Posts Tagged ‘Reflexão’

h1

Quando custa um milagre?

outubro 15, 2010

Discretamente, Tess despejou todo o dinheiro que ela tinha em seu cofrinho e contou cuidadosamente. Após conferir o valor exato, saiu de casa silenciosamente com destino à farmácia mais próxima. No caminho, as palavras da conversa que havia escutado entre e o seu pai e a sua mãe não saíam da sua cabeça: “Só um milagre poderá salvá-lo”.

 

Na porta do estabelecimento, disse ao farmacêutico que queria comprar um milagre. Sem se importar com a inocência da menina, o homem respondeu que não vendia esse tipo de produto. O irmão do farmacêutico, um renomado médico, perguntou à Tess que tipo de milagre ela precisava. Sem titubear, disse que não sabia ao certo, mas que seu irmão precisava ser operado. No entanto, o seu pai não podia pagar e ela queria usar o dinheiro que tinha para ajudá-lo.

 

Impressionado com a iniciativa da criança, o homem perguntou quanto ela tinha no cofrinho. E a resposta, quase um sussurro, foi 1 dólar e 11 centavos. Com um sorriso na face, o médico informou à Tess que aquele valor era exatamente o preço de um milagre. Dr. Carlton Armstrong, especializado em neurocirurgia, salvou a vida de Andrew, que em poucos meses estava em casa. Ainda sem acreditar no milagre, a mãe de Tess se questionava quanto teria sido aquela operação. Feliz, Tess sabia que só havia custado 1 dólar e 11 centavos… e a sua enorme fé.

 

Num tempo em que vemos falsas tentativas de milagres, a fé pura e simples de uma criança foi o instrumento usado por Deus para tocar o coração de um médico. Foi por meio da fé de uma criança que uma família pôde ver a grandeza de Deus. É essa fé, pura e inocente, tal qual daquela criança, que Deus deseja que você tenha a cada dia.

Anúncios
h1

Deus e a Ironia

agosto 6, 2010

Figuras de linguagem. Sem dúvida, grandes invenções. Considero que, por meio delas, podemos escrever e repassar melhor nossos sentimentos e sensações. Por exemplo: como não notar o exagero de uma hipérbole (“Já falei mil vezes isso!”)? Como negar o sarcasmo no eufemismo dos políticos em discussões no congresso (“Vossa Excelência falta com a verdade!”)?

Minha figura de linguagem preferida é a Ironia. Não é para qualquer um conseguir passar uma mensagem usando o sentido contrário nas palavras. E o melhor é que essa mensagem geralmente é engraçada, diverte. É também interessante o quanto nosso Deus permite que situações adversas aconteçam, e da aparente destruição vem uma grande benção. Grandes ironias assim estão na Bíblia, e é um grande prazer notar como Deus nos dá grandes lições e ensinamentos dessa forma.

José, o mais amado de seu pai é vendido como servo pelos seus irmãos. Depois ainda é preso, esquecido por todos. E é do fundo do poço que Deus o chama para ser vice-governador do Egito! Do ódio dos irmãos; de um condenado surgiu salvação da fome para egípcios e para a sua própria família. Não é preciso muito esforço para imaginar o quanto ele e seus familiares devem ter se alegrado lembrando a grande ironia dessa história.

O Deus Criador, com toda sua majestade e glória, veio a este mundo nascer numa manjedoura e ser um simples carpinteiro. O ser mais limpo e justo tomou todos os pecados do mundo e foi tratado como um criminoso. E quando o inimigo achou que iria gargalhar com a sua morte, Jesus ressuscita e nos convida à alegria, por toda eternidade. Que bela ironia! Deixar de se martirizar na própria vida e ver as coisas ao nosso redor como grandes ironias, nos ajudam a suportar e superar problemas.