deu o nome de: o “Diário de Uma Bíblia”.

Eis o Diário:

-15 de Janeiro – Descansei a semana toda. Meu dono me leu regularmente nas primeiras noites no inicio deste ano, mas penso que se esqueceu de mim agora.

02 de Fevereiro – Faxina na casa. Tiraram o pó de cima de mim, como de outros objetos, e me colocaram no lugar de costume.

-08 de Fevereiro – Meu dono usou-me por uns momentos depois do jantar. Estava procurando alguns textos. Fui à igreja hoje!

-02 de Abril – Eu estive bem ocupada hoje. Meu dono tinha de dirigir uma reunião de oração e me consultou buscando algumas passagens. Teve bastante dificuldade de encontrar uma apesar de ela estar no mesmo lugar.

-01 de Maio – Gastei toda tarde no colo da vovó. Ela está aqui de visita. Deixou cair algumas lágrimas sobre Colossensses 2: 5-7 .

-06 de Maio – Outra vez no colo da vovó esta tarde. Ela gastou a maior parte do tempo meditando em I Coríntios 13 e nos últimos versos do capítulo 15.

-07, 8 e 9 de Maio – No colo da vovó todas as tardes. Que lugar confortável! Às vezes ela fala comigo e de outras me lê.

-10 de Maio – A vovó viajou para sua casa hoje. Ela me beijou e me disse: “adeus”! Estou outra vez no meu lugar de costume.

-01 de Julho – Fui colocada numa mala entre roupas e outros objetos. Penso que vamos passar alguns dias fora.

-10 de Julho – Ainda na mala, apesar de quase todas as outras coisas terem sido colocadas noutro lugar no quarto.

-15 de Julho – Em casa outra vez e no meu lugar costumeiro. Fiz uma longa viagem, nem sei porque me levaram consigo… Não sai da mala….

-01 de Agosto – Que calor! Duas revistas, uma novela e um chapéu, tudo em cima de mim. Oh, se eles pelo menos tirassem estas coisas de sobre mim.

-10 de Setembro – Limpeza. Tiraram-me o pó e fui colocada no meu lugar para um longo descanso… – Watchman-Examiner 03/07/47

Aqui entre nós…

§ Se a Bíblia de vocês falasse, que diria ela de você Adão? E de você Eva?

§ Já leram a Bíblia toda alguma vez? Se sim parabéns que tal fazer um plano para ler de novo? Se Não? Que tal fazer um plano para começar quem sabe lendo primeiro o Novo Testamento? Pense nisto.

§ Vamos pedir a Deus perdão pelas vezes que negligenciamos a Sua palavra e também força para escrevermos uma nova história com o santo livro.

–>Para baixar este texto em espanhol clique aqui
–> Para descarregar este texto en español clic aquí

Pr. Jeú Caetano

h1

A Bíblia tem poder

dezembro 26, 2007

“Nem só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que sai da boca de Deus.”

Mateus 4:4

Há muitos anos atrás uma senhora, na Espanha, desejando fazer algo especial para o Senhor, decidiu distribuir Bíblias. Encontrou um pedreiro levantando um muro. Sabendo que ele nunca tivera uma Bíblia, deu-lhe uma, escrevendo nela o nome do pedreiro. O homem ficou sem jeito de rejeitar a oferta, mas quando a senhora saiu, resolveu: “Eu nunca vou ler isto e quero estar certo de que ninguém a lerá também.” Então apanhou a Bíblia e colocou-a entre as pedras do muro que estava levantando. Rebocou-a lá dentro, certo de que, pelo menos aquele exemplar estaria escondido para sempre.

Poucos anos depois, um terremoto atingiu aquela região. Um dos inspetores do Governo, encarregado de examinar os danos, encontrou uma fenda no muro. Procurando ver a profundidade para avaliar o grau do tremor, com grande surpresa encontrou a Bíblia. Cuidadosamente a tirou de lá. Folheou-a rapidamente e decidiu levá-la para casa.

Naquela noite começou a estudá-la e sentiu que estava lendo a Palavra de Deus. Algum tempo depois o inspetor estava de joelhos, agradecendo Jesus por ter morrido por ele. Entregou-se a Cristo e tornou-se um vendedor da Sociedade Bíblica, na Espanha, vendendo Bíblias de cidade em cidade.

Um dia, porém, ele aproximou-se de um pedreiro para vender-lhe uma Bíblia. O pedreiro contou-lhe que não tinha interesse algum em Bíblia, e como havia “sepultado” num muro a única que ganhara de presente. O vendedor de Bíblias ao ouvir isto, abriu sua bolsa e tirou a Bíblia que encontrara no muro rachado. Lançou um rápido olhar à página inicial onde havia um nome, mencionando então ao homem o nome dele. O pedreiro boquiaberto, sentou-se enquanto ouvia a história do ex-inspetor. Naquele dia, o pedreiro decidiu ler o estranho livro, pois jamais imaginara encontrar aquela Bíblia outra vez.

O poder da Palavra de Deus se fez presente quando o pedreiro aceitou a Cristo, após ter estudado as verdades bíblicas.

 

Quando examinamos as Escrituras com oração, nós encontramos a Cristo, pois Ele está estampado em cada uma de suas páginas. Assim, ao depararmos com Ele, encontramos os segredos de uma vida terrena feliz; além das promessas da vida eterna.

Leiam a Bíblia a cada dia, pois há em suas páginas poder para fazer-nos fortes contra as tentações, e também, jovens melhores.

Até a próxima semana,

Pr. Jeú

h1

Conhecendo a palavra

dezembro 19, 2007

 

“Toda Escritura é divinamente inspirada”

I Tim. 3:16 e 17

“Nascida no Oriente com sua vestimenta e imagem orientais, a Bíblia avança pelos caminhos de todo mundo ganhando familiaridade, penetrando todas as terras, encontrando-se em todas as partes. A Bíblia tem a faculdade de falar em centenas de idiomas ao coração do homem. Chega ao palácio para dizer ao monarca que ele é um servo do Altíssimo e à choupana para garantir ao camponês que ele é um filho de Deus. As crianças maravilhosas e embevecidas escutam suas histórias e homens sábios as consideram parábolas de vida.

A Bíblia contém uma palavra de paz para todo o tempo de prova, uma palavra de conforto para o dia de calamidade, uma palavra de luz para a hora de trevas.

Ninguém que possua este tesouro é pobre ou abandonado. Quando o vacilante peregrino avança para o chamado “vale da sombra da morte” não teme penetrá-lo. Ele toma o bastão e o cajado da Escritura em sua mão e diz ao amigo companheiro: Adeus, até nos encontrarmos novamente. É confortado por aquele apoio e segue o trilho das trevas para a luz”. (Henry Van Dyke)

Ao criar o homem a comunicação da natureza com o Criador era face a face. Com a entrada do pecado esta comunicação foi interrompida. Então Deus, por meio de Cristo, passou a comunicar-se com os homens através de profetas a quem Ele revelava a Sua vontade em forma de sonhos ou visões (Num 12:6).

“Durante os primeiros vinte e cinco séculos da história humana, não houve revelação escrita, os que tinha sido ensinados por Deus comunicavam seu saber a outros; e esse saber era transmitido de pai a filhos, através de gerações sucessivas” – Conflito dos Séculos pág. 7.

Com o abreviar-se da vida humana pela proliferação do pecado, a capacidade mental diminuiu e começou a se intensificar mais ainda a apostasia, então, Deus ordenou a Moisés que escrevesse a verdade divina. – Êxodo 17:14 é a primeira referência bíblica à escrita. A Bíblia começou a ser escrita cerca de 1.500 anos antes de Cristo, quando Moisés, “nos desertos de Midiã… passou quarenta anos como pastor de ovelhas” (Educação pág. 62) e sob a inspiração do Espírito Santo, escreveu o livro de Gênesis bem como o livro de Jó.” – Comentários de E.G.W vol. 3 pág. 1140.

Sua conclusão deu-se aproximadamente 1.600 anos depois, quando João, o discípulo amado, estava banido na ilha de Patmos — “uma ilha Arida e rochosa no mar Egeu” que havia sido escolhida pelo governo romano para banimento de criminosos… Aqui, afastado das afanosas cenas da vida”, ele “recebeu instruções para a igreja por todo o tempo futuro”. – Atos dos apóstolos págs. 570 e 571

Durante esses 1.600 anos, cerca de 40 autores — entre eles haviam sábios, profetas, reis, pastores de ovelhas, pescadores, um médico e um fabricante de tendas — escreveram os 66 livros que formam a Bíblia, em lugares e situações as mais adversas… Grande número deles não só se conheciam, muito menos tiveram qualquer contato entre si; porém seus escritos se harmonizavam como um todo sem nenhuma contradição.

O QUE FAZER PARA ENTENDER A BÍBLIA?

 

-Ler (I Tim. 4:13)

-Ocupar-se com ela (I Tim. 4:14) –

-Meditar (I Tim. 4:15)

-Comparar uma parte com outra (I Cor. 2:13) 

-Obedecer ( João 7:17)

-Iluminar a vida (Salmo 110: 105)

-Seu estudo serve para: ensinar , advertir, instruir na justiça, aperfeiçoar (II Tim.3:16-17)

-Livrar de pecar (Salmo 119:11)  

-Tornar a pessoa feliz (Apoc. 1:3)

Concluiremos no post de hoje convidando vocês a analisarem de forma meditativa as palavras do Dr. Cummings:

“A Palavra do nosso Deus subsiste eternamente” (Isa. 40:8). Diz o Dr. Cummings: O império dos Césares passou; as legiões de Roma jazem no pó; as avalanches que Napoleão arremessou sobre a Europa se desfizeram; o orgulho dos faraós ficou abatido… mas a palavra de Deus ainda sobrevive. Tudo quanto ameaçou extingui-la apenas logrou ajudá-la a sobreviver; e isto prova cada dia quão transitórios são os mais nobres monumentos que os homens podem construir, e quão perdurável a menor palavra proferida por Deus. A tradição cavou para ela uma sepultura; a intolerância para ela acendeu muitos fogos; muitos Judas a têm abandonado; mas a Palavra de Deus ainda permanece” – ( Adelaide Bee Evans, citado no livro Princípios de Vida pág. 24).

–>Para baixar este texto em espanhol clique aqui
–>Para descarregar este texto en español clic aquí


Até a próxima semana,
Pr. Jeú